Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


COBRADOR AFETIVO

(PARAPATOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
O cobrador afetivo é a conscin carente, homem ou mulher, reclamante
e reivindicadora de estima, afeição, atenção ou admiração, vivendo centrada em si mesma, em
constante vitimização, acomodada na condição de atribuir ao outro a responsabilidade pela insa-
tisfação pessoal.
Tematologia.
Tema central nosográfico.
Etimologia.
O vocábulo cobrança vem de recobrar, e este deriva do idioma Latim, re-
cuperare,
“recuperar; reaver”. Surgiu no Século XIV. O termo cobrador apareceu no Século
XVII. A palavra afetivo deriva também do idioma Latim, affectivus, “que exprime desejo; afeti-
vo”. Surgiu no Século XVII.
Sinonimologia:
1. Cobrador de afeto. 2. Reivindicante afetivo. 3. Reclamante afetivo.
Neologia.
As duas expressões compostas minicobrador afetivo e maxicobrador afetivo
são neologismos técnicos da Parapatologia.
Antonimologia:
1. Gratificador afetivo. 2. Doador afetivo. 3. Oferente de afeto.
Estrangeirismologia:
o emotional collector da afetividade; a conscin victimizer;
o emotional-claim man.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à maturescência psicossomática.
Megapensenologia.
Eis 2 megapensenes trivocabulares relativos ao tema: - Cobrança
afetiva: imaturidade
. Insatisfação: imaturidade pessoal.
Ortopensatologia:
- “Afetividade. A condição patológica precisa ser enfrentada, inde-
pendentemente de haver relação afetiva envolvida no caso.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal da vitimização; o holopensene da autocorrupção;
o holopensene da sobrevalorização da forma; o holopensene carregado no sen; a rigidez autopen-
sênica; a crescente maturidade proporcionando a flexibilidade pensênica; a holopensenidade efi-
caz; a pensenidade do autocontrole psicossomático; os ortopensenes; a ortopensenidade; o holo-
pensene pessoal da afetividade universalista.

Fatologia:
as exigências psicossomáticas; a predominância do emocionalismo; o egoís-
mo; a ectopia afetiva; as imaturidades afetivas; os amores errados; a idealização do recebimento
de amor; as inabilidades nas relações emocionais cotidianas; os ganhos secundários; a preocupa-
ção com a autoimagem; a vaidade; a compulsividade em comprar; o discurso convincente sem co-
nhecimento de causa; as autorreconciliações pendentes; a perda de tempo na heteroconciliação;
a dramatização dos fatos; o ato de carregar nas tintas; a causa oculta de reincidência de erros
pessoais; a predisposição à interprisão grupocármica; a sobrevalorização das dificuldades e obstá-
culos pessoais; o reconhecimento da mágoa; a catarse sobre o sentimento de rejeição; o entendi-
mento dos fatos; a mudança de foco para fora de si; a busca da compreensão por meio da Consci-
encioterapia; a busca do autoconhecimento na Conscienciometria; o autenfrentamento pessoal na
condição de conscin-cobaia; a compreensão cognitiva do processo pessoal nas recins e recéxis;
a vivência da assistencialidade sem retorno; o exemplarismo interassistencial; a intencionalidade
sadia; a autenticidade cosmoética; a superação do sentimento de abandono nos relacionamentos;
o agradecimento aos aportes recebidos por meio do grupocarma no desenvolvimento evolutivo da
autoproéxis.

