Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


PODER PROÉXICO

(AUTODISCERNIMENTOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
O poder proéxico é o estado, condição ou capacidade de a conscin, homem
ou mulher, realizar ou vivenciar com magnitude as cláusulas definidas no Curso Intermissivo (CI)
pré-ressomático, potencializando cosmoeticamente os feitos singulares e exemplaristas da auto-
programação existencial em prol da maxiproéxis grupal.
Tematologia.
Tema central homeostático.
Etimologia.
O vocábulo poder vem do idioma Latim, possum, “poder; ter o poder de; ser
capaz de”. Surgiu no Século XIII. O termo programação deriva do mesmo idioma Latim, pro-
gramma,
“publicação por escrito; edital; cartaz”, e este do idioma Grego, prógramma, “ordem do
dia; inscrição”. Apareceu no Século XX. A palavra existencial procede do idioma Latim Tardio,
existentialis,
“existencial; relativo ao aparecimento”, de existere, “aparecer, nascer; deixar-se ver;
mostrar-se; apresentar-se; existir; ser; ter existência real”. Surgiu no Século XIX.
Sinonimologia:
1. Força proéxica. 2. Potência proéxica. 3. Poderio proexológico.
Neologia.
As 4 expressões compostas poder proéxico, minipoder proéxico, maxipoder
proéxico
e megapoder proéxico são neologismos técnicos da Autodiscernimentologia.
Antonimologia:
1. Fraqueza antiproéxica. 2. Fragilidade proexofóbica. 3. Inibição
proexológica.
Estrangeirismologia:
os ensaios ao podium proéxico; o Proexarium.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto ao potencial proéxico pessoal.
Megapensenologia.
Eis 2 megapensenes trivocabulares relativos ao tema: - Proéxis re-
ciclam poderes
. Maxiproéxis reeducam grupos.
Coloquiologia:
aquilo que é seu vem para você.
Ortopensatologia:
- “Intermissivistas. - Em toda a História Terrestre milenar, os
intermissivistas têm, pela primeira vez, o poder de fazer desta a melhor geração da Humanidade,
paradoxalmente, em pleno desenvolvimento da Reurbexologia e da Paratransmigraciologia.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal do autempoderamento proexológico; o holopen-
sene pessoal do refinamento autoproéxico; os contrapensenes; a contrapensenidade; os grupopen-
senes; a grupopensenidade; o holopensene do grupo coeso potencializando a tares interdimensio-
nal; os ortopensenes; a ortopensenidade; o prumo ortopensênico no cotidiano maxiproéxico.

Fatologia:
o poder proéxico; o potencial evolutivo do proexista; o poder consciencial do
intermissivista; a tenacidade proexológica; as derivações grupais decorrentes da vitalidade auto-
proéxica; a fortaleza da autoproéxis expressa na envergadura cosmoética do intermissivista; o po-
der do autodiscernimento; o primeiro discernimento; a autodisponibilidade nas raias da maxiproé-
xis grupal; as Instituições Conscienciocêntricas (ICs); a ancoragem institucional fortalecendo
o vínculo consciencial; as prerrogativas pessoais intransferíveis; o desimpedimento intrínseco;
a autautoridade vivencial; a referência cosmoética; o valor da autassunção proéxica; a força da au-
tovivência intransferível; o vigor das autoposturas evolutivas; a capitalização consciencial pela si-
metria proexológica; os indicadores proéxicos pessoais; os aportes proexológicos vitalícios; o fato
de o somatório de esforços evolutivos depender da consciência gregária cosmoética; o poder da
imunidade cosmoética; a representatividade grupal; os indícios das retrovidas presentes na atual
vida proéxica; o arrojo pessoal exemplarista; a acumulação exaustiva dos exemplos pessoais; os
aportes evolutivos ociosos; a versatilidade do intermissivista podendo ser travão pela dispersão
consciencial; a vaidade intelectual; a desconfiança nociva; o orgulho parapsíquico; o autodistan-

ciamento dos ditames do CI; a oportunidade menosprezada; a oportunidade minimizada; o Para-
dever; o ato de pensar grande; a pluralidade de procedências e paraprocedências; a defasagem de
carga de convivialidade e afinidades; a autoconfiança potencializando a heteroconfiança; a com-
preensibilidade das cláusulas autoproéxicas conjugadas à maxiproéxis; o respeito à proéxis alheia;
a união pelos trafores; as neopossibilidades evolutivas a partir do CI; a união a partir da intrans-
feribilidade proéxica individualíssima; a inteligência evolutiva (IE) à prova; o deleite da vida pro-
exogênica na Cognópolis; a harmonia grupal a partir do megafoco maxiproéxico; o êxito da assis-
tência especializada em grupo ratificando o poder proéxico.

