Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


RESPEITO INTRAFAMILIAR

(CONVIVIOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
O respeito intrafamiliar é o ato ou efeito de a conscin, homem ou mulher,
promover, fornecer e demonstrar atenção, importância, consideração, acolhimento, agregação, es-
tima e apreço para com os membros do núcleo familiar, considerando a possível diversidade de
patamares evolutivos.
Tematologia.
Tema central homeostático.
Etimologia.
O vocábulo respeito vem do idioma Latim, respectus, “ação de olhar para
trás; consideração; respeito; atenção; conta; acolhida; refúgio; asilo”. Surgiu no Século XIV.
O prefixo intra deriva também do idioma Latim, intra, “dentro de; no interior de; no intervalo
de”. Apareceu no Século XII. O termo familiar procede do mesmo idioma Latim, familia, “do-
méstico; servidor; escravo; séquito; comitiva; cortejo; cada família”. Surgiu no Século XIII.
Sinonimologia:
1. Respeito interconsciencial no âmbito familiar. 2. Consideração in-
trafamiliar. 3. Estima intrafamiliar. 4. Receptividade no grupocarma nuclear.
Neologia.
As duas expressões compostas minirrespeito intrafamiliar e maxirrespeito in-
trafamiliar
são neologismos técnicos da Conviviologia.
Antonimologia:
1. Desconsideração intrafamiliar. 2. Desrespeito intrafamiliar. 3. Vio-
lência intrafamiliar. 4. Descaso no grupocarma nuclear.
Estrangeirismologia:
o happy hour em família; o marketing televisivo retratando a fa-
mília perfeita; o pet familiar; a Schadenfreude no núcleo familar; o respeito ao Zeitgeist familiar.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à ortoconvivialidade intrafamiliar.
Megapensenologia.
Eis 8 megapensenes trivocabulares relativos ao tema: - Respeitar
é preciso
. Respeito é tudo. Respeito: Cosmoética básica. Respeito: necessidade familiar. Convi-
vialidade requer respeito
. Família: núcleo básico. Família: primeira escola. Família: laboratório
conviviológico
.
Coloquiologia:
o copo meio-cheio; o olhar 43 tóxico; o ato de ter a faca na bota;
o ato de manter a língua afiada para com os íntimos.
Citaciologia.
Eis 6 citações pertinentes ao tema: - As famílias felizes parecem-se todas;
as famílias infelizes são infelizes cada uma a sua maneira
(Lev Tolstoi, 1828-1910). Paz e har-
monia: eis a verdadeira riqueza de uma família
(Benjamim Franklin, 1706-1790). Respeita-te
e outros te respeitarão
(Confúcio, 551-479 a.e.c.). A primeira lei do homem deve ser o respeito
de si mesmo
(Pitágoras, 570-495 a.e.c.). Respect is what we owe; love, what we give (Respeito
é o que devemos; o amor, o que damos; Philip James Bailey, 1951-).
Proverbiologia.
Eis duas expressões populares relativas ao tema: - Respeito é bom
e conserva os dentes. Respeito se aprende em casa
.
Ortopensatologia.
Eis 3 ortopensatas, citadas em ordem alfabética, pertinentes ao tema:
1. “Família. A categoria de família mais importante para a consciência é a família
consciencial”
.
2. “Família. Nossa família, de fato, é sempre intra e extrafísica.
3. “Respeito. O verdadeiro respeito é não forçar o outro a pensar igual a você.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal do respeito; o holopensene pessoal da convivência
harmônica; os grupopensenes; a grupopensenidade; os infantopensenes; a infantopensenidade; as
influências pensênicas recíprocas; os entropopensenes; a entropopensenidade; o holopensene ca-
talítico da interassistencialidade; os belicopensenes; a belicopensenidade; o holopensene da re-
pressão; o holopensene de antagosnismo; os pensenes corrosivos; os pensenes explosivos; os pen-

senes autopesquisísticos; o holopensene pessoal da afetividade; os fraternopensenes; a fraterno-
pensenidade; os conviviopensenes; a conviviopensenidade; os nexopensenes; a nexopensenidade;
a manifestação pensênica equilibrada; o holopensene pessoal da solvabilidade; os grafopensenes;
a grafopensenidade; a acalmia pensênica; os reciclopensenes; a reciclopensenidade; o pensenogra-
ma; os prioropensenes; a prioropensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os proexo-
pensenes; a proexopensenidade; os harmonopensenes; a harmonopensenidade; os maturopense-
nes; a maturopensenidade; os ortopensenes; a ortopensenidade; os evoluciopensenes; a evolucio-
pensenidade.

