Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


INTERNACIONALIZAÇÃO DA CONSCIENCIOLOGIA

(POLICARMOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A internacionalização da Conscienciologia é o conjunto de ações destina-
das à comunicação, explanação, divulgação, propagação, elucidação, esclarecimento e expansão,
em âmbito mundial, das especialidades, técnicas e paratécnicas interassistenciais da Ciência das
Ciências,
com o objetivo de reunir os egressos de Cursos Intermissivos (CI) pré-ressomáticos
e outras conscins predispostas à tares.
Tematologia.
Tema central homeostático.
Etimologia.
O vocábulo internacional provém do idioma Francês, international, e do
idioma Inglês, international, “internacional”. Apareceu em 1858. O termo consciência deriva do
idioma Latim, conscientia, “conhecimento de alguma coisa comum a muitas pessoas; conheci-
mento; consciência; senso íntimo”, e este do verbo conscire, “ter conhecimento de”. Surgiu no
Século XIII. O elemento de composição logia procede do idioma Grego, lógos, “Ciência; Arte;
tratado; exposição cabal; tratamento sistemático de 1 tema”.
Sinonimologia:
1. Expansão internacional da Conscienciologia. 2. Difusão internacio-
nal da Conscienciologia. 3. Transnacionalização conscienciológica. 4. Divulgação transfronteiri-
ça da Conscienciologia. 5. Projeção conscienciológica internacional. 6. Abertismo consciencio-
lógico internacional. 7. Mundialização da Conscienciologia. 8. Universalização da Consciencio-
logia.
Cognatologia.
Eis, na ordem alfabética, 11 cognatos derivados do vocábulo internacio-
nal: internacionalidade; internacionalismo; internacionalista; internacionalística; internaciona-
lístico; internacionalização; internacionalizada; internacionalizado; internacionalizante; inter-
nacionalizar; internacionalizável
.
Neologia.
As 3 expressões compostas internacionalização da Conscienciologia, interna-
cionalização básica da Conscienciologia
e internacionalização avançada da Conscienciologia
são neologismos técnicos da Policarmologia.
Antonimologia:
1. Restringimento da Conscienciologia. 2. Limitação da Consciencio-
logia. 3. Bairrismo conscienciológico. 4. Nacionalização conscienciológica.
Estrangeirismologia:
o kick-off policármico; a interassistência cross borders, a interas-
sistência without borders; a interassistência customized; a evitação de empire building; os efeitos
da consciential revolution; a clarification task worldwide; o melting pot cultural.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à responsabilidade assistencial internacional.
Megapensenologia.
Eis 4 megapensenes trivocabulares relativos ao tema: - Viagens
aproximam consciências. Itinerâncias abrem caminhos. Internacionalização: ensaio pré-inter-
missivo. Intercompetição, não. Intercooperatividade.


II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal da internacionalização da Conscienciologia; o ho-
lopensene pessoal da tares policármica; o holopensene pessoal da interassistencialidade; o mater-
pensene pessoal assistencial; os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade; os prioropensenes;
a prioropensenidade; os cosmopensenes; a cosmopensenidade; o materpensene institucional;
o holopensene institucional; o holopensene do local de assistência; o holopensene do ambiente
dos trabalhos tarísticos; o holopensene da tares internacional; o holopensene da reurbanização
planetária.

Fatologia:
a internacionalização da Conscienciologia; as ações associadas com a expan-
são da Neociência Conscienciologia; a itinerância internacional; os debates conscienciológicos