Parafatologia:
o exemplarismo tarístico interdimensional fortalecendo o poder proéxico
grupal; a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; o poder proéxico evidenciado pelo
amparo extrafísico; o nível de amparabilidade extrafísica expressando a responsabilidade tarística
grupal; o poder proéxico manifestado pelas parassincronicidades interassistenciais; a força para-
presencial do proexista lúcido; o parapsiquismo intelectual qualificando as competências proéxi-
cas; a paraperceptibilidade ampliando a cosmovisão proexológica; a força das holobiografias pes-
soais e grupais; os retrotraumas individuais exigindo recins grupais; as hipóteses retrobiográficas
reafirmando as autorresponsabilidades; a convergência de parassincronicidades apontando o vigor
proéxico pessoal; os ditames do Curso Intermissivo pré-ressomático embasando a vida matemá-
tica; a desperticidade qualificando o poder consciencial; a vivência multidimensional da Magna-
nimologia Maxiproéxica.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo autoproéxis-maxiproéxis; o sinergismo cosmoético Tea-
ticologia-Verbaciologia;
o sinergismo autoconfiança-heteroconfiança; o sinergismo reurbexoló-
gico Interlúdio-Cognópolis
.
Principiologia:
o princípio da inseparabilidade grupocármica.
Codigologia:
as renovações pessoais e grupais derrogando em definitivo os resquícios
do código de Hamurabi; a vivência lúcida do código pessoal de Cosmoética (CPC) embasando
o código grupal de Cosmoética (CGC).
Teoriologia:
a desamarração gradativa dos grilhões da teoria das interprisões grupocár-
micas
.
Tecnologia:
a técnica do sobrepairamento autodesassediador.
Voluntariologia:
o autocomprometimento teático no voluntariado libertário.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Autevoluciologia.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Cosmoeticologia; o Colégio Invisível dos Proexó-
logos
.
Efeitologia:
o efeito das escolhas evolutivas; o efeito dos retroacertos pessoais na ex-
tensão da autoproéxis;
o efeito halo da conduta exemplarista cosmoética; o efeito da autoproéxis
no completismo maxiproéxico grupal
.
Neossinapsologia:
a vivência lúcida das neossinapses dos cons magnos recuperados;
a compreensão teática do poder proéxico criando neossinapses evolutivas.
Ciclologia:
o valor do êxito do ciclo planejar na dimensão extrafísica individualmente-
-realizar na dimensão intrafísica grupalmente
.
Enumerologia:
a autopesquisa proéxica; o autenfrentamento proéxico; a autassunção
proéxica; a autodedicação proéxica; a autovivência proéxica; a autopotencialização proéxica;
a autorresponsabilidade maxiproéxica.
Binomiologia:
o binômio poder proéxico-inteligência evolutiva; o binômio exigências
individuais-responsabilidades grupais;
o binômio admiração-discordância; o binômio vontade-
-determinação;
o binômio poder proéxico-prestígio cosmoético; o binômio poder consciencial-
-poder proéxico;
o binômio princípio da autevolução inarredável-princípio do autesforço in-
substituível
.

Interaciologia:
a interação aportes existenciais-diretrizes da autoproéxis; a interação
dos recebimentos das ferramentas úteis à proéxis;
a interação pessoa física-pessoa jurídica;
a interação poder proéxico-modéstia.
Crescendologia:
o crescendo recebimentos-retribuições; o crescendo CI pré-ressomáti-
co-CI pós-dessomático;
o crescendo força presencial-força parapresencial; o crescendo holo-
cármico egocarmalidade-grupocarmalidade-policarmalidade
.
Trinomiologia:
o trinômio cooperação-consenso-igualdade; a erradicação do trinômio
poder-posição-prestígio;
o trinômio intercompreensão-intercooperação-interassistência; o trinô-
mio prudência-cautela-modéstia;
o trinômio vontade-intenção-autorganização.
Polinomiologia:
o polinômio CI-proéxis-maxiproéxis-compléxis.
Antagonismologia:
o antagonismo poder proéxico / poder egocêntrico; o antagonismo
autempoderamento / subjugação;
o antagonismo proatividade / improdutividade; o antagonismo
flexibilidade proéxica / dispersividade antiproéxica;
o antagonismo proéxis desconhecida / proé-
xis assumida;
o antagonismo proéxis negligenciada / compléxis; o antagonismo poder de plane-
jar / poder de realizar
.
Paradoxologia:
o paradoxo de o poder proéxico também ser temporal; o paradoxo de
ninguém ser insubstituível contudo ser inigualável
.
Politicologia:
a meritocracia; a lucidocracia; a conscienciocracia; a proexocracia.
Legislogia:
as leis da proéxis; a lei da grupocarmalidade na orientação dos evolució-
logos na proéxis.
Filiologia:
a neofilia; a proexofilia; a cogniciofilia; a reciclofilia; a conviviofilia; a gre-
gariofilia; a evoluciofilia.
Sindromologia:
a eliminação da síndrome da pré-derrota.
Maniologia:
a superação da fracassomania.
Mitologia:
o mito da autoproéxis sem autesforço; o mito da autoproéxis inacessível.
Holotecologia:
a discernimentoteca; a prioroteca; a recexoteca; a mentalsomatoteca;
a convivioteca; a assistencioteca; a proexoteca; a evolucioteca.
Interdisciplinologia:
a Autodiscernimentologia; a Maxiproexologia; a Autoproexologia;
a Cosmoeticologia; a Autopriorologia; a Intermissiologia; a Intrafisicologia; a Parapoliticologia;
a Autodeterminologia; a Voliciologia; a Evoluciologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassisten-
cial; a conscin enciclopedista; a consciência assistível.

