Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


HOSPITALIDADE INTERASSISTENCIAL

(INTERASSISTENCIOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A hospitalidade interassistencial é a qualidade ou condição de a conscin
lúcida, homem ou mulher, acolher e recepcionar os hóspedes de maneira fraterna, cosmoética
e universalista, em face das oportunidades de auxílio interconsciencial.
Tematologia.
Tema central homeostático.
Etimologia.
O vocábulo hóspede vem do idioma Latim, hospes, “pessoa que se aloja
temporariamente em casa alheia; visitante”. Surgiu no Século XIII. O termo hospitalidade apare-
ceu no Século XVI. O prefixo inter deriva também do idioma Latim, inter, “no interior de 2; en-
tre; no espaço de”. A palavra assistência provém do mesmo idioma Latim, assistentia, “ajuda; so-
corro”, e esta de assistens ou adsistens, particípio presente de assistere ou adsistere, “estar ou
conservar-se de pé junto a; estar presente; comparecer; assistir em juízo; assistir à cabeceira; estar
ao pé do leito; estar à porta de alguém”. Surgiu no Século XVI.
Sinonimologia:
1. Acolhimento hospitaleiro interassistencial. 2. Hospedagem ampara-
dora. 3. Receptibilidade hospitaleira interassistencial.
Neologia.
As 3 expressões compostas hospitalidade interassistencial, hospitalidade inte-
rassistencial inicial
e hospitalidade interassistencial avançada são neologismo técnicos da Inte-
rassistenciologia.
Antonimologia:
1. Inospitalidade antiassistencial. 2. Desacolhimento antiassistencial.
Estrangeirismologia:
o maître de Maison; o host; o Airbnb; o passe-partout assistênci-
al; o interchange; o Conviviarium; a vivência full time da interassistencialidade.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto ao acolhimento interassistencial lúcido.
Citaciologia:
- “As práticas de hospitalidade deverão marcar todas as situações da vida,
ou seja, a hospitalidade não deverá ficar circunscrita à disponibilidade para receber o turista, o vi-
sitante que chega de fora e está de passagem pela cidade, é necessário que esta atitude de acolhi-
mento e cortesia, seja a todo o próximo, seja o vizinho, o colega de trabalho, um desconhecido
(Isabel Baptista).”
Ortopensatologia:
Eis 3 ortopensatas, citadas em ordem alfabética e classificadas em
2 subtítulos:
1. “Hospitalidade. Aperfeiçoemos a nossa hospitalidade a fim de recepcionarmos os
Seres Serenões. “A hospedagem ou a hospitalidade tem relação direta marcante com o ato da so-
ciabilidade,
em particular no universo do cultivo das amizades raríssimas”.
2. “Receptivo. Se a pessoa não é boa para fazer o receptivo na Cognópolis, como vai
ser boa para fazer assistência na Baratrosfera, depois da segunda dessoma?.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal do acolhimento; os assistenciopensenes; a assis-
tenciopensenidade; os conviviopensenes; a conviviopensenidade; o holopensene pessoal da recon-
ciliação; os benignopensenes; a benignopensenidade; os fraternopensenes; a fraternopensenidade;
os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade.

Fatologia:
a hospitalidade interassistencial; a empatia ao receber as pessoas; o aproveita-
mento interassistencial do fato de ser anfitrião; a intenção de receber bem o hóspede; o abertismo
para com os hóspedes; a compreensão; a consideração pela consciência forasteira recém-chegada;
a atenção genuína a quem chega; a placa de boas-vindas; o acolhimento fraterno; a acolhida sim-
pática; o refúgio afetivo; a assistência profissional; a troca de experiências de vida; a perda da
oportunidade de assistencialidade passada batida; a superlotação de hóspedes dificultando a hos-