públicos e abertos, em várias línguas; os artigos conscienciológicos publicados em vários idio-
mas; as publicações em revistas internacionais; as traduções de livros conscienciológicos em di-
versos idiomas; a abertura e incentivo de intercâmbios conscienciológicos; os intercâmbios inte-
lectuais entre diversas linhas de conhecimento e da Conscienciologia; as parcerias de longo prazo
entre as Instituições Conscienciocêntricas (ICs) trabalhando na frente internacional; a cooperação
cosmoética entre ICs; o compartilhamento de escritório em locais internacionais; os recursos
conscienciológicos open source; os recursos conscienciológicos compartilhados; as conexões in-
ternacionais gerando novos pólos da Conscienciologia; a contínua formação de novas ramifica-
ções; os campi conscienciológicos; o amadurecimento e difusão das subespecialidades da Consci-
enciologia; as estratégias para facilitar a expansão natural da Conscienciologia e respectivas su-
bespecialidades; a autossustentabilidade das ICs no âmbito internacional; a transparência admi-
nistrativo-financeira entre ICs; o duplo vínculo; o equilíbrio saudável entre as necessidades intra-
físicas e a dedicação aos esforços interassistenciais; os escritórios virtuais; os escritórios perma-
nentes; os representantes individuais; a evitação da centralização do poder e consequente desvio
da proposição essencial da Megafilosofia Conscienciológica; a superação do hábito antiquado de
territorialidade humana; a profilaxia da monetização da Conscienciologia; a importância funda-
mental da recin continuada; a necessidade de autocrítica saudável e contínua; o exercício da criti-
cidade cosmoética preservando a saúde da IC; a evitação dos antagonismos entre conscins
gerados pela imposição do modo de pensar de determinada mesologia; as dinâmicas parapsíqui-
cas; o poliglotismo enquanto chave para interassistência mais ampla; a adaptação do formato
e duração dos cursos de Conscienciologia às diferentes mesologias; a identificação de locais
adequados para as atividades; a profilaxia da subjugação consciencial; a intercooperatividade em
vez de intercompetição; o sotaque diferente; a megavontade aplicada ao calculismo cosmoético;
a anticonflitividade; a diplomacia na prática; a coerência e lealdade para com as diretrizes e orien-
tações das ICs; a didática das aulas, palestras e outras atividades tarísticas; a atualização continua-
da das verpons; a condução da vida com sabedoria integrada; a atuação da tares; o exemplarismo
pessoal, multidimensional, internacional; os 6 continentes habitados por seres humanos; as tradu-
ções interassistenciais; a iniciativa interassistencial; a proatividade tarística internacional; a que-
bra de fronteiras interassistenciais; a biblioitinerância interassistencial na África; a doação interas-
sistencial internacional; a cosmovisão interassistencial; a preparação para liderança interassisten-
cial na próxima intermissão.

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a ação do link pes-
soal holocármico mais fundamental entre consciências; a expansão internacional do desassédio;
o funcionamento da tenepes em base física temporária (itinerância) ou permanente (radicação
vitalícia); a atuação do agente retrocognitivo; os grupos das consciexes acompanhando os cursos
conscienciológicos na condição de alunos extrafísicos; a Paradiplomacia na prática; a mudança do
campo energético com a chegada de cada aluno; a paradidática das aulas, palestras e outras ativi-
dades tarísticas extrafísicas; os parafatos orientando a internacionalização; a priorização interas-
sistencial multiexistencial dirigindo a internacionalização.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo trafares superados-exemplarismo cosmoético; o siner-
gismo das energias conscienciais
(ECs) do grupo afim; o sinergismo pessoa certa-lugar certo-
-tempo certo;
o sinergismo palavra verponológica-memória intermissiva; o sinergismo assinatu-
ra holopensênica tarística-assistência multidimensional;
o sinergismo erudição-poliglotismo;
o sinergismo empatia-acolhimento dialógico; o sinergismo timing do assistente-timing do assis-
tido;
o sinergismo cosmovisão holobiográfica-expansão interassistencial; o sinergismo corre-
ção-ampliação-qualificação
.
Principiologia:
o princípio da interassistencialidade global; o princípio consciencial;
o trabalho contínuo com os princípios fundamentais da Conscienciologia; o princípio da descren-
ça
(PD); o princípio da afinidade consciencial; o princípio evoluído de quem aprende deve ensi-