Masculinologia:
o acoplamentista; o agente retrocognitor; o amparador intrafísico;
o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista; o intermissivista inadaptado; o inter-
missivista retardatário; o cognopolita; o compassageiro evolutivo; o completista; o comunicólogo;
o conscienciografologista; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o consciencioterapeuta; o ma-
crossômata; o conviviólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólogo; o reeducador;
o epicon lúcido; o escritor; o evoluciente; o exemplarista; o intelectual; o reciclante existencial;
o inversor existencial; o maxidissidente ideológico; o tenepessista; o ofiexista; o parapercepciolo-
gista; o pesquisador; o projetor consciente; o sistemata; o teletertuliano; o tertuliano; o verbetó-
logo; o voluntário; o evoluciólogo.

Femininologia:
a acoplamentista; a agente retrocognitora; a amparadora intrafísica;
a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a intermissivista inadaptada; a inter-
missivista retardatária; a cognopolita; a compassageira evolutiva; a completista; a comunicóloga;
a conscienciografologista; a consciencióloga; a conscienciometra; a consciencioterapeuta; a ma-
crossômata; a convivióloga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a reeducadora;
a epicon lúcida; a escritora; a evoluciente; a exemplarista; a intelectual; a reciclante existencial;
a inversora existencial; a maxidissidente ideológica; a tenepessista; a ofiexista; a parapercepciolo-

gista; a pesquisadora; a projetora consciente; a sistemata; a teletertuliana; a tertuliana; a verbetó-
loga; a voluntária; a evolucióloga.

Hominologia:
o Homo sapiens proexista; o Homo sapiens assistens; o Homo sapiens
cosmoethicus;
o Homo sapiens fraternus; o Homo sapiens sacrificator; o Homo sapiens priorita-
rius;
o Homo sapiens scriptor; o Homo sapiens completista; o Homo sapiens cosmovisiologus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
minipoder proéxico = aquele do intermissivista jejuno, ainda com baixa
recuperação de cons, recém-chegado; maxipoder proéxico = aquele do intermissivista experiente
e empenhado, próximo do compléxis; megapoder proéxico = aquele do conscienciólogo veterano,
com alto grau de recuperação de cons, com magnoproéxis e maximorexista.

Culturologia:
a cultura da ortopriorização.

Poder.
Atinente à Holobiografologia, as relações conscienciais com o poder são multi-
milenares e díspares.
Evolução.
Ao longo do ciclo evolutivo, por exemplo, tendem a ocorrer à consciência
pelo menos 3 tipos de interesses e valores referentes ao poder, expostos na ordem lógica:
1. Dominação: o poder sobre; próprio da política e convenções humanas mais comuns,
vincado na fôrma holopensênica de lideranças pretéritas; a sede de poder; a síndrome da domi-
nação
.
2. Inclusão: o poder de; presente nas lutas de classes, gêneros e minorias, próprio da
conscientização rudimentar dos direitos e liberdades individuais; o ativismo político.
3. Libertação: o poder intraconsciencial; ínsito às consciências mais lúcidas e auto-
conscientes quanto à liderança cosmoética, prioritária para a tares policármica e a evolução; o au-
topoder consciencial; a Interassistenciologia.

