Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


CRESCENDO AUTAPRENDIZADO-NEODESAFIO

(AUTODESASSEDIOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
O crescendo autaprendizado-neodesafio é o movimento progressivo, carac-
terizado pela extração máxima dos aprendizados evolutivos, levando a conscin, homem ou mu-
lher, ao novo patamar de desafios, conjunturas, experiências e superações inéditos.
Tematologia.
Tema central homeostático.
Etimologia.
O vocábulo crescendo provém do idioma Italiano, crescendo, e este do idio-
ma Latim, crescendum, de crescere, “crescer; brotar; nascer; ser criado; elevar-se; engrandecer-
-se; aumentar; multiplicar-se”. Surgiu em 1873. O primeiro elemento de composição auto deriva
do idioma Grego, autós, “eu mesmo; por si próprio”. A palavra aprendizado vem do idioma Fran-
cês, apprentissage, “ação de aprender algum ofício ou profissão”. Apareceu em 1899. O elemento
de composição neo provém do idioma Grego, néos, “novo”. Surgiu, na Linguagem Científica In-
ternacional,
a partir do Século XIX. O prefixo des procede do idioma Latim, dis ou de ex, “oposi-
ção; negação; falta”. O termo afiar vem do idioma Português Antigo, afiar, “afiançar; manter fi-
delidade com alguém”, e este do idioma Latim, fidere, “fiar-se; confiar”. O vocábulo desafiar sur-
giu no Século XIII. A palavra desafio apareceu no Século XV.
Sinonimologia:
1. Crescendo autaprendizagem-neodesafio. 2. Crescendo autocogni-
ção-neodesafio
. 3. Crescendo autaprendizagem-neoenfrentamento. 4. Crescendo autaprendiza-
gem-autossuperação
.
Neologia.
As 3 expressões compostas crescendo autaprendizado-neodesafio, crescendo
inicial autaprendizado-neodesafio
e crescendo avançado autaprendizado-neodesafio são neolo-
gismos técnicos da Autodesassediologia.
Antonimologia:
1. Crescendo ignorância-estagnação regressiva. 2. Crescendo patoló-
gico deseducação-estagnação
. 3. Crescendo autapedeutismo-pusilanimidade.
Estrangeirismologia:
a construção do know-how consciencial.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto ao aprendizado com as próprias experiências.
Megapensenologia.
Eis megapensene trivocabular relativo ao tema: - Aprendizado:
aproveitamento útil
.
Citaciologia:
- Não é que o tempo seja mestre em nos ensinar o óbvio. Nós é que demo-
ramos demais para o óbvio aprendermos!
(Augusto Branco, 1980-). Há três métodos para ga-
nhar sabedoria: primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; segundo, por imitação, que é o mais
fácil; e terceiro, por experiência, que é o mais amargo
(Confúcio, 551-479 a.e.c.). Não há dor
que o tempo não cure
(Bocage, 1765-1805).
Proverbiologia:
- Tudo que está se repetindo na sua vida significa algo que você preci-
sa aprender e não está aprendendo
.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal da reciclogenia; o holopensene do abertismo cons-
ciencial; o holopensene da autassistência; o holopensene da inteligência evolutiva (IE).

Fatologia:
o tempo necessário do aprendizado psicossomático; o tempo da autossupera-
ção; o autesforço para não repetir os antigos erros; os erros a serem evitados após autossuperação
dos velhos erros; a inteligência de aproveitar o aqui e agora para aprender e vivenciar com as
oportunidades surgidas; o início da aprendizagem mentalsomática refletindo no psicossoma; a es-
colha reflexiva freiando os impulsos do psicossoma; o reencontro dos parceiros do passado ati-
vando o psicossoma; a saudade com ênfase dramática focada na ausência do outro; o transe afeti-
vo das paixonites; o tempo de digerir os fatos vivenciados com muita intensidade emocional;

a presença de sofrimento indicando a necessidade de aprendizado; a recaída emocional quando
a situação ainda não foi superada; as situações nosográficas interferindo e confundindo o padrão
pessoal; a teimosia do apego ao deleitável anticosmoético; as carências pessoais baixando o nível
de lucidez; a proposta irresistível recusada em momentos de autodesassédio; o autocontrole; a au-
sência de ansiedade; a escrita ajudando no autodesassédio; o tempo de assimilação e desassimila-
ção ideativa; a reflexão sem drama; a reflexão autocurativa analisando as próprias paixões ou
conflitos do momento; o estudo dos próprios erros; o trafar pesquisado para ser superado; a calma
consigo mesmo(a); a paciência com os próprios erros; a compreensão com os erros alheios;
o tempo do entendimento do outro; a superação das dificuldades pessoais; o aprendizado na soli-
citude profícua; o aprendizado na convivência no grupo; o foco na produção mentalsomática;
a cosmovisão da transitoriedade de situações difíceis; o entendimento de situações nas quais se
pode escolher a ação à respeito do sentimento aflorado; a serenidade de se ter a vida inteira para
reciclar traço milenar; a libertação do passado através de autossuperações reciclogênicas; o res-
peito pelos erros e dificuldades dos outros; a compreensão da diversidade das consciências e os
próprios limites; a completude consigo mesmo; o término de lição evolutiva e o início de outra;
os aprendizados da vida desenvolvendo o autoconhecimento da conscin interessada; o sujeito ati-
vo de múltiplas modalidades de aprendizagem; as habilidades aprendidas; a escolha mentalsomá-
tica assertiva.

