Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


DUPLA CIDADANIA FUNCIONAL

(AUTEXPERIMENTOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A dupla cidadania funcional é a condição da conscin, homem ou mulher,
desde a juventude, empregar a titularidade concomitantemente da nacionalidade de 2 estados so-
beranos distintos, na potencialização do desempenho evolutivo pessoal, em face da acumulação
de vivências e desafios múltiplos, da responsabilidade inerente aos direitos, privilégios, obriga-
ções e deveres de cidadão e da sustentabilidade da própria existência intrafísica.
Tematologia.
Tema central neutro.
Etimologia.
O vocábulo dupla vem do idioma Latim, duplus, “duplo; dobrado”. Apare-
ceu no Século XVII. A palavra cidade procede do idioma Latim, civitas, “cidade; reunião de cida-
dãos; nação; pátria, foro; direito do cidadão romano; o povo da cidade”, e esta de civis, “cidadão;
cidadã”. Surgiu no Século XIII. O termo cidadania apareceu em 1913. O vocábulo funcional deri-
va do idioma Francês, fonctionnel, “funcional”, e este do idioma Latim, functi, “trabalho; exercí-
cio; execução; complemento; termo”, ligado ao verbo depoente fungor, “cumprir; desempenhar;
exercer; satisfazer; executar; pagar alguma dívida; empregar; fluir; padecer; ser pago”. Surgiu no
Século XIX.
Sinonimologia:
1. Dupla nacionalidade funcional. 2. Aliança binacional fisiológica.
3. Lealdade funcional a 2 estados soberanos. 4. Dupla dedicação nacionalista dinâmica. 5. Pré-
-cidadania Global. 6. Pré-cidadania do Estado Mundial.
Cognatologia:
Eis, na ordem alfabética, 10 cognatos derivados do vocábulo cidadania:
cidadã; cidadão; cidade; cidadela; cidadelha; cidadelhe; cidadesco; cidadoa; cidadonia; cida-
dota.

Neologia.
As 3 expressões compostas dupla cidadania funcional, dupla cidadania fun-
cional mínima
e dupla cidadania funcional máxima são neologismos técnicos da Autexperimen-
tologia.
Antonimologia:
1. Cidadania nacional. 2. Dupla cidadania disfuncional. 3. Cidadania
sub-nacional. 4. Cidadania supra-nacional. 5. Múltipla cidadania. 6. Cidadania terrestre. 7. Ci-
dadania global.
Estrangeirismologia:
a dual citizenship; a dupla cidadania fait accompli; o conflito dual
citizenship vis-à-vis dual allegiance;
o glorified travel visa; o stake in a second economy; a new
global elite in business;
a dual citizenship trend in an era of growing global migration; o perpe-
tual traveler;
a escape hatch providencial; o melting pot cultural; a global village.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à aplicação prioritária dos aportes proexológicos.
Megapensenologia.
Eis 1 megapensene trivocabular sintetizando o tema: - Existem ci-
dadãos cósmicos.

Citaciologia:
- Em nenhum lugar o homem é estrangeiro. Sua verdadeira pátria é o Uni-
verso
(Lucius Annaeus Sêneca, 4 a.e.c.-65 e.c.).

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal do autodiscernimento autopesquisístico; os retro-
pensenes; o fator evocativo da fôrma holopensênica pessoal; a retropensenidade; os neopensenes;
a neopensenidade; a potencialização do holopensene pessoal das prioridades aplicadas à autopro-
éxis; os reciclopensenes; a reciclopensenidade; o aprofundamento nas reciclagens holopensênicas;
os parapensenes; a parapensenidade; os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade; os ortopense-
nes; a ortopensenidade; os cosmopensenes; a cosmopensenidade.

