Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


VALORIZAÇÃO DO AUTOPARAPSIQUISMO

(AUTOPARAPERCEPCIOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A valorização do autoparapsiquismo é o ato ou efeito de a conscin lúcida,
homem ou mulher, reconhecer a importância das autoparapercepções, anotando, pesquisando,
focando no conteúdo da mensagem, mantendo-se com atenção aos detalhes das interrelações
conscienciais e tomando decisões adequadas conforme avaliação pessoal.
Tematologia.
Tema central homeostático.
Etimologia.
O vocábulo valor vem do idioma Latim Tardio, valore, “valor; ser forte”.
Surgiu no Século XIII. O termo valorização apareceu no Século XIX. O primeiro elemento de
composição auto deriva do idioma Grego, autós, “eu mesmo; por si próprio”. O segundo elemen-
to de composição para procede também do idioma Grego, pará, “por intermédio de; para além
de”. A palavra psiquismo provém do idioma Francês, psychisme, e este do idioma Grego, psykhé,
“alma, como princípio de vida e sede dos desejos; sopro de vida”. Surgiu no Século XIX.
Sinonimologia:
1. Consideração da autoparaperceptibilidade. 2. Atribuição de impor-
tância ao autoparapsiquismo. 3. Apreço pelas autoparapercepções. 4. Interesse pela autoparaper-
ceptibilidade. 5. Reconhecimento das autovivências parapsíquicas. 6. Respeito ao autoparapsi-
quismo. 7. Destaque do autoparapsiquismo lúcido.
Neologia.
As 3 expressões compostas valorização do autoparapsiquismo, minivaloriza-
ção do autoparapsiquismo
e maxivalorização do autoparapsiquismo são neologismos técnicos da
Autoparapercepciologia.
Antonimologia:
1. Desvalorização das vivências parapsíquicas. 2. Descaso pelo auto-
parapsiquismo. 3. Desapreço pelas autoparapercepções. 4. Embotamento parapsíquico. 5. Apa-
tia parapsíquica. 6. Menosprezo pelo parapsiquismo.
Estrangeirismologia:
os neovalores ajustados ao Zeitgeist; o turning point evolutivo;
o open mind das parapercepções; a construção do know-how paraperceptivo; o aftereffect pela fal-
ta de valorizar as próprias percepções; a teática da autoconscientização multidimensional fulltime.
Atributologia:
predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscer-
nimento quanto às vivências parapsíquicas.
Megapensenologia.
Eis 2 megapensenes trivocabulares relativos ao tema: - Valorizemos
nossas parapercepções
. Valorizemos experiências parapsíquicas.
Coloquiologia:
a evitação de tratar o autoparapsiquismo igual cachorro sem dono; o ato
de levar o parapsiquismo ao modo de quem dá pérolas aos porcos; o ato de dar rasteira no vento
no próprio parapsiquismo; a autodecisão de não ser parapsíquico de meia tigela.
Citaciologia:
- Faça a descoberta de si mesmo e aos poucos descobrirá que é mais se-
guro
e compensador valorizar-se (Clarice Lispector, 1920-1977).
Proverbiologia.
Eis 2 provérbios relativos ao tema: - “Quem nunca se queimou ao sol
não sabe o valor da sombra”. “Só percebemos o valor da água quando a fonte seca”.
Ortopensatologia.
Eis 3 ortopensatas relativas ao tema, citadas na ordem alfabética
e classificadas em 3 subtítulos:
1. “Parapercepciologia. A gente não pode brincar com os fenômenos parapsíquicos.
Tais parafatos exigem permanentes pesquisas. Devemos ficar com o parapsiquismo na base de
1 pingo já ser discurso,
com a visão curva atrás do morro, tendo em vista a Interassistenciologia.
A Inteligência Evolutiva (IE) tem base em várias modalidades de inteligências ao mesmo tempo,
sendo a mais séria a inteligência paraperceptiva ou multidimensional. Não adianta a pessoa dizer
que tem muito discernimento, se não domina algum tipo de autoparapsiquismo razoável.
2. “Parapsiquismo. “- O que faz uma pessoa não valorizar o parapsiquismo?” Para al-
guém valorizar o autoparapsiquismo precisa passar pelo gargalo pessoal evolutivo. Para isso, ca-
rece deixar de pensar em sua vaidade, no egoísmo ou egão redutores da autocosmovisão”.