nar;
o princípio do exemplarismo pessoal (PEP); o princípio do Universalismo; o princípio da in-
terassistencialidade;
o princípio da interdependência evolutiva entre os princípios conscienciais.
Codigologia:
o código pessoal de conduta na itinerância tarística; os códigos internaci-
onais de comunicação;
o código da megafraternidade; a teática do código pessoal de Cosmoética
(CPC) promovendo a franqueza educada, calculada e terapêutica na sala de aula; o código grupal
de Cosmoética
(CGC) estipulando as regras de convivência interconscienciais; os códigos grupais
libertários;
o respeito aos diversos códigos sociais.
Teoriologia:
a teoria das relações interculturais; a teoria do auto e heterodesassédio;
a teoria da evocação pensênica; a teoria das seriéxis evidenciando a necessidade de melhoria da
História Pessoal; a teoria da imperturbabilidade fundamentando acertos grupocármicos; a teoria
e a prática da interassistencialidade;
a teoria da inseparabilidade grupocármica; a teoria da re-
urbex;
a teoria da desrepressão consciencial; a teoria de o holopensene de determinada subespe-
cialidade da Conscienciologia poder ser melhor aceita em algumas culturas
.
Tecnologia:
a aplicação de técnicas energéticas de desassimilação; as técnicas da Para-
diplomacia
.
Voluntariologia:
o voluntariado interassistencial nas Instituições Conscienciocêntricas
(ICs); a autossustentabilidade energética dos voluntários; o desenvolvimento pessoal dos volun-
tários através de reciclagens intraconscienciais e existenciais;
a implantação e manutenção de
interdependência saudável entre voluntários;
o estabelecimento da carreira profissional do vo-
luntário como prioridade;
a autonomia e independência financeira do voluntário; o voluntariado
teático da tares;
o voluntariado na docência tarística; a evitação do acriticismo do voluntariado;
o voluntariado conscienciológico oportunizando o autexemplarismo, a interassistência, a tares
e a reparação grupocármica multidimensional
.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico Serenarium; o laboratório consci-
enciológico da proéxis;
o laboratório conscienciológico da Grupocarmologia; o laboratório
conscienciológico da Pensenologia;
o laboratório conscienciológico das retrocognições; o labo-
ratório conscienciológico do EV;
o laboratório conscienciológico da diferenciação pensênica;
o laboratório conscienciológico da Evoluciologia.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Proexologia; o Colégio Invisível da Interassistenci-
ologia;
o Colégio Invisível da Intermissiologia; o Colégio Invisível da Comunicologia; o Colégio
Invisível da Grupocarmologia;
o Colégio Invisível da Experimentologia; o Colégio Invisível da
Pararreurbanologia
.
Efeitologia:
o efeito no holocarma das itinerâncias docentes internacionais; o efeito do
exemplarismo pessoal de poucos sobre a evolução de muitos;
os efeitos evolutivos dos acúmulos
da interassistencialidade teática;
os efeitos do agente retrocognitor; os efeitos colaterais das pa-
lavras;
os efeitos surpreendentes das ações tarísticas; o efeito da recin pessoal na equipex; os
efeitos da autodisponibilidade interassistencial ao honrar os convites providenciais;
o efeito de
saber mais do passado na melhoria do futuro
.
Neossinapsologia:
as neossinapses geradas pelo contato com novas culturas; as neossi-
napses advindas com a docência conscienciológica internacional;
a geração de neossinapses ala-
vancadoras da proéxis;
as neossinapses necessárias ao aprendizado de novos idiomas e à recu-
peração de cons idiomáticos de retrovidas;
a comunicação impactante cosmoética geradora de
neossinapses antifossilizadoras;
as verpons produzindo a geração de neossinapses; as neossina-
pses focadas no abertismo consciencial;
as neossinapses do neoparadigma consciencial.
Ciclologia:
o ciclo de aprendizagem do novo idioma; o ciclo erro-correção-acerto;
o ciclo passado-presente-futuro; o ciclo causa-efeito; o ciclo ignorar-errar-recompor-aprender-
-ensinar;
o ciclo sadio da comunicação coronochacra-frontochacra-laringochacra; o ciclo multi-
existencial pessoal
(CMP); o ciclo de desconstrução de retroideias; os ciclos de palestras das
ICs;
o ciclo encontro-desencontro-reencontro; o ciclo de neoideias conscienciológicas; o ciclo
alternante ensinar-aprender;
o ciclo ascensão-queda dos poderios anticosmoéticos; o ciclo inte-
rexistencial sementeira intrafísica-colheita intermissiva-recolheita intrafísica;
o ciclo exposição-
-refutação-reformulação
.