Fatologia:
o respeito intrafamiliar; a promoção do diálogo, conversa franca e amizade na
família; o foco nos trafores; o exercício da empatia; a assistência prioritária ao núcleo familiar
e ao grupocarma; a compreensão das posturas antievolutivas; o afago oportuno; o amor parental;
o amor familiar; o carinho filial; a coerência no cotidiano; o dogmatismo; o turpilóquio; a fofoca;
as festas familiares alcoólicas; as agressões verbais; os gritos e xingamentos; as agressões físicas
(puxão de orelha, beliscão, palmada); a antipatia familiar; as brigas de casal presenciadas pelos fi-
lhos; a apriorismose; o estupro evolutivo; o abandono dos filhos; o infanticídio; o desleixo para
com a homeostase pessoal; a utilização de linguagem vulgar; a evocação realizada através de di-
tos populares belicistas; as piadas inconvenientes e anticosmoéticas passadas de pai para filho;
o acirramento da discórdia pelos assediadores intrafísicos; a interprisão grupocármica; a depres-
são dentro do núcleo familiar; o autassédio provocado por choques culturais e antagonismo para
com a família do duplista; o pseudorrespeito familiar; o antagonismo à Conscienciologia; a supe-
ração dos traços belicistas detonadores dos conflitos familiares; o respeito à integridade física dos
elementos da família; a alternação do papel de assistente e assistido; o silêncio oportuno; o afasta-
mento geográfico do grupocarma familiar; a mudança e expansão do grupocarma; os pré-huma-
nos (pets) familiares enquanto membros do núcleo familiar; os pets catalisando o desenvolvimen-
to da afetividade sadia; o dispositivo eletrônico ao modo de babá (TV, celular, tablet, computa-
dor); a autopesquisa; a terapia; a consciencioterapia; a recéxis; a recin; o isolamento fomentando
a recin; a opção pelo autodesassédio; a verbetografia; a conscienciografia; a docência conscien-
ciológica; os cursos de campo bioenergético; as visitas familiares; o posicionamento tarístico du-
rante eventos familiares; o desassédio familiar promovido a partir da tenepes; a tertúlia diária po-
dendo afastar a necessidade da terapia; a tares oportuna; as amizades evolutivas desassediadoras;
as amizades raríssimas; a dupla evolutiva (DE); o exemplarismo familiar; a recuperação de cons
catalisada pelas neoposturas cosmoéticas no âmbito intrafamiliar; a assunção do intermissivismo;
a condição de farol cosmoético; a holomaturescência da ortoconvivialidade intrafamiliar.

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a limpeza energé-
tica do lar; o trabalho energético interassistencial durante visitas e eventos familiares; a sinalética
energética e parapsíquica pessoal; os bagulhos energéticos; a dificuldade projetiva; a projeção ve-
xaminosa com grupos no núleo familiar; a falta das desassins; a exaustão energossomática; o con-
gressus subtilis;
o autencapsulamento profilático; o heterencapsulamento cosmoético de infante;
a educação parapsíquica dos infantes; o atuação do amparo extrafísico de função para o desassé-
dio; o heterassédio; a agenda extrafísica; a projeção facilitando as recomposições grupocármicas;
o banho energético confirmatório; a telepatia; a projeção pré-ressoma de familiar; a escolha pré-
ressomática da família nuclear; o encontro projetivo com a parafamília; a discrição parapsíquica;
o epicentrismo energético familiar; a liderança multidimensional; a Ficha Evolutiva Pessoal
(FEP); a Central Extrafísica da Fraternidade (CEF).

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo respeito-acolhimento; o sinergismo das sincronicidades
diárias;
o sinergismo do casal; o sinergismo paternidade-voluntariado-gesconografia; o siner-
gismo artigo-verbete
após apresentação do tema em Seminário de Pesquisa.