pitalidade; a arrogância cultural dificultando a hospitalidade; a comunicação frustrada; a assistên-
cia amadora; o respeito à singularidade de cada hóspede; a correção incontinente dos erros de
abordagem; a boa recepção decorrente da empatia receptiva frente às energias antagônicas; os re-
encontros grupocármicos; as reconciliações interconscienciais; o detalhismo; a empatia receptiva
ao turista; o bom humor fazendo a diferença; o perfil assistencial; a aura de confiança entre o hós-
pede e o anfitrião; a cordialidade pessoal evidente; a abnegação discreta; o ato de surpreender as
expectativas dos hóspedes; a reciprocidade dos interesses; a benignidade no trato pessoal; a gene-
rosidade natural; a autossociabilidade; o interesse pelos seres humanos; a bagagem consciencial;
a qualificação da capacidade de ouvir o outro; a autorganização; a organização do horário da te-
nepes com o dos hóspedes;a racionalidade; a mediação de conflitos ocorridos entre os hóspedes;
a busca da vivência da tarefa do esclarecimento (tares); o enriquecimento do vocabulário em
consequência dos diálogos; as interrelações culturais; a oportunidade de aprender novos idiomas;
o cuidado com a aparência pessoal; o abertismo às críticas recebidas; a convivência social; a desi-
nibição; a autovigilância emocional; a ponderação silenciosa; a criatividade na resolução de pro-
blemas; o trafor enquanto rapport interconsciencial; a oportunidade evolutiva; o desenvolvimento
de habilidades interpessoais; o pós-serviço encerrando o atendimento com o acompanhamento;
o acolhimento hospitaleiro da equipe de saúde dos hospitais; o setor institucional “Recepção” en-
quanto palco intrafísico; a inclusão social no campus cognopolitano; o planejamento de tarefas vi-
sando aumentar a disponibilidade assistencial; a interlocução diplomática; a condição da pessoa
certa, no momento certo e local certo quanto à interassistencialidade; a interassistencialidade gru-
pal; a vivência do Universalismo por meio da convivência multicultural diária; o desenvolvimen-
to dos atributos conscienciais universalistas; a holodisponibilidade pessoal.

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; o acolhimento as-
sistencial extrafísico; a assistencialidade extrafísica; a solidariedade extrafísica; o abrigo extrafísi-
co; a hospitalidade extrafísica; a interdependência extrafísica; as repercussões energéticas e para-
psíquicas na chegada dos visitantes; as parapercepções de hospitalidade interassistencial percebi-
das pelo assistido; as extrapolações extrafísicas na tenepes; as relações parassociais da tenepes;
o balanço da tenepes mostrado pelo amparador extrafísico; a presença das companhias extrafísi-
cas dos hóspedes; a leitura energética; as inspirações extrafísicas de amparo de função auxiliando
na atuação pontual; a iscagem lúcida; a exteriorização intencional de energias conscienciais (ECs)
pacificadoras; a utilização da paradiplomacia pelos paracicerones aos paravisitantes; as energias
do assediador extrafísico; o desenvolvimento da sinalética energética e parapsíquica pessoal; a as-
similação simpática (assim); a desassimilação simpática (desassim); as hipóteses acerca da holo-
biografia pessoal; a parapercepção nas redes sociais; a tela mental identificando o próximo hós-
pede; a reconciliação grupocármica multidimensional; as projeções conscienciais (PCs) dos hós-
pedes; a recepção de conscins projetadas; o contato com guias turísticos extrafísicos; as reurbani-
zações extrafísicas; o contato com a Central Extrafísica de Energia (CEE) e a Central Extrafísica
da Fraternidade
(CEF); o aumento do estofo parapsíquico; a identidade extra para-hospitaleira do
anfitrião evidenciada pelos assistidos; a condição máxima de hospitalidade interassistencial com-
plexa da pré-mãe.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo empatia-afeição-compreensão; o sinergismo assistido-
-assistente;
o sinergismo das energias cordiais entre os voluntários recepcionistas; o sinergismo
interconsciencial
multidimensional; o sinergismo das ações assistenciais multidimensionais; o si-
nergismo da interassistencialidade;
o sinergismo fraternidade-harmonia.
Principiologia:
o princípio da empatia evolutiva; o princípio da interassistencialidade
evolutiva;
o princípio da afinidade; o princípio da convivialidade sadia; o princípio da intercoo-
peração;
o princípio da inseparabilidade grupocármica; o princípio de ninguém evoluir sozinho;
o princípio da aprendizagem assistencial ascender ao longo da escala evolutiva; o princípio de
o menos doente assistir ao mais doente
.