Fatologia:
a dupla cidadania funcional; o status da nacionalidade dupla; a dupla cidada-

nia automática; a renúncia à cidadania; a viagem com dois passaportes; o livre trânsito entre fron-
teiras; a eliminação do visto de permanência; a fixação de residência sem vistos; o estudo e o tra-
balho legal sem barreiras; a abertura de empresa e conta bancária sem restrição; os acordos de
bitributação; o imposto duplo; o direito de participar das vidas e dos governos de 2 povos distin-
tos; a situação do serviço militar duplo; a mudança de lealdade perpétua por lealdade voluntária;
a tolerância da nacionalidade dupla em função da globalização e movimentos migratórios; o res-
gate das origens da família pluricultural multifacetada; a aculturação pelo convívio com os pares
consanguíneos; a dupla base sociocultural; a matriz existencial dilatada; o duplo molde dos con-
tingenciamentos e condicionamentos sociais, morais e ideológicos modelando a base das manifes-
tações apriorísticas antievolutivas; o sobrepeso dos hábitos incorporados pelos modismos cultu-
rais; o rolo compressor duplo das culturas inúteis; a dupla cidadania diletante dilapidando o pró-
prio patrimônio, derivados dos aportes existenciais, e consequente potencialidades em curto pe-
ríodo; os corporativismos da Mesologia Retrógrada; as duplas coleiras sociais do ego; a diluição
dos compromissos patrióticos, ao modo da bigamia; a Era da Insegurança Transnacional; a du-
pla espionagem facilitada; a crise da identidade nacional dupla; a paralização estigmatizante im-
posta pela própria holobiografia multimilenar (desviacionismo); o senso de pertencimento; a base
idiomática predominante; o poliglotismo; a identificação da origem das idiossincrasias; o esforço
da mudança da matriz mental; o freio dos condicionamentos anacrônicos; as duplas bases de
reeducação pessoal; a descoberta da matriz mental de referência; a bagagem cognitiva pluricultu-
ral; a educação intercultural; a desculturação autoimposta; o estímulo à observação da diversida-
de; a sociabilidade pessoal internacional; a circunstância favorável de limpar os rastros negativos
do passado (interprisão); as múltiplas contas cármicas vinculadas; os encontros de destino
oportunizando as reconciliações grupocármicas pelos ressarcimentos cosmoéticos; o reencontro
da família evolutiva dilatada; a teática conscienciológica na reeducação do modus operandi
e modus faciendi evolutivo; a itinerância internacional conscienciológica; a potencialização dos
atos prioritários e proexológicos pessoais; a mudança do ego promovida pelos choques culturais;
a reciclagem intraconsciencial expandida; a expansão do círculo dos contatos interconscienciais
imprimindo a aceleração sadia da história pessoal; a descoberta de potenciais inatos; a auto-
herança paragenética; o enriquecimento da autobiografia; a profilaxia do nacionalismo exacer-
bado; a consciência comunitária internacional; a mundialização próxima; o ir além de toda ideia
política retrógrada; o mérito da plurinacionalidade; a liberalização da cidadania transformando
o papel do nacionalismo e da nacionalidade; a sedimentação das bases rumo ao Estado Mundial.

Parafatologia:
a Paragenética pessoal; a autovivência do estado vibracional (EV) profi-
lático; a sinalética energética e parapsíquica pessoal; a cultura parapsíquica (paracultura); o soma-
tório das paravivências; a bagagem retrocognitiva; a matriz paracultural da autoparaprocedência;
a força intermissiva da autoproéxis; as autoprecognições parapsíquicas sadias pró-proéxis; a holo-
biografia pessoal.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo gradual convivência com a diferença na infância-inter-
relacionamentos sadios;
o sinergismo fôrma holopensênica-força presencial; o sinergismo con-
tato intercultural-recuperação antecipada de cons magnos;
o sinergismo conscin prioritária cos-
moética-consciexes amparadoras de função;
o sinergismo interassistencial apreensão-distribui-
ção;
o sinergismo funcional no grupo evolutivo.
Principiologia:
o princípio do direito universal às múltiplas cidadanias; o princípio da
neodemocracia mundial;
os princípios do Estado Mundial; a fidelidade dos princípios pessoais
hauridos no Curso Intermissivo
(CI); o princípio da reciprocidade; o princípio do ressarcimento
evolutivo;
o princípio da empatia evolutiva; o princípio da interdependência evolutiva; o prin-
cípio do determinismo evolutivo;
o princípio da inseparabilidade grupocármica; o princípio do
dinamismo evolutivo;
a relevância do princípio do exemplarismo pessoal (PEP) nos interrelacio-
namentos pessoais
.