Principiologia:
o princípio da assistência prioritária para o ego e grupocarma; o prin-
cípio do exemplarismo pessoal
(PEP) relativo ao respeito aplicado nas relações familiares; o prin-
cípio interassistencial de o menos doente ajudar o mais doente;
o princípio de ninguém evoluir
sozinho;
o princípio da atração entre os afins; o princípio do posicionamento pessoal (PPP);
o princípio cosmoético de não se acumpliciar com o erro identificado; o princípio do devagar
mas sempre
.
Codigologia:
o código pessoal de Cosmoética (CPC); o código grupal de Cosmoética
(CGC) aplicado à família nuclear.
Teoriologia:
a teoria e a prática da interassistencialidade; a teoria das interprisões gru-
pocármicas;
a teoria da evolução em grupo; a teoria da reurbex; a teoria da pacificação íntima;
a teoria do continuum evolutivo; a teoria da seriéxis; a teoria e a prática da evolução conscien-
cial
.
Tecnologia:
a técnica de mais 1 ano de vida intrafísica; a técnica do diário; a técnica da
contagem até 10;
a técnica da fuga estratégica; a técnica do banheiro; a técnica de lavar as mãos
ativando os palmochacras;
a técnica da chuveirada hidromagnética; a técnica da tenepes; a téc-
nica da observação da Natureza;
a técnica da comunicação não violenta; as técnicas da Cons-
ciencioterapia;
a técnica de ouvir tertúlia diariamente; a técnica de ouvir tertúlia ao dirigir aju-
dando na formação de campo interassistencial no veículo; a técnica do diagrama de causa
e efeito
.
Voluntariologia:
o voluntariado conscienciológico; o respeito à família nuclear antagô-
nica ao voluntariado conscienciológico; o voluntariado enquanto laboratório para aquisição de
neoposturas.
Laboratoriologia:
o lar enquanto laboratório conviviológico; o laboratório conscienci-
ológico da Duplologia;
o laboratório conscienciológico da Conviviologia.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Conviviologia; o Colégio Invisível da Grupocarmo-
logia;
o Colégio Invisível dos Cosmoeticistas; o Colégio Invisível dos Educadores; o Colégio In-
visível da Parapedagogia;
o Colégio Invisível da Ressomatologia.
Efeitologia:
o efeito halo do exemplarismo; o efeito desassediador da coerência; o efei-
to esclarecedor das palavras ditas;
o efeito homeostático do trabalho energético; o efeito da
homeostase do casal para os filhos e os pré-humanos;
o efeito nosográfico do auxiliar doméstico
antagônico;
o efeito do barulho doméstico no auto e heterassédio; o efeito assediador do loc
externo;
o efeito deletério das reinvindicações e da taxa afetiva; o efeito da violência doméstica;
o efeito do heterassédio.
Neossinapsologia:
as neossinapses da pacificação íntima; as neossinapses geradas pelo
respeito nos relacionamentos;
as neossinapses desenvolvidas através do convívio com os pets; as
neossinapses criadas pelo exercício da convivialidade familiar sadia
.
Ciclologia:
o ciclo casa-trabalho nas grandes cidades; o ciclo erro-correção-acerto;
o ciclo doença-convalescença-reequilíbrio-assistência; o ciclo plan-do-check-act (PDCA); o ci-
clo define-measure-analyse-improve-control
(DMAIC).
Binomiologia:
o binômio admiração-discordância; o binômio intimidade-desrespeito;
o binômio amor-ódio; o binômio pais-filhos.
Crescendologia:
o crescendo interprisão grupocármica-respeito-libertação-policar-
malidade;
o crescendo respeito próprio-respeito familiar-holorrespeito.
Trinomiologia:
o trinômio mãe-pai-filhos; o trinômio trabalho-estudo-lazer; o trinômio
birra-briga-remorso
.
Antagonismologia:
o antagonismo iscagem inconsciente / iscagem lúcida.
Politicologia:
a conviviocracia; a sociocracia; a belicosocracia; a argumentocracia;
a cosmoeticocracia; a assistenciocracia; a lucidocracia; a meritocracia; a proexocracia; a evolu-
ciocracia.
Legislogia:
a lei de talião; a lei do abuso de autoridade (Lei N. 4.898, de 9 de dezembro
de 1965) aplicada no lar; a lei Maria da Penha (Lei N. 11.340, de 7 de agosto de 2006); as leis do
Estatuto da Criança e do Adolescente
(ECA); as leis do Estatuto do Idoso.