Proexologia.
Consoante a Evoluciologia, a partir do Curso Intermissivo, a consciência
passa a refletir sobre os retroerros pessoais, interessando-se pelas soluções evolutivas, culmi-
nando na programação existencial personalíssima, a ser vivenciada na próxima ressoma.
Autodiscernimento.
Considerando a Cosmoeticologia, vale o esforço em prol da teática
do autodiscernimento, buscando ampliar o nível de coerência pessoal e de simetria proexológica.
Autopesquisologia.
Segundo a Paralegislogia, eis, por exemplo, em ordem alfabética,
10 leis da proéxis seguidas de questões contraponteadas por apreensões sadias e hábitos pessoais
nocivos, a serem analisadas pelos interessados na autossuperação existencial, rumo ao completis-
mo grupal:
01. Lei da adaptabilidade da proéxis. Vivencio o autabertismo às renovações conscien-
ciais e expansões existenciais ou mantenho o hábito nocivo da neofobia pessoal paralisante?
02. Lei da interassistencialidade da proéxis. Vivencio o reconhecimento autevolutivo
e gratidão aos amparadores extrafísicos ou mantenho o hábito nocivo do queixume cronicificado?
03. Lei da compatibilidade da proéxis. Vivencio o autenfrentamento das inseguranças
pessoais ou mantenho o hábito nocivo da esquiva aos paradeveres?
04. Lei da cosmoeticidade da proéxis. Vivencio a autocosmoeticidade diuturnamente,
condizente com a autoproéxis, ou mantenho o hábito nocivo da autocorruptibilidade?
05. Lei da exclusividade da proéxis. Vivencio a assunção da singularidade pessoal ou
mantenho o hábito
nocivo das heterocomparações amauróticas?
06. Lei da exequibilidade da proéxis. Vivencio o otimismo da factibilidade proéxica ou
mantenho o hábito
nocivo autovitimizante da pré-derrota?
07. Lei da invulgaridade da proéxis. Vivencio as benesses da identificação de autopecu-
liaridades traforistas ou mantenho o hábito nocivo das equiparações ectópicas improdutivas?
08. Lei da interatividade da proéxis. Vivencio a autocompetitividade qualificadora das
interrelações grupais ou mantenho o hábito nocivo de fechadismo e desconfiança assediadora?

09. Lei da intercooperatividade da proéxis. Vivencio a magnanimidade da cooperação
interpares ou mantenho o hábito nocivo do egoísmo provedor de dependências espúrias?
10. Lei da intransferibilidade da proéxis. Vivencio o papel proéxico pessoal intransferí-
vel ou mantenho o hábito nocivo da terceirização das próprias responsabilidades?

Benesses.
O poder proéxico pode ser usufruído pelo intermissivista na proporção direta
do próprio CPC teático, sob o olhar e a supervisão inequívoca dos amparadores extrafísicos de
função. Vivenciar o poder proéxico é capitalizar o autopoder consciencial.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com poder proéxico, indicados para a expansão das abor-
dagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Acerto grupocármico: Grupocarmologia; Homeostático.
02. Autocomprometimento: Proexologia; Neutro.
03. Autopotencialização: Evoluciologia; Homeostático.
04. Autorrendimento evolutivo: Autevoluciologia; Homeostático.
05. Convergência de megainteresses: Pararreurbanologia; Homeostático.
06. Função do intermissivista: Proexologia; Neutro.
07. Lei da proéxis: Proexologia; Homeostático.
08. Maxiproéxis: Maxiproexologia; Homeostático.
09. Poder de realização: Autodeterminologia; Neutro.
10. Política autevolutiva: Parapoliticologia; Homeostático.
11. Potencial consciencial: Intraconscienciologia; Neutro.
12. Potencialização evolutiva: Evoluciologia; Homeostático.
13. Reagrupamento evolutivo: Evoluciologia; Homeostático.
14. Somatório de esforços: Maxiproexologia; Neutro.
15. Subsunção proexológica: Maxiproexologia; Neutro.

O
PODER PROÉXICO É MEGAFORÇA EVOLUTIVA DO IN-
TERMISSIVISTA, EXIGINDO AUTODISCERNIMENTO QUANTO
A CONVERGÊNCIAS DE INTERESSES, TRAÇOS
E COMPE-
TÊNCIAS PESSOAIS,
EM PROL DA MAXIPROÉXIS GRUPAL.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, na condição de intermissivista, já refletiu sobre
o poder proéxico? Quais esforços vem mantendo para maximizar as realizações pessoais, únicas
e singulares, visando o completismo grupal?

Bibliografia específica:

1. Daou, Dulce; Paradiplomacia e Convergência de Interesses; Artigo; Conscientia; Revista; Trimestral;
Vol. 10; N. 3; Seção: Temas da Conscienciologia; 1 E-mail; 15 enus.; 1 nota; 14 refs.; Associação Internacional do
Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; Julho-Setembro, 2006; páginas 258 a 266.
2. Vieira, Waldo; Léxico de Ortopensatas; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 2 Vols.; 1.800
p.; Vols. 2; 1 blog; 652 conceitos analógicos; 22 E-mails; 19 enus.; 1 esquema da evolução consciencial; 17 fotos; glos.
6.476 termos; 1.811 megapensenes trivocabulares; 1 microbiografia; 20.800 ortopensatas; 2 tabs.; 120 técnicas lexicográ-
ficas; 19 websites; 28,5 x 22 x 10 cm; enc.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2014; páginas 306
e 909.

D. D.