Codigologia:
os códigos de conduta social; o código pessoal de Cosmoética (CPC)
abrindo os caminhos para as neovivências;
o código grupal da Cosmoética (CGC) enaltecendo
a dinâmica coletiva atual
.
Teoriologia:
a teoria dos recursos técnicos das informações e dicas úteis sobre viagens
internacionais;
a teoria da interprisão grupocármica demonstrando as consequências dos atos do
passado;
a teoria dos vínculos afetivos proexológicos; a teoria da holomemória integral holo-
biográfica;
a teoria da intercooperação mundial.
Tecnologia:
a técnica da retribuição pessoal; a técnica de se viver em grupo; a técnica
da evitação da perda das oportunidades evolutivas;
as técnicas conscienciométricas sinalizando
os vestígios do passado multiexistencial;
a técnica da manutenção do megafoco prioritário; a téc-
nica terapêutica das ideias renovadoras;
a técnica profilática da criticidade cosmoética.
Voluntariologia:
os voluntários-docentes-itinerantes da Comunidade Conscienciológica
Cosmoética Internacional
(CCCI).
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da autorganização; o laboratório
conscienciológico da Autoconscienciometrologia;
o laboratório conscienciológico da Cosmoeti-
cologia;
o laboratório conscienciológico da grupalidade; o laboratório conscienciológico da
proéxis;
o laboratório conscienciológico da retrocognição; o laboratório conscienciológico do
Curso Intermissivo
.
Colegiologia:
o Colégio Invisível dos Politicólogos; o Colégio Invisível da Intrafisicolo-
gia;
o Colégio Invisível da Autexperimentologia; o Colégio Invisível da Conviviologia; o Colégio
Invisível dos Seriexólogos;
o Colégio Invisível da Proexologia; o Colégio Invisível dos Intermis-
sivistas
.
Efeitologia:
os efeitos dos impactos sociais, econômicos, culturais e demográficos nos
países de origem e destino migratórios;
os efeitos das internacionalizações das abordagens; os
efeitos evolutivos e regressivos das prerrogativas inerentes ao status da cidadania dupla;
os efei-
tos evolutivos dos intercâmbios culturais;
os efeitos do burilamento na fôrma sociocultural
adquiridos e fixados na vida intrafísica;
os efeitos da educação intercultural na renovação profi-
lática pessoal;
os efeitos da miscigenação no esclarecimento e combate aos preconceitos raciais;
os efeitos amortecedores no período de transição vivencial rumo ao neopatamar paracultural li-
bertário;
os efeitos compensatórios no ajuste do ponteiro consciencial; os efeitos da reurbaniza-
ção extrafísica na explosão do número de cidadanias duplas
.
Neossinapsologia:
as neossinapses derivadas do convívio multicultural; a conquista de
neossinapses através da ultrapassagem dos vícios de formação cultural apontando a própria sa-
nidade intraconsciencial
.
Ciclologia:
o ciclo multiexistencial pessoal (CMP) da atividade; o ciclo diáspora-rea-
grupamento por interesses e afinidades;
o ciclo da desconstrução das retroideias; o ciclo cultura
aperfeiçoável-aplicação cosmoética
.
Enumerologia:
o grau da anatomização das idiossincrasias; a qualidade da aculturação;
o volume dos aportes existenciais; a amplitude da carga de convivialidade; a profundidade das re-
conciliações grupocármicas; a magnitude da reciclagem intraconsciencial; a dimensão do senso
de pertencimento. A dupla cidadania em virtude de nascimento (jus soli); a dupla cidadania em
virtude de ascendência (jus sanguinis); a dupla cidadania por operações automáticas de diferen-
tes leis; a dupla cidadania por efeito do casamento (jure matrimonii); a dupla cidadania por meio
da naturalização; a dupla cidadania pela expatriação; a dupla cidadania pelo investimento finan-
ceiro maciço.
Binomiologia:
o binômio excesso de possibilidades-escassez de discernimento; o binô-
mio usufruto-frutificação;
o binômio débito-amortização; o binômio admiração-discordância;
o binômio autocrítica-heterocrítica patrocinando o dinamismo da transculturação; o binômio es-
pecialismo holobiográfico-autorrevezamento multiexistencial;
o binômio matriz cultural-mater-
pensene pessoal
.
Interaciologia:
a interação direitos-deveres; a interação assimilação cultural-identida-
de nacional;
a interação mérito-prerrogativa; a interação neonacionalidades-avanço do senso
do universalismo;
a interação raízes grupocármicas e proexológicas-procedência extrafísica;