Maniologia:
a mania de apontar os erros; a mania de “se dar a liberdade” para manifes-
tar os pensamentos sem filtros.
Mitologia:
o mito “quem cala consente”; o mito de puxões de orelha e beliscões repa-
rarem a birra infantil;
o mito da família “Doriana”; o mito de a idade poder trazer sabedoria.
Interdisciplinologia:
a Conviviologia; a Familiologia; a Ressomatologia; a Grupocar-
mologia; a Duplologia; a Cosmoeticologia; a Conscienciologia; a Reeducaciologia; a Intermissio-
logia; a Interassistenciologia; a Evoluciologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
os familiares energívoros; os familiares eletronóticos; a conscin lúcida;
a conscin isca inconsciente; o evoluciente; a dupla evolutiva; a isca humana lúcida; o ser interas-
sistencial; a conscin enciclopedista; o ser desperto.

Masculinologia:
o infante; o idoso; o pai; o filho; o parente; o visitante; o perdulário
consciencial; o narcisista; o violento; o bêbado; o intermissivista; o conscienciólogo; o conscien-
cioterapeuta; o conviviólogo; o duplista; o professor; o reeducador; o evoluciente; o exemplarista;
o autodecisor; o intelectual; o escritor; o reciclante existencial; o inversor existencial; o maxidissi-
dente ideológico; o parapsíquico; o tenepessista; o pesquisador; o projetor consciente; o sistema-
ta; o tertuliano; o teletertuliano; o verbetógrafo; o voluntário; o tocador de obra; o homem de
ação.

Femininologia:
a infante; a idosa; a mãe; a filha; a parente; a visitante; a perdulária
consciencial; a narcisista; a violenta; a bêbada; a intermissivista; a consciencióloga; a conscienci-
oterapeuta; a convivióloga; a duplista; a professora; a reeducadora; a evoluciente; a exemplarista;
a autodecisora; a intelectual; a escritora; a reciclante existencial; a inversora existencial; a maxi-
dissidente ideológica; a parapsíquica; a tenepessista; a pesquisadora; a projetora consciente; a sis-
temata; a tertuliana; a teletertuliana; a verbetógrafa; a voluntária; a tocadora de obra; a mulher de
ação.

Hominologia:
o Homo sapiens grupocarmicus; o Homo sapiens affectuosus; o Homo
sapiens maxifraternus;
o Homo sapiens cosmoethicus; o Homo sapiens truculentus; o Homo sa-
piens abusor;
o Homo sapiens acriticus; o Homo sapiens recyclans.

V. Argumentologia

Exemplologia:
minirrespeito intrafamiliar = aquele catalisando o desenvolvimento da
afetividade sadia; maxirrespeito intrafamiliar = aquele valorizando a afetividade, as ideias e as
singularidades conscienciais de cada membro do núcleo familiar.

Culturologia:
a cultura do amortecimento cerebral televisivo; a cultura do culto aos
modismos;
os idiotismos culturais no lar.

Tabelologia.
Eis, por exemplo, 9 cotejos entre o paradigma cartesiano e paradigma
consciencial, envolvendo aspectos relativos ao respeito intrafamiliar:

Tabela - Respeito Intrafamiliar no Contexto do Paradigma Cartesiano versus
Paradigma Consciencial