3. “Valoração. Tudo o que você não dá valor hoje, ao puxar o fio da meada da experi-
ência,
começará a valorizar.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal do detalhismo parapsíquico; os reciclopensenes;
a reciclopensenidade; os neopensenes; a neopensenidade prevalecendo na psicosfera pessoal; os
retropensenes; o descarte decisivo da retropensenidade materialista; a autopensenidade aberta ao
paraconhecimento.

Fatologia:
a valorização do autoparapsiquismo; a importância de levar em consideração
as parapercepções; a importância da análise dos megavalores pessoais; a escolha por valorizar
a evolução; a autovalorização; a superação do murismo; o neovalor multidimensional; a assimila-
ção dos conceitos conscienciológicos; a reciclagem dos valores pessoais; a paz interior gerada pe-
la valorização se si próprio; a melhora da autestima; a força presencial; a necessidade de ressigni-
ficar os contatos diários, visando valorizar cada experiência; a importância da memória no desen-
volvimento parapsíquico; os registros pessoais das circunstâncias em cima do lance; a superação
dos desperdícios quanto às vivências no dia a dia; a observação acurada das ocorrências diárias
indicando as conexões com autofenômenos posteriores; a importância da interpretação correta dos
fatos; a paciência no ato de acumular informações e chegar a conclusões; a autovivência substitu-
indo a opinião alheia como referência principal para a tomada de decisões; o fato de o autoposici-
onamento cosmoético ajudar naturalmente os outros, através do exemplarismo; os cursos da
Conscienciologia ampliando o dicionário cerebral para melhor compreensão das vivências para-
psíquicas; a busca contínua pelo conhecimento; o estudo dos parafenômenos alavancando a evo-
lução da consciência; a análise dos resultados obtidos pelo uso do parapsiquismo no cotidiano; os
detalhes dos fenômenos descartados pelo pesquisador inexperiente; a insegurança por detrás do
fechadismo parapsíquico; o fato de o orgulho e o medo perderem o sentido diante da vivência das
realidades intraconscienciais; a desconstrução da influência religiosa recebida na infância; o ato
de manter o foco no conteúdo dos parafenômenos; a compreensão da utilidade interassistencial
dos parafenômenos; a prática trazendo segurança íntima nos procedimentos multidimensionais;
a importância da postura de pesquisador na compreensão das autovivências; a anotação imediata
da paravivência; a disciplina frente aos esforços no desenvolvimento do autoparapsiquismo; a im-
plantação de rotina útil quanto à autorreflexão; a paciência e a postura de pesquisador necessária
nas anotações e análises posteriores; a autoconfiança advinda da recuperação de cons; as come-
morações demonstrando a gratidão pelas conquistas; a motivação pela autopesquisa parapsíquica;
a conquista da transparência consigo próprio; a exaustividade necessária para se tornar profissio-
nal da assistência; a autopesquisa, o estudo e os cursos de Conscienciologia contribuindo para
a compreensão dos parafenômenos; a construção do autodiscernimento parapsíquico; a valoriza-
ção dos resultados auferidos pelo parapsiquismo na vida diária, contribuindo para vivência da
condição de minipeça do Maximecanismo Multidimensional Interassistencial.

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; o mapeamento da
sinalética energética e parapsíquica após a valorização das autoparapercepções; o respeito aos am-
paradores extrafísicos; o Curso Intermissivo (CI) sendo honrado; a vivência de extrapolações pa-
rapsíquicas confirmando assertividade em determinada atividade realizada; o aprendizado multi-
dimensional da interpretação das vivências parapsíquicas pessoais pelo paradigma consciencial;
a percepção da energosfera de pessoas, ambientes e objetos; a atenção aos banhos energéticos;
a apreensão da descoincidência vígil; a autocomprovação parapsíquica; a comunicação interdi-
mensional; a autoconfiança parapsíquica adquirida pela conscin paciente na repetição dos traba-
lhos energéticos diários; os parafatos guiando a autopesquisa; as sincronicidades explicitando
o fluxo do Cosmos; a necessidade do empenho no desenvolvimento da autolucidez multidimensi-
onal; o valor do registro mental dos padrões energéticos de ambientes, pessoas, pets e plantas;
a postura lúcida de estar atento às manifestações dos parafatos; a análise e compreensão dos para-