Codigologia:
o código pessoal de Cosmoética (CPC); o código grupal de Cosmoética
(CGC); o código do exemplarismo pessoal (CEP); o código de ética social.
Teoriologia:
a teoria das relações humanas; a teática da amizade; a teoria dos limites
interassistenciais;
a teoria do amparo individual; a teoria das interprisões grupocármicas; a teo-
ria da identidade social
.
Tecnologia:
a técnica da empatia; a técnica de pensar antes de falar; a técnica da tene-
pes;
a técnica da convivialidade sadia; a técnica do sorriso autêntico e assistencial.
Voluntariologia:
o voluntário conscienciológico enquanto minipeça do Maximecanismo
Multidimensional Interassistencial;
o voluntariado conscienciológico receptivo da Associação In-
ternacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); o voluntariado conscien-
ciológico do agendamento
na Organização Internacional de Consciencioterapia (OIC); o volun-
tário conscienciológico
na Associação Internacional de Aportes Interassistenciais (INTERPA-
RES); o voluntariado da monitoria no Tertuliarium.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico do estado vibracional; o laboratório
conscienciológico da Assistenciologia;
o laboratório conscienciológico da Autorganizaciologia;
o laboratório conscienciológico da Autocosmoeticologia; o laboratório conscienciológico da Au-
topensenologia;
o laboratório conscienciológico da Autossinaleticologia; o laboratório conscien-
ciológico da Tenepessologia
.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Conviviologia; o Colégio Invisível da Sociologia;
o Colégio Invisível da Interassistenciologia; o Colégio Invisível da Comunicologia; o Colégio In-
visível da
Evoluciologia; o Colégio Invisível da Parapercepciologia; o Colégio Invisível da Gru-
pocarmologia;
o Colégio Invisível da Tenepessologia.
Efeitologia:
o efeito do sorriso acolhedor; o efeito da empatia receptiva favorecendo
a
sintonia com a equipex; o efeito homeostático da intencionalidade qualificada; os efeitos do
jeito
de ser do outro influenciando nas reciclagens pessoais; os efeitos de saber ouvir; o efeito da
interassistencialidade na sustentação da convivialidade sadia;
os efeitos do amadurecimento
conviviológico;
os efeitos do bom convívio entre as consciências; os efeitos das energias consci-
enciais positivas no acolhimento fraterno
.
Neossinapsologia:
as neossinapses geradas pelo acolhimento assistencial intra e extra-
físico;
as neossinapses criadas a partir da convivência com os diferentes padrões de conscins
e consciexes;
as neossinapses fraternas; as neossinapses adquiridas na alfabetização assistencial.
Ciclologia:
o ciclo acolhimento-esclarecimento-encaminhamento-acompanhamento ge-
rando resultado evolutivo; o ciclo multiexistencial pessoal (CMP) promovendo os encontros de
destino; o ciclo evolutivo das relações cármicas; o ciclo autocrítica-heterocrítica; o ciclo encon-
tro-desencontro-reencontro
.
Enumerologia:
o ato de contatar os hóspedes; o ato de acolher os hóspedes; o ato de
sondar as necessidades dos hóspedes; o ato de direcionar cosmoeticamente os hóspedes; o ato de
assistir aos hóspedes; o ato de acompanhar os hóspedes; o ato de servir aos hóspedes.
Binomiologia:
a interconvivialidade qualificada pela aplicação do binômio admiração-
-discordância;
o binômio informação-esclarecimento; o binômio força presencial-laringocha-
cralidade;
o binômio anfitrião-hóspede; o binômio tares-tacon; o binômio tares-paciência.
Interaciologia:
a interação parassocial; a interação desinibição-criatividade-convivia-
lidade empática;
a interação abordador-abordado; a interação soma-energossoma-psicossoma-
-mentalsoma
nas relações maduras entre conscins; a interação holomaturidade-convivialidade
pacífica;
a interação autoconvivência-convivência grupal-convivência ambiental; a interação
autoconvívio
sadio-heteroconvivência saudável; a interação boas maneiras-boa convivência;
a interação convivialidade sadia-comunicabilidade fraterna; a interação assistente-assistido.
Crescendologia:
o crescendo disponibilidade pessoal-atenção ao interlocutor; o cres-
cendo assimilação simpática-encaminhamento adequado;
o crescendo compreensão intercultu-
ral-convivência fraterna-universalismo vivido;
o crescendo ouvir-escutar; o crescendo perfil as-
sistencial-conscin tenepessável;
o crescendo alfabetização-capacitação-profissionalismo assis-
tencial; o crescendo senso de fraternidade-senso cosmoético.