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; os acoplamentos
saudáveis; os acoplamentos patológicos; os desacoplamentos interconscienciais desassediadores;;
a reflexão na tenepes; o recebimento na tenepes das consciex envolvidas no embrólio; as visões
patrocinadas pelo extrafísico do melhor caminho a ser seguido; os vários fenômenos se manifes-
tando nas projeções conscienciais (PCs) lúcidas; a aula extrafísica; a projeção precognitiva; a pro-
jeção retrocognitiva; a ajuda de grupo de consciexes amparadoras; a equipex intervindo didatica-
mente para promoção do discernimento pessoal.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo desafio-aprendizado; o sinergismo autocura-autoliberta-
ção;
o sinergismo crescer-curar-superar; o sinergismo vontade-autossuperação; o sinergismo
autorreflexão-autossuperação
.
Principiologia:
o princípio de toda consciência ter algo a ensinar e muito a aprender;
a postura pessoal no princípio de aprender com os próprios erros; o princípio da atração entre os
afins;
o princípio “toda consciência evolui pelo esforço individual, porém agiliza a evolução em
grupo”;
o princípio da descrença (PD).
Codigologia:
o código pessoal de Cosmoética (CPC); o código grupal de Cosmoética
(CGC).
Teoriologia:
a teoria das recins e recéxis; a teoria da evolução consciencial; a teoria
e a prática da evolução consciencial em grupo
.
Tecnologia:
a técnica do sobrepairamento; a técnica da Conscienciologia dos 5 itens
aceitar, assumir, aprender, anular e acertar;
a técnica de mais 1 ano de vida intrafísica; a técni-
ca dos mapas conceituais;
as estratégias de aprendizagem usando várias técnicas.
Voluntariologia:
o voluntariado enquanto exercício de aprendizagem evolutiva; o vo-
luntariado como exercício para a aprendizagem das autossuperações;
as autossuperações promo-
vidas pela convivência grupal no voluntariado.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Autevoluciologia; o labcon.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Despertologia; o Colégio Invisível da Cosmoetico-
logia;
o Colégio Invisível da Paradireitologia.
Efeitologia:
o efeito positivo de desassimilar totalmente a experiência negativa; o efeito
do aprendizado pessoal refletido nas energias;
o efeito positivo de entender as próprias limita-
ções;
o efeito da lição aprendida e do trafar superado.