fenômenos a partir do registro mental detalhado; a coleta de paraevidências; os fenômenos para-
psíquicos distorcidos na infância e adolescência gerando conflitos pessoais; a superação da inse-
gurança parapsíquica ao levar a sério as experiências; as autocomprovações parapsíquicas; a au-
tossegurança nas próprias paracognições; as vivências parapsíquicas autocomprovadoras; a assis-
tência realizada através das autoparapercepções; o aumento da lucidez quanto ao autoparapsiquis-
mo devido à valorização das parapercepções; a condição de semperaprendente do parapsiquismo
valorizando as análises dos detalhes e sincronicidades multidimensionais.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo consciex amparadora-conscin parapsíquica; o sinergis-
mo autoconfiança-aceitação das heterocríticas
.
Principiologia:
o princípio da descrença (PD); o princípio da autossuficiência evoluti-
va;
o princípio pessoal de não pensar mal de si, nem dos outros; o princípio do exemplarismo
pessoal
(PPP); o princípio do binômio admiração-discordância.
Codigologia:
a valorização das parapercepções no código pessoal de Cosmoética (CPC).
Teoriologia:
a teoria da vida humana energossomática; a teoria da seriéxis; a teoria da
fartura das energias
explicando a banalização da autoparaperceptibilidade; a teática chancelando
as vivências cotidianas
.
Tecnologia:
a técnica da banana technique; a técnica da assim; a técnica da desassim.
Voluntariologia:
o voluntariado dedicado à tares através do autoparapsiquismo; o po-
sicionamento do voluntário perante o próprio parapsiquismo; o parapsiquismo valorizado nas
atividades do voluntariado.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Autoproexologia; o laboratório
conscienciológico da Tenepessologia;
o laboratório conscienciológico da Autopensenologia;
o laboratório da conscienciológico da Autossinaleticologia; o laboratório conscienciológico da
Autoparageneticologia;
o laboratório conscienciológico da Autevoluciologia; o laboratório
conscienciológico do estado vibracional
.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Parafenomenologia.
Efeitologia:
os efeitos da valorização das pequenas experiências paraperceptivas auto-
comprovadas;
os efeitos da dedicação ao domínio energético no autoparapsiquismo; o efeito ha-
lo da Autexperimentologia;
o efeito irreversível do Curso Intermissivo; os efeitos nefastos das
crenças pessoais no impedimento da autovivências;
o efeito da desvalorização das experiências
da criança sensitiva pela família nuclear devido a crenças;
o efeito esclarecedor das tertúlias
conscienciológicas para o buscador-borboleta;
os efeitos tranquilizadores das certezas relativas
autocomprovadas quanto à multidimensionalidade;
o efeito da interassistência valorizada.
Neossinapsologia:
as neossinapses afloradas a partir da revalorização de atributos
conscienciais negligenciados;
a formação de neossinapses sobre a própria multidimensionalidade
e multiexistencialidade; as neossinapses parapsíquicas revolucionando as retroconvicções eletro-
nóticas.
Ciclologia:
a ruptura dos ciclos de valoração errônea; o ciclo valor subestimado-valor
superestimado-valor ajustado;
o ciclo sementeira-colheita; o ciclo autexperimentação-autocons-
tatação-autocomprovação-autoconvicção;
o ciclo desrepressão-compreensão.
Enumerologia:
a valorização da mobilização básica das energias (MBE); a valorização
do estado vibracional; a valorização da sinalética energética e parapsíquica pessoal; a valorização
da projetabilidade; a valorização da aplicação do arco voltaico; a valorização do banho energéti-
co; a valorização das interações bioenergéticas na vida diária.
Binomiologia:
o binômio paciência-persistência; o binômio inteligência evolutiva-valo-
rização do autoparapsiquismo;
o binômio atenção-parapsiquismo.
Interaciologia:
a interação neoverpon-neovalor; a interação autoconfiança parapercep-
tiva-autossuficiência evolutiva
.
Crescendologia:
o crescendo da valorização da capacidade de autorrealização.