Trinomiologia:
o trinômio do acolhimento olhos atentos-ouvidos disponíveis-braços
abertos;
o trinômio eu-você-nós; o trinômio energia-simpatia-alegria; o trinômio simpatia-sin-
cronia-sinergia;
o trinômio empatia-sincronismo-equilíbrio; o trinômio boa educação-boa con-
versa-boa convivência;
o trinômio convivência-aprendizagem-reciclagem; o trinômio convivioló-
gico silêncio-organização-limpeza;
o trinômio dependência-independência-interdependência.
Polinomiologia:
o polinômio olhar acolhedor-apresentação pessoal-profissionalismo-
-boa impressão inicial;
o polinômio postura-olhar-voz-gesto; as interrelações embasadas no poli-
nômio solidariedade-honestidade-seriedade-confiabilidade;
o polinômio xenofílico aceitar-aco-
lher-conviver-assistir;
o polinômio parapsiquismo-megacompreensão-megafraternidade-Univer-
salismo
.
Antagonismologia:
o antagonismo anfitrião / ermitão; o antagonismo bom humor / mau
humor;
o antagonismo primeira impressão correta / primeira impressão incorreta; o antagonis-
mo simpatia / antipatia;
o antagonismo abertismo / fechadismo; o antagonismo argumento racio-
nal / apelo emocional;
o antagonismo interassistencialidade / antifraternismo.
Paradoxologia:
o paradoxo do aparente ato de “jogar conversa fora” levando à tares;
o paradoxo de a evolução ser individual porém depender das interrelações; o paradoxo da vizi-
nhança
distante; o paradoxo da leveza das palavras com energias diretivas.
Politicologia:
a sociocracia; a assistenciocracia; a democracia; a conscienciocracia;
a cosmoeticocracia; a conviviocracia; a evoluciocracia.
Legislogia:
a lei da interdependência evolutiva; a lei da grupalidade; a lei do maior es-
forço;
a lei do retorno; a lei da retribuição.
Filiologia:
a autocriticofilia; a grupofilia; a neofilia; a interassistenciofilia; a acolhimen-
tofilia; a comunicofilia; a cosmoeticofilia; a pesquisofilia.
Fobiologia:
a antropofobia; a conviviofobia; a culturofobia; a etnofobia; a neofobia;
a sociofobia; a xenofobia; o medo de não ser bom o suficiente.
Sindromologia:
a superação da síndrome da autovitimização.
Maniologia:
a observação das manias dos assistidos; a mania de nunca se sentir pronto
para assistir.
Mitologia:
o mito do acaso; o mito da convivência perfeita; o mito de todas as conscins
terem amparador;
o mito da possibilidade de agradar a todos; o mito de a conscin ter condição
de assistir a qualquer consciência
.
Holotecologia:
a convivioteca; a socioteca; a culturoteca; a comunicoteca; a diploma-
cioteca; a interassistencioteca; a turismoteca.
Interdisciplinologia:
a Interassistenciologia; a Acolhimentologia; a Sociologia; a Paras-
sociologia; a Experimentologia; a Tenepessologia; a Parapercepciologia; a Autopesquisologia;
a Turismologia; a Grupocarmologia; a Holoconviviologia; a Retribuiciologia; a Pré-Intermissio-
logia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a equipex; a consciência forasteira; a consciex assistida; a conscin lúcida;
a conscin aglutinadora; a isca humana lúcida; o ser interassistencial; o ser social; a conscin large;
a conscin comunitária; o ser desperto; a conscin enciclopedista.

Masculinologia:
o hospitaleiro; o anfitrião; o hóspede; o visitante; o jejuno recém-che-
gado; o cognopolito recém-chegado; o conviviólogo; o acoplamentista; o agente retrocognitor;
o amparador intrafísico; o atacadista consciencial; o intermissivista; o cognopolita; o compassa-
geiro evolutivo; o completista; o comunicólogo; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o consci-
encioterapeuta; o macrossômata; o conviviólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólo-
go; o reeducador; o epicon lúcido; o escritor; o evoluciente; o exemplarista; o intelectual; o reci-
clante existencial; o inversor existencial; o tenepessista; o ofiexista; o parapercepciologista; o pes-
quisador; o projetor consciente; o tertuliano; o teletertuliano; o verbetólogo; o voluntário; o toca-
dor de obra; o homem de ação.

Femininologia:
a hospitaleira; a anfitriã; a hóspede; a visitante; a jejuna recém-chegada;
a cognopolita recém-chegada; a convivióloga; a acoplamentista; a agente retrocognitora; a ampa-
radora intrafísica; a atacadista consciencial; a intermissivista; a cognopolita; a compassageira evo-
lutiva; a completista; a comunicóloga; a consciencióloga; a conscienciômetra; a conscienciotera-
peuta; a macrossômata; a convivióloga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a ree-
ducadora; a epicon lúcida; a escritora; a evoluciente; a exemplarista; a intelectual; a reciclante
existencial; a inversora existencial; a tenepessista; a ofiexista; a parapercepciologista; a pesquisa-
dora; a projetora consciente; a tertuliana; a teletertuliana; a verbetóloga; a voluntária; a tocadora
de obra; a mulher de ação.

Hominologia:
o Homo sapiens convivens; o Homo sapiens fraternus; o Homo sapiens
humanus;
o Homo sapiens socialis; o Homo sapiens gruppalis; o Homo sapiens teaticus; o Homo
sapiens interassistentialis;
o Homo sapiens humor.