Neossinapsologia:
as neossinapses advindas das autossuperações; as neossinapses pre-
dominando sobre as retrossinapses anacrônicas;
as neossinapses sadias.
Ciclologia:
o ciclo repetitivo das mesmas lições quando não aprendida; o ciclo da ansi-
edade recorrente
em situações ainda não superadas; o ciclo do tempo; o ciclo da autodescoberta
do padrão saudável;
o ciclo da autossuperação; o ciclo imaturidade-maturidade; o ciclo igno-
rância-aprendizado
.
Binomiologia:
o binômio tempo-aprendizado; o binômio desafio-esforço; o binômio co-
ragem-superação;
o binômio criatividade-aprendizagem.
Interaciologia:
a interação entre o indivíduo e o grupo; a interação entre os indivíduos.
Crescendologia:
o crescendo autaprendizado-neodesafio; o crescendo assistido-assis-
tente;
o crescendo evolutivo cronológico; o crescendo ignorante-conhecedor; o crescendo auto-
descontrole-autocontrole
.
Trinomiologia:
o trinômio passado-presente-futuro; o trinômio aprendizado formal-
-aprendizado parapsíquico-autoconvicção experimentológica;
o trinômio intencionalidade-pers-
pectiva-prospectiva;
o trinômio crise-reação-reerguimento; o trinômio início-meio-fim.
Polinomiologia:
o polinômio inexperiência-experiência-aprendizado-conhecimento con-
solidados; o polinômio inocente útil-tendências patológicas-reciclagens intraconscienciais-
-novo patamar evolutivo;
o polinômio mnemônico compreender-adquirir-conservar-lembrar;
o polinômio decisão-posicionamento-ação-continuísmo-conclusão; o polinômio primeiro artigo-
-primeiro verbete-primeiro livro-megagescon
.
Antagonismologia:
o antagonismo fuga consciencial / autenfrentamento; o antagonis-
mo experiente / amador;
o antagonismo recuo / avanço; o antagonismo decidofilia / decidofobia;
o antagonismo vontade de acertar / medo de errar; o antagonismo vontade débil / vontade inque-
brantável
.
Paradoxologia:
o paradoxo do erro corretor; o paradoxo autonomia intraconsciencial-
-interdependência consciencial
.
Politicologia:
a meritocracia; a autassistenciocracia; a lucidocracia; a cogniciocracia.
Legislogia:
a lei do livre arbítrio; a lei do maior esforço evolutivo; a lei da evolução
contínua;
a lei da empatia.
Filiologia:
a evoluciofilia; a autassistenciofilia; a superaciofilia; a autexperimentofilia.
Fobiologia:
a decidofobia; a criticofobia.
Sindromologia:
a síndrome da mediocrização; a síndrome da dispersão consciencial;
a síndrome da impontualidade; a síndrome do ansiosismo; a síndrome do déficit de atenção e hi-
peratividade
(TDAH); a síndrome autista; a síndrome disléxica.
Maniologia:
a mania de não querer aprender; a mania da autossabotagem.
Mitologia:
o mito da impossibilidade da própria aprendizagem.
Holotecologia:
a metodoteca; a cronoteca; a recexoteca; a evolucioteca.
Interdisciplinologia:
a Autodesassediologia; a Acertologia; a Adaptaciologia; a Antie-
voluciologia; a Voliciologia; a Autocronologia; a Holomaturologia; a Vivenciologia; a Assisten-
ciologia; a Despertologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin aprendiz; a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto;
o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Masculinologia:
o semperaprendente; o parapsíquico; o agente precognitor; o autodeci-
sor; o intermissivista; o compassageiro evolutivo; o completista; o conscienciólogo; o conviviólo-
go; o duplista; o proexista; o proexólogo; o reeducador; o escritor; o evoluciente; o exemplarista;
o intelectual; o reciclante existencial; o inversor existencial; o maxidissidente ideológico; o tene-
pessista; o parapercepciologista; o pesquisador; o projetor consciente; o tertuliano; o verbetólogo;
o voluntário; o homem de ação.

Femininologia:
a semperaprendente; a parapsíquica; a agente precognitora; a autodeci-
sora; a intermissivista; a compassageira evolutiva; a completista; a consciencióloga; a conviviólo-
ga; a duplista; a proexista; a proexóloga; a reeducadora; a escritora; a evoluciente; a exemplarista;
a intelectual; a reciclante existencial; a inversora existencial; a maxidissidente ideológica; a tene-
pessista; a parapercepciologista; a pesquisadora; a projetora consciente; a tertuliana; a verbetólo-
ga; a voluntária; a mulher de ação.

Hominologia:
o Homo sapiens semperaprendens; o Homo sapiens experimentalis;
o Homo sapiens temporalis; o Homo sapiens progressivus; o Homo sapiens autolucidus; o Homo
sapiens attentus;
o Homo sapiens determinator; o Homo sapiens holomaturus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
crescendo inicial autaprendizado-neodesafio = aquele resultante dos au-
tenfrentamento das injunções humanas a fim de realizar satisfatoriamente a autoproéxis; crescen-
do avançado autaprendizado-neodesafio
= aquele resultante da atuação consciente enquanto mi-
nipeça do Maximecanismo Multidimensional Interassistencial, a fim de realizar satisfatoriamente
a maxiproéxis grupal.

Culturologia:
a cultura da aprendizagem contínua; a cultura da Recexologia (recéxis
e recin); a cultura da autopesquisa; a cultura da liberdade possível; a cultura da curiosidade pes-
quisística
.

Taxologia.
Sob a ótica da Evoluciologia, eis, em ordem alfabética, 15 habilidades ou
condições conscienciais e conceitos necessários ajudando na aprendizagem e autossuperação para
se chegar a novos desafios:
01. Abertismo: do fechadismo para novos conhecimentos.
02. Adaptabilidade: do inadaptável para a capacidade de se adaptar de acordo com as
necessidades, situações e circunstâncias.
03. Antiemocionalidade: da psicossomática (ansiedade) para a mentalsomática (ponde-
ração).
04. Aprofundamento: da superfície rasa para o aprofundamento nos detalhes.
05. Autocrítica: da alienação à capacidade de reconhecer qualidades, defeitos do pró-
prio caráter.
06. Criatividade: da infertilidade à inventividade e uso dos talentos em prol da evolu-
ção pessoal e grupal.
07. Estímulos: do desânimo a autoconvocação para todo tipo de motivação evolutiva.
08. Locus: do externo para o interno.
09. Maturidade: da infantilização à condição de plenitude das habilidades adquiridas.
10. Mudança: da insegurança (foco na perda egocêntrica) para a autoconfiança (foco
no ganho evolutivo).
11. Neofilia: do obsoleto à apreciação de coisas novas.
12. Ressignificação: das crenças limitantes à atribuição de novo significado através de
mudanças de visão de mundo.
13. Zona de conforto: da estagnação e repetição para a zona de aprendizado.