a interação duplo culturalismo-reforço do traço caracterial.
Crescendologia:
o crescendo autadesão simpática-autorrenovações essenciais; o cres-
cendo sentimento pátrio-sentimento planetário; o crescendo evolutivo cronêmico múltiplas cida-
danias-caráter apátrida da consciência
.
Trinomiologia:
o trinômio holobiografia-autobiografia-biografia; o trinômio Culturo-
logia-Multiculturologia-Interculturologia;
o trinômio dupla cidadania-múltipla cidadania-cida-
dania supranacional
.
Polinomiologia:
o polinômio migrações-miscigenações-múltiplas cidadanias-oportuni-
dades evolutivas;
o polinômio xenofílico aceitar-acolher-conviver-assistir; a defesa do acesso
universal ao polinômio bens materiais-bens culturais-bens educacionais-bens evolutivos.
Antagonismologia:
o antagonismo abertismo consciencial / fechadismo consciencial;
o antagonismo excursão técnica cultural / viagem turística; o antagonismo status da cidadania
dupla funcional / status da cidadania dupla diletante;
o antagonismo dupla cidadania inata / du-
pla cidadania adquirida através de
substancioso investimento financeiro; o antagonismo abertu-
ra para neovidas /
fixação nas retrovidas.
Paradoxologia:
o paradoxo da conscin portadora de cidadania dupla e monoglota;
o paradoxo assimilação cultural crescente-disconexão política progressiva.
Politicologia:
as políticas internacionais das múltiplas cidadanias; as políticas nacio-
nais de indução, evitação ou coibição da cidadania dupla;
a política de defesa dos direitos huma-
nos;
a democracia direta; a cosmocracia.
Legislogia:
as leis de segurança das fronteiras geopolíticas; as leis de migração; a lei
do retorno;
a lei do maior esforço coletivo.
Filiologia:
a neofilia; a recexofilia; a conscienciofilia; a sociofilia; a adaptaciofilia; a po-
liticofilia; a cosmofilia; a evoluciofilia.
Fobiologia:
a xenofobia velada ou explícita; a neofobia; a autopesquisofobia.
Sindromologia:
a síndrome da dispersão consciencial; a síndrome do avestruzismo re-
sultante do choque cultural reverso; a inadequação à neocultura intrafísica na síndrome do estran-
geiro;
a síndrome da abstinência da Baratrosfera.
Maniologia:
a dromomania; a xenomania; a nostomania; a globomania.
Mitologia:
o mito do nacionalismo como ideologia moderna; os apriorismos interpesso-
ais derivados dos mitos sobre comportamentos inerentes às etnias, naturalidades e nacionalida-
des;
o mito da cultura única e pura.
Holotecologia:
a culturoteca; a arqueoteca; a politicoteca; a diplomacioteca; a cogno-
teca;
a autopesquisoteca; a inventarioteca; a prioroteca; a recexoteca; a turismoteca; a grupocar-
moteca; a convivioteca; a evolucioteca; a reurbanoteca; a cosmoteca.
Interdisciplinologia:
a Autexperimentologia; a Conviviologia; a Comunicologia; a Via-
jologia; a Interaciologia; a Adaptaciologia; a Etologia; a Interprisiologia; a Recexologia; a Intrafi-
sicologia; a Autopesquisologia; a Autodiscernimentologia; a Priorologia; a Multiculturologia;
a Geopoliticologia; a Grupocarmologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a consréu ressomada; a conscin dispersiva; a conscin desô; a conscin neofí-
lica; a conscin acumuladora intelectual; a pessoa pró-reversão existencial; a conscin lúcida; a isca
humana lúcida; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista; o ser desperto.