V. Argumentologia

Exemplologia:
hospitalidade interassistencial inicial = aquela cuja capacidade de lota-
ção máxima de assistidos na psicosfera do assistente ocorre de modo esporádico; hospitalidade in-
terassistencial avançada = aquela cuja capacidade de lotação máxima de assistidos na psicosfera
do assistente ocorrer ao modo de rotina diuturna.

Culturologia:
a cultura da hospitalidade; a Multiculturologia Humana; a cultura da In-
terassistenciologia;
a cultura da doação; a cultura do antindividualismo; a cultura da cooperati-
vidade;
a cultura do bem; a cultura da Cosmoética.

Evitações.
Eis, por exemplo, em ordem alfabética, 10 posturas conscienciais imaturas
a serem evitadas:
01. Arrogância.
02. Discriminação.
03. Fechadismo consciencial.
04. Impaciência.
05. Indelicadeza.
06. Orgulho.
07. Pensar mal das pessoas.
08. Preconceito.
09. Truculência.
10. Vergonha.

Caracterologia.
Eis, por exemplo, em ordem alfabética, 11 condições conscienciais es-
senciais inerentes à hospitalidade interassistencial:
01. Acolhimento.
02. Aglutinação.
03. Autorganização.
04. Benevolência.
05. Bom humor.
06. Capacidade de compartilhamento.
07. Cosmoeticidade.
08. Comunicabilidade.
09. Empatia.
10. Flexibilidade.
11. Traforismo.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a hospitalidade interassistencial, indicados para a expan-
são das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interes-
sados:
01. Acolhimento assistencial extrafísico: Paraprofilaxiologia; Homeostático.
02. Acolhimento mentalsomático: Interassistenciologia; Homeostático.
03. Acolhimento tarístico: Interassistenciologia; Homeostático.
04. Acolhimento universal: Interassistenciologia; Homeostático.
05. Benignidade traforista: Interassistenciologia; Homeostático.
06. Cicerone tarístico: Visitologia; Neutro.
07. Cuidador multidimensional: Interassistenciologia; Homeostático.
08. Empatia receptiva: Interassistenciologia; Homeostático.
09. Humor homeostático: Holomaturologia; Homeostático.
10. Oportunidade de ajudar: Interassistenciologia; Homeostático.
11. Perfil assistencial: Interassistenciologia; Homeostático.
12. Pré-Mãe: Interassistenciologia; Homeostático.
13. Primeira impressão: Autodiscernimentologia; Neutro.
14. Senso universalista: Cosmoeticologia; Homeostático.
15. Técnica da autopacificação interassistencial: Autexperimentologia; Homeostá-
tico.

A
HOSPITALIDADE INTERASSISTENCIAL AVANÇADA, SEN-
DO CONQUISTA CONSCIENCIAL SERIEXOLÓGICA, REFLE-
TE ALTO NÍVEL DE
FRATERNISMO LÚCIDO DA CONSCIN
NA
CONVIVIALIDADE UNIVERSALISTA E COSMOÉTICA.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, já identificou o próprio nivel de hospitalidade
interassistencial? Há indícios ao longo da seriéxis de ter praticado a interassistência avançada?

Bibliografia Específica:


1. Camargo, Luiz Otávio de Lima; Hospitalidade; Coleção ABC do Turismo, 94 p.; 5 caps.; Editora Aleph;
São Paulo; SP; páginas 15 a 90.
2. Oliveira, Gelson Juarez; Experiência Parapsíquica de um Anfitrião Tenepessista; Conscientia; Revista;
Trimestral; Ed. Especial; Vol. 20; N. 4; Seção: Temas da Conscienciologia; 1 E-mail; 12 enus.; 3 tabs.; 12 refs.; Associa-
ção Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; Outubro-Dezembro,
2016; páginas 359 a 362.
3. Teles, Mabel; Zéfiro: A Paraidentidade Intermissiva de Waldo Vieira; revisores Erotides Louly; et al.; 240
p.; 3 seções; 14 caps.; 113 citações; 22 E-mails; 32 enus.; 37 fotos; 1 linha do tempo; 1 minicurrículo; 2 tabs.; 20 web-
sites;
glos. 210 termos; 45 refs.; alf.; geo.; ono.; 23 x 16 cm; br; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR;
2014; páginas 21, 94 a 96 e 98 a 122.
4. Vieira, Waldo; Dicionário de Argumentos da Conscienciologia; revisores Equipe de Revisores do Holoci-
clo; 1.572 p.; 1 blog; 21 E-mails; 551 enus.; 1 esquema da evolução consciencial; 18 fotos; glos. 650 termos; 19 websites;
alf.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2014; páginas 812 a 816.

G. J.