Enumerologia:
a internacionalização terapêutica; a internacionalização autevolutiva;
a internacionalização interassistencial; a internacionalização cosmoética; a internacionalização
libertária; a internacionalização predeterminada pelo CI; a internacionalização irresistível.
Binomiologia:
o binômio pensar global-agir global; o binômio nacional-internacional;
o binômio saúde individual-saúde organizacional; o binômio autossustentabilidade individual-
-autossustentabilidade organizacional;
a importância do binômio autocrítica-heterocrítica; o bi-
nômio monoglota-poliglota;
o binômio reciclagem intraconsciencial-exemplarismo pessoal; o bi-
nômio itinerância internacional-estudos idiomáticos;
o binômio linguagem-cultura; o binômio
abordagem intrafísica-abordagem extrafísica;
o binômio flexibilidade cognitiva-megafraterni-
dade;
o binômio conviver-entender; o binômio admiração-discordância; o binômio Mega-Hospi-
tal Terrestre-Megaescola Terrestre;
o binômio reurbanização extrafísica-reurbanização intrafí-
sica
.
Interaciologia:
a interação holopensene pessoal-holopensene do local; a interação ho-
lopensene pessoal-assinatura pensênica;
o link assistencial da pré-aula na interação professor-
-alunos;
a interação paradigma consciencial-paradigma convencional ampliando a abrangência
tarística; a interação aulas extrafísicas-aulas intrafísicas; a interação equipin-equipex.
Crescendologia:
o crescendo ensinando através de tradutor-dando aulas no idioma lo-
cal;
o crescendo tarístico site monolingual-site polilingual-aulas online-itinerância docente
conscienciológica-presença física permanente internacional;
o crescendo consciência nacional-
-consciência internacional-consciência planetária-consciência cósmica;
o crescendo tarefa da
consolação-tarefa do esclarecimento;
o crescendo professor(a) monolíngue-bilíngue-trilíngue-
-polilíngue;
o crescendo intercompreensão-intercooperação; o crescendo gerado pela expansão
da cosmovisão pessoal ou grupal;
o crescendo do livre arbítrio a partir dos acertos grupocármi-
cos;
o crescendo evolutivo da Socin; o crescendo infinito da evolução consciencial; o crescendo
Ciência Convencional-Ciência Conscienciologia
.
Trinomiologia:
o trinômio onde-quando-quem; o trinômio (aliteração) simpatia-sinto-
nia-sinergia;
o trinômio compreensão-superação-autexemplo; o trinômio pensene do assistente-
-pensene do assistível-códigos significativos;
o trinômio fale-escute-discuta; o trinômio intelec-
tualidade-autoparapsiquismo-comunicabilidade;
o trinômio soma-etnia-mesologia; o trinômio
educação-pararreeducação-sapiência;
o trinômio curto prazo-médio prazo-longo prazo; a assis-
tência qualificada pelo trinômio acolhimento-orientação-encaminhamento
.
Polinomiologia:
o polinômio proexológico autosseriedade-autadaptabilidade-megafo-
co-constância-compléxis;
o polinômio recolhimento-reflexão-inspiração-realização; o polinômio
egocarma-grupocarma-policarma-holocarma;
o polinômio tempo de aprender-tempo de assimi-
lar-tempo de retribuir-tempo de doar;
o polinômio ressoma-Mesologia-Genética-Paragenética;
o polinômio professor-aluno-assistente-assistido; o polinômio alternativas-opções-escolhas-re-
sultados;
o polinômio recordações-resgates-reconciliações-renovações; o polinômio preparação-
-revisão-comunicação-assistência;
o polinômio neofilia-Culturofilia-adaptaciofilia-neocidada-
nia proexológica;
o polinômio dúvida-pergunta-resposta-compreensão; o polinômio perceptivi-
dade-paraperceptividade-resolutividade-interassistencialidade
.
Antagonismologia:
o antagonismo abertismo consciencial / fechadismo consciencial;
o antagonismo assentamento temporário / radicação vitalícia; o antagonismo improviso / méto-
do;
o antagonismo vontade inquebrantável / vontade débil; o antagonismo zona de conforto / zo-
na de desconforto;
o antagonismo realidade / aparência; o antagonismo conscins posicionadas
cosmoeticamente trabalhando em harmonia / conscins submissas trabalhando em desarmonia;

o antagonismo frieza assistencial / rapport interassistencial.
Paradoxologia:
o paradoxo radicação vitalícia na Cognópolis-nomadismo proexogêni-
co;
o paradoxo de única palavra poder mudar a vida de outrem; o paradoxo de quanto mais se
dá, mais se recebe;
o paradoxo da impactoterapia efetuada com doçura; o paradoxo de aprender
boas lições com os maus exemplos;
o paradoxo de o passado estar sempre presente no presente.
Politicologia:
a conscienciocracia; a proexocracia; a interassistenciocracia; a terapeuti-
cocracia; a tares enquanto expressão da lucidocracia; a democracia comunicativa; as bases de-
mocráticas do Estado Mundial; a cognocracia.