Tabelologia.
Eis, por exemplo, em ordem alfabética, o cotejo entre 18 posturas pró-
-aprendizado e posturas antiaprendizado para autavaliação do pesquisador(a), ajudando no desen-
volvimento do crescendo autaprendizado-neodesafio:

Tabela - Cotejo Posturas Pró-Aprendizado versus Posturas Antiaprendizado

N
os
Posturas Pró-Aprendizado Posturas Antiaprendizado

01.
Aglutinadora Centralizadora

02.
Autexpositiva cosmoética Autorrepressiva

04.
Autocurativa Autodestrutiva

03.
Autodesassediadora Autassediadora

05.
Autoimperdoadora Punitiva

06.
Autoinvestigativa Desinteressada

07.
Autopacificadora Belicista

08.
Autorrecicladora Fugidia à reciclagem

09.
Concessiva cosmoética Avarenta

10.
Descrenciológica Dogmática

11.
Discreta Espalhafatosa

12.
Empática Apática

13.
Interassistencial Assediadora

14.
Reflexiva Dispersiva

15.
Responsável Irresponsável

16.
Semperaprendente Apedeuta

17.
Serena Perturbada

18.
Soerguedora Derrotista

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com o crescendo autaprendizado-neodesafio, indicados para
a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens
interessados:
01. Aceleração da História Pessoal: Evoluciologia; Homeostático.
02. Anacronismo: Paracronologia; Nosográfico.
03. Aproveitamento do tempo: Autoproexologia; Homeostático.
04. Autassédio: Parapatologia; Nosográfico.
05. Autassédio emocional: Autassediologia; Nosográfico.
06. Autossuficiência evolutiva: Evoluciologia; Homeostático.
07. Ciclo evolutivo pessoal: Evoluciologia; Homeostático.
08. Consciência crescente: Autopesquisologia; Homeostático.
09. Crescendo preconceito-conceito fundamentado: Intraconscienciologia; Homeos-
tático.
10. Crescendo reeducação-ortoconvívio: Conviviologia; Homeostático.
11. Ectopia consciencial: Parapatologia; Nosográfico.
12. Estagnação consciencial: Autassediologia; Nosográfico.
13. Repetição paciente: Experimentologia; Homeostático.

14. Subintrância cronêmica: Paracronologia; Neutro.
15. Técnica do crescendo: Comunicologia; Neutro.

A AUTOSSUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES VIVENCIADAS
NOS CONTEXTOS E EXPERIÊNCIAS CONSCIENCIAIS COM-
PLEXAS LEVA A CONSCIN, NO
CRESCENDO AUTAPREN-
DIZADO-NEODESAFIO, AO NOVO PATAMAR EVOLUTIVO.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, em quais áreas da vida já vivenciou contextos
desafiadores? Como avalia o efeito desses aprendizados para enfrentamento de novos desafios?

Bibliografia Específica:


1. Portilho, Evelise; Como se aprende? Estratégias, Estilos e Metacognição; 162 p.; 4 partes; 67 refs.; br.;
2
a
Ed.; Wak Editora; Rio de Janeiro, RJ; 2011; páginas 77 a 155.
2. Vieira, Waldo; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; revi-
sores Alexander Steiner; et al.; 1.254 p.; 18 seções; 525 caps.; 150 abrevs.; 17 E-mails; 1.156 enus.; 1 escala; 1 foto;
3 gráfs.; 42 ilus.; 1 microbiografia; 1 sinopse; 2 tabs.; 15 websites; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21
x 7 cm; enc.; 10ª Ed. rev. e aum.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2009; páginas 612, 613 e 849.
3. Idem; 700 Experimentos da Conscienciologia; revisores Ana Maria Bonfim; Everton Santos; & Tatiana
Lopes; 1.088 p.; 40 seções; 100 subseções; 700 caps.; 147 abrevs.; 1 blog; 1 cronologia; 100 datas; 20 E-mails; 600 enus.;
272 estrangeirismos; 1 fórmula; 1 foto; 1 microbiografia; 56 tabs.; 57 técnicas; 300 testes; 21 websites; glos. 280 termos;
5.116 refs.; alf.; geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; 3ª Ed. rev. e amp.; Associação Internacional Editares; Foz do Igua-
çu, PR; 2013; páginas 82 e 617.

L. M. C.