Masculinologia:
o acoplamentista; o agente retrocognitor; o amparador intrafísico;
o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista; o cognopolita; o compassageiro evolu-
tivo; o completista; o comunicólogo; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o conscienciotera-
peuta; o macrossômata; o conviviólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólogo; o ree-
ducador; o epicon lúcido; o escritor; o evoluciente; o exemplarista; o intelectual; o reciclante exis-
tencial; o inversor existencial; o maxidissidente ideológico; o tenepessista; o ofiexista; o paraper-
cepciologista; o pesquisador; o pré-serenão vulgar; o projetor consciente; o sistemata; o tertulia-

no; o verbetólogo; o voluntário; o tocador de obra; o homem de ação; o experimentador; o mi-
grante; o repatriado; o exilado; o expatriado; o refugiado; o asilado; o estrangeiro; o cidadão por-
tador da cidadania dupla.

Femininologia:
a acoplamentista; a agente retrocognitora; a amparadora intrafísica;
a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a cognopolita; a compassageira evolu-
tiva; a completista; a comunicóloga; a consciencióloga; a conscienciômetra; a conscienciotera-
peuta; a macrossômata; a convivióloga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a ree-
ducadora; a epicon lúcida; a escritora; a evoluciente; a exemplarista; a intelectual; a reciclante
existencial; a inversora existencial; a maxidissidente ideológica; a tenepessista; a ofiexista; a pa-
rapercepciologista; a pesquisadora; a pré-serenona vulgar; a projetora consciente; a sistemata;
a tertuliana; a verbetóloga; a voluntária; a tocadora de obra; a mulher de ação; a experimentadora;
a migrante; a repatriada; a exilada; a expatriada; a refugiada; a asilada; a estrangeira; a cidadã
portadora da cidadania dupla.

Hominologia:
o Homo sapiens viator; o Homo sapiens multiculturalis; o Homo sapiens
gruppalis;
o Homo sapiens conviviologus; o Homo sapiens remissor; o Homo sapiens priorita-
rius;
o Homo sapiens autoperquisitor; o Homo sapiens recyclans; o Homo sapiens liberator;
o Homo sapiens adaptatus; o Homo sapiens proexologus; o Homo sapiens interassistens; o Ho-
mo sapiens parapoliticus;
o Homo sapiens parageopoliticus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
dupla cidadania funcional mínima = a vivência cosmopolita adstrita ao
diletantismo antievolutivo das vivências multiculturais cingida pelos encantos, deslumbres, capri-
chos e prazeres; dupla cidadania funcional máxima = a vivência da conscin teática no cenário
multicultural com resultados tangíveis e autodesempenhos proexológicos registrados.

Culturologia:
o multiculturalismo; a transculturalidade; a Interculturologia; a cultura
da Autoproexologia
.

Proéxis.
O status da cidadania dupla funcional pode ajudar a conscin, quando consciente
e aberta, a dinamizar e potencializar as vivências evolutivas, principalmente as internacionais,
a fim de realizar a autoprogramação existencial.
Tecnicidade.
A vivência técnica evolutiva promove, pelo convívio maior com a Huma-
nidade, o rompimento do patriotismo exarcebado, da xenofobia, do racismo e sectarimos anacrô-
nicos e, através da convivência com as diferenças e integração das experiências culturais, favore-
ce a crítica experimental na eliminação dos preconceitos e das apriorismoses.

Taxologia.
Sob a ótica da Parapatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 10
ocorrências comuns de distúrbios impensados e gravames imprevistos passíveis de ocorrer com
a conscin incauta, em função da duplicidade de vivências em bases culturais e holopensênicas dis-
tintas, exigindo rigor e diligência para a tomada de medidas profiláticas:
01. Apriorismos. Os megavícios culturais das ideias prontas do país de origem, retro-
cedendo as possibilidades de reestruturação da matriz mental de referência.
02. Autocontingenciamento político. A restrição temporária ao regime político do Es-
tado limitando a politização nos múltiplos setores da vida intrafísica.
03. Elitismo. A arrogância da autoinserção no jet set globalizado evidenciando as ex-
centricidades sociopáticas.
04. Esbanjamento. O erro consciente ou inconsciente de desfrutar excessivamente
e inutilmente os aportes multiculturais evolutivos autoconquistados rumo ao perdularismo croni-
cificado.
05. Falha grupal. A reincidência do erro conviviológico aprofundando a interprisão