Trinomiologia:
o trinômio neovalores-neoconhecimento-neoverpons; os neovalores
existenciais do trinômio multidimensionalidade-multiexistencialidade-cosmoeticidade; o trinômio
compreensão do autoparapsiquismo-autodiscernimento multidimensional-valorização do auto-
parapsiquismo;
o trinômio observar-aprender-discernir.
Polinomiologia:
o polinômio dos megavalores indispensáveis à evolução pessoal auto-
discernimento-autorganização-detalhismo-exaustividade;
o polinômio autopercepção-autocogni-
ção-autexperimentação-autovalorização;
a superação do polinômio inutilidade-menosprezo-des-
valorização-estagnação
.
Antagonismologia:
o antagonismo valor eletronótico / valor multidimensional; o anta-
gonismo autocomprovação / heterocomprovação;
o antagonismo verpon / dogma; o antagonismo
maturidade parapsíquica / imaturidade parapsíquica;
o antagonismo responsabilidade paraper-
ceptiva / irresponsabilidade paraperceptiva;
o antagonismo minimização do autoparapsiquismo
/ valorização das autovivências paraperceptivas
.
Paradoxologia:
o paradoxo de o parapsiquista de alto nível poder ter baixa autoconfi-
ança;
o paradoxo de a multidimensionalidade ser realidade à conscin, porém a autoconscientiza-
ção multidimensional somente decorrer dos investimentos evolutivos da consciência;
o paradoxo
de o assistente ser o maior assistido
.
Politicologia:
a evoluciocracia.
Legislogia:
a lei do maior esforço aplicada ao aproveitamento máximo de cada instante
evolutivo.
Filiologia:
a autexperimentofilia; a cogniciofilia; a reciclofilia; a autopesquisofilia;
a energofilia; a assistenciofilia; a evoluciofilia.
Fobiologia:
a neofobia.
Sindromologia:
a síndrome da subestimação atrapalhando a valorização das experiên-
cias pessoais; a síndrome da apriorismose.
Maniologia:
a mania de desprezar os resultados advindos do autesforço das práticas pa-
rapsíquicas; a mania de desvalorizar as próprias parapercepções.
Mitologia:
a desconstrução do mito do dom parapsíquico; a desmistificação dos parafe-
nômenos; a desmistificação da mudança de patamar sem autorreflexão e autocrítica; o mito de
o santo de casa não fazer milagre
.
Holotecologia:
a parafenomenoteca; a energoteca; a experimentoteca; a evolucioteca;
a assistencioteca; a disciplinoteca; a metodoteca.
Interdisciplinologia:
a Autoparapercepciologia; a Parafenomenologia; a Multidimensio-
nologia; a Autodiscernimentologia; a Energossomatologia; a Autopesquisologia; a Autoproexolo-
gia; a Autexperimentologia; a Parapercepciologia; a Interassistenciologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin lúcida; a isca humana lúcida; a conscin cosmoética; o ser desper-
to; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Masculinologia:
o parapsíquico; o sensitivo; o médium; o telepata; o psicógrafo; o psi-
cofonista; o clariaudiente; o clarividente; o ectoplasta; o parapercepciologista experiente; o aco-
plamentista; o amparador intrafísico; o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista;
o cognopolita; o compassageiro evolutivo; o completista; o comunicólogo; o conscienciólogo;
o conscienciômetra; o consciencioterapeuta; o macrossômata; o conviviólogo; o duplista; o proe-
xista; o reeducador; o epicon lúcido; o escritor; o exemplarista; o intelectual; o tenepessista;
o ofiexista; o parapercepciologista; o pesquisador; o projetor consciente; o tertuliano; o teletertu-
liano; o verbetólogo; o voluntário.