Legislogia:
a lei do maior esforço; a adesão às leis e regulamentos em cada país; a lei
da interdependência consciencial;
a lei da responsabilidade perante o grupo evolutivo; a lei de
causa e efeito
atuando na responsabilidade pela comunicação; as leis do holocarma; as leis racio-
nais da proéxis;
a lei da convivialidade sadia; a lei da empatia.
Filiologia:
a evoluciofilia; a sociofilia; a conviviofilia; a heterocriticofilia; a neofilia;
a comunicofilia; a assistenciofilia; a linguisticofilia; a adaptaciofilia; a reeducaciofilia.
Fobiologia:
a fobia de errar ao comunicar-se; a idiomatofobia; a neofobia; a descrencio-
fobia.
Sindromologia:
a evitação da síndrome da onipotência; a evitação da síndrome da pro-
crastinação;
a possibilidade de encontrar conscins com a síndrome da borboleta nas atividades
conscienciológicas
Maniologia:
a evitação da megalomania na interassistência; a evitação da mania do po-
der temporal; a evitação da mania da competição; o fim da fracassomania; a evitação da guruma-
nia
; a eliminação da misticomania; a eliminação da religiosomania.
Mitologia:
o mito da superioridade racial; o mito da independência interconsciencial;
o mito de ser internacional implicar em melhor qualidade; o mito da tradução perfeita; o mito de
“o internacional” merecer maior prestígio;
a eliminação do mito do sofrimento necessário; a eli-
minação do mito do poder divino; o extermínio do mito do salvacionismo.
Holotecologia:
a proexoteca; a teaticoteca; a comunicoteca; a evolucioteca; a assisten-
cioteca; a mentalsomatoteca; a policarmoteca; a globoteca; a consciencioteca; a cosmoeticoteca;
a pacificoteca.
Interdisciplinologia:
a Policarmologia; a Conviviologia; a Presenciologia; a Parassemi-
ologia; a Intrafisicologia; a Autopesquisologia; a Comunicologia; a Autopriorologia; a Experi-
mentologia; a Evoluciologia; a Interprisiologia; a Reurbanologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin lúcida; a isca humana lúcida; a personalidade internacional; a ro-
da de amigos evolutivos; a consciência megacosmopolita; a consciência providencial; a equipe de
voluntários da Conscienciologia; a minipeça no maximecanismo multidimensional interassisten-
cial.

Masculinologia:
o acoplamentista; o agente retrocognitor; o amparador intrafísico;
o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista; o compassageiro evolutivo; o comple-
tista; o comunicólogo; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o consciencioterapeuta; o convi-
viólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólogo; o reeducador; o epicon lúcido; o es-
critor; o evoluciente; o exemplarista; o intelectual; o reciclante existencial; o inversor existencial;
o maxidissidente ideológico; o tenepessista; o ofiexista; o parapercepciologista; o pesquisador;
o projetor consciente; o voluntário; o tocador de obra; o homem de ação; o tradutor.

Femininologia:
a acoplamentista; a agente retrocognitora; a amparadora intrafísica;
a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a compassageira evolutiva; a comple-
tista; a comunicóloga; a consciencióloga; a conscienciômetra; a consciencioterapeuta; a convivió-
loga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a reeducadora; a epicon lúcida; a escrito-
ra; a evoluciente; a exemplarista; a intelectual; a reciclante existencial; a inversora existencial;
a maxidissidente ideológica; a tenepessista; a ofiexista; a parapercepciologista; a pesquisadora;
a projetora consciente; a voluntária; a tocadora de obra; a mulher de ação; a tradutora.