grupocármica.
06. Fixação na retrovida. A empatia às amenidades socioculturais ultrapassadas e liga-
ções pessoais do passado - repetência autevolutiva - no novo ambiente manifestando a condição
do antepassado de si mesmo.
07. Fôrma holopensênica. O efeito da fôrma patopensênica na condição de armadilha
energética contribuindo para as automimeses dispensáveis.
08. Pseudovantagens. A defesa primária do status da cidadania dupla sem ter alcança-
do autenfrentamentos evolutivos significativos.
09. Queixa. A queixa contumaz dos efeitos dos choques culturais recorrentes.
10. Xenofilia. A fascinação pela cultura estrangeira, exacerbada pela imaginação
e a emotividade, gerando a visão curta.

Desempenho.
De acordo com a Holomaturologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética,
11 condições passíveis de potencializar e otimizar a vivência e desempenho da conscin portadora
da cidadania dupla:
01. Cidadania. A pensenização sadia sobre o conceito cidadania cósmica na revigora-
ção e construção do holopensene pessoal.
02. Cosmoética. A definição e manutenção do código pessoal de Cosmoética na opera-
cionalização vivencial do cidadão duplo.
03. Cosmovisão. As vistas para além dos modismos banais do dia a dia, refratário aos
idiotismos culturais do Zeitgeist na mobilização para a globalização do saber.
04. Dupla fôrma cultural. Os recursos de renovação profilática rumo a ultrapassagem
pessoal da retrocultura, pelo cotejo das modalidades culturais.
05. Idioma. A identificação e desenvolvimento do idioma base como expressão da fon-
te de recursos intraconscienciais ante os desafios evolutivos.
06. Infância. A importância da análise dos inputs no período da infância e o exame das
reações comportamentais nas diferentes fases do desenvolvimento na compilação do autoco-
nhecimento.
07. Neofilia. O abertismo às pesquisas e reciclagens evolutivas na apreensão de neo-
ideias na formação da transculturalidade.
08. Parentela composta. O profundo interesse em conhecer, acolher e assistir o grupo
cármico consanguíneo independentemente da proxêmica.
09. Poliglotismo. A disposição e autodeterminação pessoal em avançar da condição
bilíngue rumo ao poliglotismo.
10. Recéxis. A autodisponibilidade para a implementação das neoestratégias evolutivas
pavimentando o caminho para a reconciliação cósmica.
11. Viagens. A priorização das excursões técnicas culturais na busca de experiências
prolíficas para a evolução.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a dupla cidadania funcional, indicados para a expansão
das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Amortização evolutiva: Grupocarmologia; Homeostático.
02. Autossuperação específica: Experimentologia; Homeostático.
03. Choque cultural: Civilizaciologia; Neutro.
04. Consciência política: Politicologia; Neutro.
05. Fôrma holopensênica: Pensenologia; Neutro.
06. Idiossincrasia cultural: Multiculturologia; Neutro.
07. Imiscigenação: Parassociologia; Nosográfico.
08. Interação dos recebimentos: Proexologia; Homeostático.

09. Matriz cultural: Holoculturologia; Homeostático.
10. Movimentação migratória: Sociologia; Neutro.
11. Pertencimento pessoal: Autevoluciologia; Neutro.
12. Prerrogativa: Autopriorologia; Neutro.
13. Senso universalista: Cosmoeticologia; Homeostático.
14. Terra-de-todos: Intrafisicologia; Homeostático.
15. Vício da formação cultural: Conscienciometrologia; Nosográfico.

A
DUPLA CIDADANIA FUNCIONAL OPORTUNIZA À CONS-
CIN LÚCIDA AVALIAR A PRÓPRIA CONDUTA EVOLUTIVA
NO EMPENHO PELA RECONCILIAÇÃO DOS
INTERESSES,
APORTES E PRIORIDADES EVOLUTIVAS ALÉM PÁTRIA.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, já refletiu sobre a funcionalidade da cidadania
dupla? Você já identificou, reconheceu e classificou os próprios recursos existenciais proexológi-
cos aplicáveis em cenários existenciais distintos?