N
os
Paradigma Cartesiano Paradigma Consciencial

1.
Memória do familiar falecido

Holomemória da consciência multimi-
lenar


N
os
Paradigma Cartesiano Paradigma Consciencial

2.
Leis intrafísicas Código grupal de Cosmoética

3.
Integridade física e saúde dos
familiares
Integridade holossomática e pensênica
dos compassageiros evolutivos

4.
Adequação ao modus vivendi familiar
Reconhecimento das necessidades
evolutivas individualíssimas

5.
Condição socioeconômica e cultural
Ficha Evolutiva Pessoal
(FEP)
6.
Sobrevivência Proéxis

7.
Casamento Duplismo evolutivo

8. Gestação somática (gessom) Gestação consciencial (gescon)
9.
Patrimônio familiar Megagescon grupal

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com o respeito intrafamiliar, indicados para a expansão das
abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Antimaternidade sadia: Invexologia; Homeostático.
02. Autoposicionamento conciliador: Conviviologia; Homeostático.
03. Autorreeducação pela assistência familiar: Recinologia; Homeostático.
04. Autossuperação do assédio intrafamiliar: Autossuperaciologia; Homeostático.
05. Central Extrafísica da Fraternidade: Cosmovisiologia; Homeostático.
06. Convivência familiar sadia: Conviviologia; Homeostático.
07. Desordem familiar: Interprisiologia; Nosográfico.
08. Duplista: Duplologia; Homeostático.
09. Educação financeira precoce: Reeducaciologia; Neutro.
10. Família afetiva: Paradireitologia; Homeostático.
11. Família nuclear conscienciológica: Grupocarmologia; Homeostático.
12. Interação comunicação-parapedagogia: Parapedagogiologia; Homeostático.
13. Profilaxia da violência doméstica: Paradireitologia; Homeostático.
14. Respeito: Conviviologia; Homeostático.
15. Síndrome do abandono parental: Anticonviviologia; Nosográfico.

O
RESPEITO INTRAFAMILIAR, BASE DA CONVIVIALIDADE
GRUPAL SADIA E PRÉ-REQUISITO PARA A INTERASSIS-
TENCIALIDADE, COMEÇA COM A VALORIZAÇÃO DA MANI-
FESTAÇÃO PENSÊNICA E HOLOSSOMÁTICA PESSOAL.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, respeita a si mesmo(a) e aos familiares? Consi-
dera autoqualificar-se de modo a expandir a interassistência para fora do umbigão e do círculo da
família nuclear?

Bibliografia Específica:


1. Arakaki, Kátia; Antibagulhismo Energético; Manual; revisores Erotides Louly; Flávio Buononato; & San-
dra Tornieri; 190 p.; 23 caps.; 13 citações; 50 enus.; 1 questionário; glos.; 99 termos; 110 refs.; 2 filmes; 2 programas tele-
visivos; 1 curiosidade; alf.; 21 x 21 cm; br.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2015; página 41 a 43.

2. Guimarães, Rafael; Conquista do Respeito Intrafamiliar pela Autoconsciencioterapia; Artigo; Conscien-
tiotherapia;
Revista; Anuário; Ano 7; N. 7; 1 E-mail; 2 enus.; 4 esquemas; 3 tabelas; 1 esquema; 12 refs.; 2 website; Or-
ganização Internacional de Consciencioterapia
(OIC); Foz do Iguaçu; PR; Setembro, 2018; páginas 91 a 101.
3. Rosenberg, Marshall B.; Nonviolent Communication: A Language of Life; XIII + 220 p.; 13 caps.; epílo-
go; 10 refs.; 21 x 14 cm.; br.; 2
a
Ed.; August, 2003; EUA; páginas 1 a 116.
4. Vieira, Waldo; Léxico de Ortopensatas; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 2 Vols.; 1.800
p.; Vols. 1 e 2; 1 blog; 652 conceitos analógicos; 22 E-mails; 19 enus.; 1 esquema da evolução consciencial; 17 fotos;
glos. 6.476 termos; 1. 811 megapensenes trivocabulares; 1 microbiografia; 20.800 ortopensatas; 2 tabs.; 120 técnicas lexi-
cográficas; 19 websites; 28,5 x 22 x 10 cm; enc.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2014; páginas
125, 848, 924 e 1.569.
5. Idem; 700 Experimentos da Conscienciologia; 1.058 p.; 40 seções; 100 subseções; 700 caps.; 147 abrevs.;
1 cronologia; 100 datas; 1 E-mail; 600 enus.; 272 estrangeirismos; 2 tabs.; 300 testes; glos. 280 termos; 5.116 refs.; alf.;
geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Instituto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1994; páginas 649 e 684.

R. G. P.