Hominologia:
o Homo sapiens fraternus; o Homo sapiens reeducator; o Homo sapiens
interassistens;
o Homo sapiens gruppalis; o Homo sapiens interconscientialis; o Homo sapiens
argumentator;
o Homo sapiens eruditus; o Homo sapiens cosmovisiologus; o Homo sapiens
intertaristicus
.

V. Argumentologia

Exemplologia:
internacionalização básica da Conscienciologia = a criação e manuten-
ção de sites multilíngues nas Instituições Conscienciocêntricas, divulgando os respectivos objeti-
vos e especialidades; internacionalização avançada da Conscienciologia = a criação e manuten-
ção de atividades conscienciológicas multilíngues regulares, virtuais e / ou presenciais de acesso
intercontinental.

Culturologia:
a Multiculturologia da interassistencialidade evolutiva universalista; as
relações interculturais;
a cultura do abertismo consciencial; a cultura da intercompreensão;
a cultura cosmovisiológica; a cultura de paz; a cultura da convivialidade sadia.

Taxologia.
Sob a ótica da Experimentologia, a internacionalização da Conscienciologia
pode ser racionalmente abordada, por exemplo, pelas 4 subdivisões técnicas ou segmentos teáti-
cos e objetivos, dispostos na ordem alfabética:
1. Extrafísica: abordagem relativa às manifestações extrafísicas das consciências.
2. Grupal: abordagem relativa a grupos de consciências.
3. Organizacional: abordagem relativa às Instituições Conscienciocêntricas.
4. Pessoal: abordagem relativa ao microuniverso intraconsciencial.

Especialistas.
Segundo a ótica da Conscienciologia, os envolvidos na internacionaliza-
ção tarística cosmoética podem ser identificados por várias categorias, incluindo pelo menos,
estas 27, listadas na ordem alfabética:
01. Acoplamentistas.
02. Administraciologistas.
03. Completistas.
04. Comunicólogos.
05. Conscienciografologistas.
06. Conscienciologistas.
07. Conscienciômetras.
08. Consciencioterapeutas.
09. Cosmanalistas.
10. Cosmoeticistas.
11. Desassediologistas.
12. Despertologistas.
13. Epicons.
14. Evoluciólogos.
15. Invexologistas.
16. Maxiproexologistas.
17. Parafenomenologistas.
18. Parageneticistas.
19. Parapedagogos.
20. Parassociólogos.
21. Paraterapeutas.
22. Pensenologistas.
23. Proexologistas.
24. Projeciologistas.
25. Recexologistas.
26. Tenepessistas.
27. Verponologistas.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a internacionalização da Conscienciologia, indicados para
a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens
interessados:
01. Agente retrocognitor: Mnemossomatologia; Homeostático.
02. Ampliação do mundo pessoal: Recexologia; Neutro.
03. Aula de Conscienciologia: Parapedagogiologia; Homeostático.
04. Choque cultural: Civilizaciologia; Neutro.
05. Consciência crítica cosmoética: Cosmoeticologia; Homeostático.
06. Cultura de paz: Pacifismologia; Homeostático.
07. Desafio da Conscienciologia: Autopesquisologia; Homeostático.
08. Descentração cognitiva: Conviviologia; Neutro.
09. Infiltrado cosmoético: Anonimatologia; Homeostático.
10. Interassistencialidade: Assistenciologia; Homeostático.
11. Nomadismo consciencial: Comunicologia; Neutro.
12. Produção do esclarecimento: Interassistenciologia; Homeostático.
13. Retribuiciologia: Proexologia; Homeostático.
14. Revolução conscienciológica: Evoluciologia; Homeostático.
15. Terra-de-todos: Intrafisicologia; Homeostático.

A
INTERNACIONALIZAÇÃO DA CONSCIENCIOLOGIA POSSI-
BILITA O EXERCÍCIO PLANEJADO DA INTERDEPENDÊNCIA
EVOLUTIVA.
É A FUNDAMENTAÇÃO INTERASSISTENCIAL
TARÍSTICA NECESSÁRIA À
REURBANIZAÇÃO PLANETÁRIA.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, está trabalhando para expandir a Conscienciolo-
gia às conscins predispostas a receberem a tarefa do esclarecimento? Tem contribuído para a in-
ternacionalização do paradigma consciencial?

J. B. L.