Femininologia:
a parapsíquica; a sensitiva; a médium; a telepata; a psicógrafa; a psi-
cofonista; a clariaudiente; a clarividente; a ectoplasta; a parapercepciologista experiente; a aco-
plamentista; a amparadora intrafísica; a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista;

a cognopolita; a compassageira evolutiva; a completista; a comunicóloga; a consciencióloga;
a conscienciômetra; a consciencioterapeuta; a macrossômata; a convivióloga; a duplista; a proe-
xista; a reeducadora; a epicon lúcida; a escritora; a exemplarista; a intelectual; a tenepessista;
a ofiexista; a parapercepciologista; a pesquisadora; a projetora consciente; a tertuliana; a teletertu-
liana; a verbetóloga; a voluntária.

Hominologia:
o Homo sapiens parapsychicus; o Homo sapiens autoperquisitor; o Ho-
mo sapiens reflexivus;
o Homo sapiens experimentatus; o Homo sapiens cosmoethicus; o Homo
sapiens autolucidus;
o Homo sapiens interassistentialis.

V. Argumentologia

Exemplologia:
minivalorização do autoparapsiquismo = o reconhecimento das paraper-
cepções apenas em cursos e dinâmicas conscienciológicas; maxivalorização do autoparapsiquis-
mo = o reconhecimento detalhado dos parafenômenos sutis no dia a dia.

Culturologia:
a cultura da maturidade consciencial parapsíquica; a substituição da cul-
tura da banalização parapsíquica
pela cultura da valorização parapsíquica cosmoética; a cultura
da Autopesquisologia;
a implantação da cultura parapsíquica na Terra.

Desvalorização.
Sob o enfoque da Experimentologia, eis, na ordem alfabética, 10 exem-
plos de condições ou posturas dificultadoras da valorização das autoparapercepções:
01. Acomodação.
02. Apriorismose.
03. Autanulação.
04. Autodesprezo.
05. Baixa autestima.
06. Desatenção.
07. Inautenticidade.
08. Medo.
09. Subestimação.
10. Timidez.

Decisão.
Segundo a Autexemplologia, importa à conscin parapsíquica agir com postura
assistencial e cosmoética buscando sempre compreender mais sobre as percepções pessoais, estu-
dando a respeito. Vale entender o parafenômeno, sempre aparecendo com alguma mensagem
a ser compreendida e a tomada de decisão sendo a real valorização do autoparapsiquismo.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a valorização do autoparapsiquismo, indicados para a ex-
pansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens inte-
ressados:
01. Abertismo parapsíquico: Autexperimentologia; Homeostático.
02. Alfabetização autoparapsíquica: Autoparapercepciologia; Neutro.
03. Autaceitação parapsíquica: Autodiscernimentologia; Homeostático.
04. Autocomprovação parapsíquica: Autoparapercepciologia; Neutro.
05. Autoconfiança parapsíquica: Parapercepciologia; Homeostático.
06. Autoconhecimento parapsíquico: Autopesquisologia; Homeostático.
07. Autodidatismo parapsíquico: Autodidaticologia; Neutro.
08. Autodiscernimento parapsíquico: Descrenciologia; Homeostático.

09. Autoparapsiquismo responsivo: Epicentrismologia; Homeostático.
10. Autorrealinhamento parapsíquico: Mentalsomatologia; Homeostático.
11. Banalização do autoparapsiquismo: Parapercepciologia; Nosográfico.
12. Binômio detalhismo-parapsiquismo: Autoparapercepciologia; Homeostático.
13. Neovalor: Autevoluciologia; Homeostático.
14. Parapsiquismo despercebido: Parapercepciologia; Neutro.
15. Parapsiquista semperaprendente: Parapercepciologia; Homeostático.

A
VALORIZAÇÃO DO AUTOPARAPSIQUISMO DEMONSTRA
COMPROMETIMENTO E INTERESSE NA ACELERAÇÃO
DO PROCESSO EVOLUTIVO E INTERASSISTENCIAL, PRO-
MOVENDO MAIOR
APROXIMAÇÃO COM AMPARADORES.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, valoriza as vivências parapsíquicas pessoais? Ou
desperdiça experiências multidimensionais patrocinadas pela equipe extrafísica de amparadores?
Consegue traçar plano de superação visando a valorização do autoparapsiquismo?