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; o rapport com as
consciexes carentes; a tenepes na condição de assistência multidimensional às conscins e consci-
exes; a sinalética energética e parapsíquica pessoal proporcionando a identificação do assediador
e do amparador; a supertaxa afetiva do megassediador; o autodistanciamento das manifestações
paratransafetivas do Homo sapiens serenissimuns.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo carência afetiva-baixa autestima; o sinergismo necessi-
dade de aprovação-busca de heterorreconhecimento
.
Principiologia:
o princípio de causa e efeito das ações da consciência na intraconscien-
cialidade
.
Codigologia:
o código pessoal de Cosmoética (CPC).
Teoriologia:
a teoria da interprisão grupocármica; a teoria da assedialidade intracons-
ciencial;
a teoria do porão consciencial; a teoria da atração dos afins; a teoria da inteligência
evolutiva
(IE); a teoria do Serenismo indicando meta evolutiva.
Tecnologia:
a técnica do Conscienciograma; a técnica da conscin-cobaia; a técnica de
levar tudo de eito;
a técnica da cultura útil; a técnica de colocar-se no lugar do outro; a técnica
de refletir antes de agir;
a técnica da assimilação simpática (assim); a técnica da desassimilação
simpática
(desassim).
Voluntariologia:
o voluntariado enquanto ferramenta de autoconhecimento pessoal
e grupal.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Autopensenologia; o laboratório
conscienciológico da Autocosmoeticologia;
o laboratório conscienciológico da Autopesquisolo-
gia;
o laboratório conscienciológico da Autoproexologia; o laboratório conscienciológico da
Evoluciologia
.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Conscienciometrologia; o Colégio Invisível da
Consciencioterapia;
o Colégio Invisível da Conviviologia; o Colégio Invisível da Psicossomato-
logia;
o Colégio Invisível da Despertologia.
Efeitologia:
o efeito halo da reciclagem intraconsciencial na evolução pessoal.
Neossinapsologia:
as neossinapses da gratidão; as neossinapses da autobenignidade; as
neossinapses da reestruturação pensênica
.
Ciclologia:
o ciclo patológico das imaturidades; o ciclo das reciclagens; o ciclo das in-
terpretações dos acontecimentos;
o ciclo das autorreflexões.
Enumerologia:
a autoconsciencioterapia afetiva; a recin afetiva; a superação da carência
afetiva;
a liberdade afetiva; o discernimento na vida afetiva; a maturidade afetiva; a inteligência
afetiva
.
Binomiologia:
o binômio algoz-vítima; o binômio reflexão-neoabordagens.
Interaciologia:
a interação Autoconscienciometria-Autoconsciencioterapia.
Crescendologia:
o crescendo completismo diário-completismo existencial.
Trinomiologia:
o trinômio autolucidez-autocrítica-autodiscernimento.
Polinomiologia:
o polinômio vontade-intenção-decisão-ação.
Antagonismologia:
o antagonismo defesa patológica / liberdade interior; o antagonis-
mo afetividade imatura / afetividade madura
.
Paradoxologia:
o paradoxo de o assistente ser o primeiro assistido.
Politicologia:
a cosmoeticocracia.
Legislogia:
a lei do maior esforço aplicada às autorreciclagens.
Filiologia:
a recinofilia.
Fobiologia:
a fobia do ônus do não; a fobia da rejeição.
Sindromologia:
a síndrome da ectopia afetiva (SEA); a síndrome do bonzinho; a sín-
drome do abandono;
a síndrome do hiperconsumismo; a síndrome da subestimação; a síndrome
da dispersão consciencial;
a síndrome da autovitimização; a síndrome do ansiosismo; as síndro-
mes patológicas agudas ou crônicas
.

Mitologia:
o mito da ação sem retorno; o mito da necessidade de heteraprovação; o mi-
to de poder monopolizar com exclusividade o afeto ou o amor de alguém
.
Holotecologia:
a recexoteca; a recinoteca; a convivioteca; a socioteca; a egoteca; a as-
sistencioteca; a consciencioteca; a maturoteca.
Interdisciplinologia:
a Parapatologia; a Recinologia; a Recexologia; a Conscienciome-
trologia; a Interassistenciologia; a Autodesassediologia; a Autodiscernimentologia; a Auconscien-
cioterapia; a Conviviologia; a Autocognociologia; a Autexperimentologia; a Autevoluciologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin carente; a conscin cobradora; a consciência energívora; a consréu
ressomada; a conscin baratrosférica; a conscin vampirizadora; a isca humana inconsciente; a pes-
soa queixosa; a consciência-títere.

Masculinologia:
o cobrador afetivo; o reclamante afetivo; o reivindicador afetivo; o as-
sediador intrafísico; o assediador extrafísico; o evoluciente; o vitimizado.

Femininologia:
a cobradora afetiva; a reclamante afetiva; a reivindicadora afetiva; a as-
sediadora intrafísica; a assediadora extrafísica; a evoluciente; a vitimizada.

Hominologia:
o Homo sapiens reurbanisatus; o Homo sapiens anticosmoethicus; o Ho-
mo sapiens psychossomaticus;
o Homo sapiens immaturus; o Homo sapiens antievolutivus; o Ho-
mo sapiens antiexemplaris;
o Homo sapiens autovictimatus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
minicobrador afetivo = a conscin carente monopolizadora da atenção
e afeição dos compassageiros evolutivos no grupo familiar; maxicobrador afetivo = a conscin ca-
rente monopolizadora da atenção e afeição dos compassageiros evolutivos em qualquer grupo.

Culturologia:
a cultura do infantilismo; a cultura da terceirização.

Terapeuticologia.
Sob a ótica da Conscienciometrologia, eis, por exemplo, na ordem al-
fabética, 7 enfoques relevantes na superação da cobrança afetiva:
1. Autopesquisa: investigar o nível do egoísmo pessoal.
2. Autorreeducação: buscar maior lucidez quanto ao grau da infantilidade afetiva.
3. Autossuperação: eliminar a visão trafarista de si mesmo.
4. Autovalorização: desenvolver o autoafeto.
5. Compensação: compreender o mecanismo desencadeador da autocarência afetiva.
6. Preenchimento: pesquisar e preencher os traços faltantes (trafais) à realização das
recins.
7. Traforismo: empregar os autotrafores na superação das lacunas afetivas.

Caracterologia.
Sob a ótica da Recinologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 50
trafares, posturas ou condutas a serem reciclados pela conscin interessada em desenvolver a ma-
turidade afetiva:
01. Antidiscernimento.
02. Antievolutividade.
03. Autassedialidade.
04. Autestigmatização.
05. Autocobrança mortificadora.
06. Autocracia.
07. Autoculpa.