Bibliografia Específica:


1. Arakaki, Kátia; Viagens Internacionais: O Nomadismo da Conscienciologia; pref. Simone de La Tour;
revisores Cathia Caporali; et al.; 294 p.; 33 caps.; 13 abrevs.; 123 enus.; 1 foto; 1 microbiografia; miniglos. 106 termos;
glos. 155 termos; 244 refs.; alf.; geo.; ono.; 21 x 14 cm; br.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2005;
páginas 1 a 294.
2. Vieira, Waldo; Homo sapiens reurbanisatus; 1.584 p.; 479 caps.; 139 abrevs.; 597 enus.; 413 estrangeiris-
mos; 102 filmes; 40 ilus.; 7 índices; 3 infografias; 102 sinopses; 25 tabs.; glos. 241 termos; 7.665 refs.; alf.; geo.; ono.; 29
x 21 x 7 cm; enc.; 3ª Ed. Gratuita; Associação Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC);
Foz do Iguaçu, PR; 2004; páginas 836 a 860.
3. Idem; Manual da Proéxis: Programação Existencial; 168 p.; 40 caps.; 17 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br.;
3ª Ed.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 2003; páginas 31, 32, 61 a 75.
4. Idem; 700 Experimentos da Conscienciologia; 1.058 p.; 700 caps.; 147 abrevs.; 600 enus.; 8 índices;
2 tabs.; 300 testes; glos. 280 termos; 5.116 refs.; alf.; geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Instituto Internacional de Proje-
ciologia;
Rio de Janeiro, RJ; 1994; páginas 268, 279, 316, 317, 421, 626, 637 e 716.

Webgrafia Específica:

1. Blatter, Joachim K.; Erdmann, Stefanie; & Schwanke, Katja; Acceptance of Dual Citizenship: Empirical
Data and Political Contexts;
65 p.; Artigo; Working Paper Series Global Governance and Democracy 02; 3 gráfs.; 1 ma-
pa; 30 tabs.; 334 refs.; 1 apênd.; disponível em:<http://www.unilu.ch/files/Acceptance-of-Dual-Citizenship-wp02.pdf>;
Institute of Political Science University of Lucerne;
Lucerne, Suíça; 2009; acesso em: 05.03.11.
2. Faist, Thomas; & Gerdes, Jürgen; Dual Citizenship in an Age of Mobility; 21 p.; Artigo; Site; 1 mapa;
5 tabs.; 17 refs.; 2 apênds.; disponível em: <http://www.migrationpolicy.org/transatlantic/docs/Faist-FINAL.pdf>; Migra-
tion Policy Institute;
Washington, DC; EUA; 2008; acesso em: 05.03.11.
3. Hansen, Randall; & Weil, Patrick; Dual Nationality, Social Rights and Federal Citizenship in the U.S. and
Europe: The Reinvention of Citizenship;
352 p.; 14 caps.; alf.; 22,6 x 15,8 cm; disponível em: <http://books.google.com/
books?id=sHTJ2Zy4vXQC&pg=PA7&lpg=PA7&dq=dual+citizenship+trend&source=bl&ots=zpLnBG5S4_&sig=WbdU
iZckdZP17QrsWJpsB5tAY&hl=en&ei=xUGCTYeXIcWgtgfgie3ABA&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=10&v
ed=0CFIQ6AEwCTgU#v=onepage&q=dual%20citizenship%20trend&f=false>; Berghahn Books Inc.; Nova York, NY;
EUA; 2002; acesso em: 06.03.11.
4. Østergaard-Nielsen, Eva; Dual Citizenship: Policy Trends and Political Participation in EU Member
States;
13 p.; Artigo; Site; 24 refs.; disponível em:<http://www.europarl.europa.eu/document/activities/cont200807/20080
702ATT33270/ 20080702ATT33270EN.pdf>; European Parliament; Bruxelas, Bélgica; 2008; acesso em: 05.03.11.

L. F.