Filmografia Específica:


1. Good Witch. País: EUA. Data: 2015. Série: 4. Emissora original: Hallmark Channel. Duração: 585 min.
Gênero:
Comédia dramática. Idade (censura): 10 anos. Idioma: Inglês. Cor: colorido. Legendado: Inglês & Português.
Direção:
Craig Pryce; Don McBrearty & Laurie Lynd. Elenco: Catherine Bell; James Denton; Baille Madison; Catherine
Disher; Dan Jeannotte; Kylee Evans; Noah Cappe & Rhys Matthew Bond. Produção: Jonathan Eskenas. Roteiro: James
Battiston & Sue Tenney. Sinopse: A série surgiu do telefilme produzido em 2008 e já exibido no Brasil na Sessão da Tar-
de da Globo com o título de “A Bruxa do Bem”. A história acompanha Cassandra Nightingale (Catherine Bell, de JAG,
Army Wives), proprietária da loja de produtos sobre ocultismo em pequena cidade do interior dos EUA. Quando situações
de magia começam acontecer, Cassie passa a ser vista feito bruxa. O ator James Denton (Desperate Housewives) médico
divorciado e pai solteiro entra no elenco regular interpretando o novo vizinho de Cassie.

Bibliografia Específica:


1. Justi, Almir; Lascani, Amim; & Rossa, Dayane; Orgs; Competências Parapsíquicas: Técnicas para o De-
senvolvimento do Parapsiquismo Interassistencial;
556 p.; 5 seções; 48 caps.; 500 enus.; 2 escalas; 2 esquemas; 3 estatís-
ticas; 8 fotos; 1 gráf.; 124 ilus.; 8 microbiografias; 216 planilhas; 99 tabs.; 163 refs.; epíl.; glos. 207 termos; 2 anexos;
5 apêndices; alf.; 28,5 x 21,5 cm; br.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2018; páginas 21 a 30.
2. Montagna, Jovilde; Vivências Parapsíquicas de uma Pediatra; pref. Mário Oliveira; 288 p.; 3 partes; 3 se-
ções; 64 subseções; 27 E-mails; 1 microbiografia; 25 websites; glos. 85 termos; 10 refs.; alf.; 21,8 x 15 cm; br.; Associa-
ção Internacional Editares;
Foz do Iguaçu, PR; 2017; páginas 21 a 25.
3. Oliveira, Mário; Desenvolvimento Parapsíquico; Conscientia; Revista; Trimestral; Vol. 6; Nº 14 Dez.
2002; in Anais do 3
o
Congresso Internacional da Inversão Existencial;
148 p.; Foz do Iguaçu, PR; Editora CEAEC; 2004;
páginas 257 a 261.
4. Rossa, Dayane; Agudização do Autoparapsiquismo a partir das Renovações Intraconscienciais; Artigo;
Conscientia;
Revista; Trimestral; Vol. 19; N. 2; 1 E-mail; Associação Internacional do Centro de Altos Estudos da Cons-
cienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; Abril-Junho, 2015; páginas 143 a 155.
5. Schlosser, Ulisses; Autoconscientização Paracognitiva: Prioridade do Autoparapsiquismo na Pré-Inter-
missão;
Artigo; Conscientia; Revista; Trimestral; Vol. 18; N. 2; Edição Especial: I Simpósio Teáticas da Conscienciolo-
gia;
Associação Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; Abril-Ju-
nho, 2014; páginas 238 a 251.
6. Vieira, Waldo; Léxico de Ortopensatas; revisor Equipe de Revisores do Holociclo; 2 Vols.; 1.800 p.; Vols.
1 e 2; 1 blog; 652 conceitos analógicos; 22 E-mails; 19 enus.; 1 esquema da evolução consciencial; 17 fotos; glos. 6.476
termos; 1.811 megapensenes trivocabulares; 1 microbiografia; 20.800 ortopensatas; 2 tabs.; 120 técnicas lexicográficas;
19 websites; 28,5 x 22 x 10 cm; enc.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2014; páginas 1.236, 1243
e 1.677.

J. C. N.