08. Autodesvalorização.
09. Autoimagem distorcida.
10. Autopunição.
11. Autoritarismo.
12. Autorrejeição.
13. Autorrepressão.
14. Autorrotulação.
15. Carência social.
16. Competitividade.
17. Consumismo.
18. Controle.
19. Culpabilização.
20. Dependência afetiva.
21. Dependência material.
22. Desatenção.
23. Distorção cognitiva.
24. Dramatização.
25. Egocentrismo.
26. Exigência.
27. Hipocondria.
28. Impaciência.
29. Impulsividade.
30. Indignação.
31. Infantilidade.
32. Insegurança.
33. Irritabilidade.
34. Isolamento social.
35. Loc externo.
36. Mesquinhez.
37. Orgulho.
38. Patopensenidade.
39. Permissividade.
40. Psicossomaticidade destrambelhada.
41. Pusilanimidade.
42. Queixume.
43. Raiva.
44. Reatividade.
45. Repressão.
46. Superficialidade.
47. Terceirização dos insucessos.
48. Vício da adrenalina.
49. Vitimização.
50. Workaholism.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com o cobrador afetivo, indicados para a expansão das abor-
dagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Afetividade: Psicossomatologia; Neutro.
02. Amor doador: Autodiscernimentologia; Homeostático.
03. Ansiedade: Psicossomatologia; Nosográfico.

04. Autabastança psicossomática: Autodiscernimentologia; Homeostático.
05. Autassédio: Parapatologia; Nosográfico.
06. Autodiscernimento afetivo: Mentalsomatologia; Homeostático.
07. Autopesquisa da afetividade: Mentalsomatologia; Homeostático.
08. Autorrepressão emocional: Parapatologia; Nosográfico.
09. Carência insatisfeita: Autoproexologia; Neutro.
10. Crise pessoal: Evoluciologia; Neutro.
11. Desafeição: Parapatologia; Nosográfico.
12. Distorção cognitiva: Parapatologia; Nosográfico.
13. Rejeição na infância: Psicossomatologia; Nosográfico.
14. Taxa afetiva: Psicossomatologia; Nosográfico.
15. Viragem assistido-assistente: Assistenciologia; Homeostático.

O
COBRADOR AFETIVO, AO MONOPOLIZAR A ATENÇÃO
DOS COMPASSAGEIROS EVOLUTIVOS,
ATRAVANCA O DE-
SEMPENHO DA CONVIVIALIDADE SADIA DIFICULTANDO

O AUTAPRENDIZADO DA HOLOMATURIDADE EMOCIONAL.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, identifica traços pessoais de cobrança afetiva?
Quais ações recinológicas está implementando com vistas à conquista da afetividade sadia nesta
existência?

Bibliografia Específica:


1. Vieira, Waldo; Conscienciograma: Técnica de Avaliação da Consciência Integral; revisor Alexander
Steiner; 344 p.; 150 abrevs.; 106 assuntos das folhas de avaliação; 3 E-mails; 11 enus.; 100 folhas de avaliação; 1 foto;
1 microbiografia; 100 qualidades da consciência; 2.000 questionamentos; 100 títulos das folhas de avaliação; 1 website;
glos. 282 termos; 7 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br.; Instituto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1996; páginas
92 a 111.
2. Idem; Homo sapiens pacificus; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 1.584 p.; 24 seções; 413
caps.; 403 abrevs.; 38 E-mails; 434 enus.; 484 estrangeirismos; 1 foto; 37 ilus.; 168 megapensenes trivocabulares; 1 mi-
crobiografia; 36 tabs.; 15 websites; glos. 241 termos; 25 pinacografias; 103 musicografias; 24 discografias; 20 cenogra-
fias; 240 filmes; 9.625 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21,5 x 7 cm; enc.; 3ª Ed. Gratuita; Associação Internacional do Centro
de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); & Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2007; páginas
35 a 38.
3. Idem; Homo sapiens reurbanisatus; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 1.584 p.; 24 seções; 479
caps.; 139 abrevs.; 12 E-mails; 597 enus.; 413 estrangeirismos; 1 foto; 40 ilus.; 1 microbiografia; 25 tabs.; 4 websites;
glos. 241 termos; 3 infográficos; 102 filmes; 7.665 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21 x 7 cm; enc.; 3ª Ed. Gratuita; Associação
Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; 2004; páginas 471 a 473.
4. Idem; Léxico de Ortopensatas; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 2 Vols.; 1.800 p.; Vols.
1 e 2; 1 blog; 652 conceitos analógicos; 22 E-mails; 19 enus.; 1 esquema da evolução consciencial; 17 fotos; glos. 6.476
termos; 1.811 megapensenes trivocabulares; 1 microbiografia; 20.800 ortopensatas; 2 tabs.; 120 técnicas lexicográficas;
19 websites; 28,5 x 22 x 10 cm; enc.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2014; página 56.

M. Z.