Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


CÁPSULA DO TEMPO CINEMASCÓPICA

(AUTORREVEZAMENTOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A cápsula do tempo cinemascópica é a gravação ou filmagem do trabalho
ou obra da conscin lúcida, hoje, por meio da megagescon filmada e fixada, por exemplo, nos
arquivos (DVDs) das tertúlias diárias do Tertuliarium do CEAEC, recurso superior - em função
das imagens -, à megagescon da obra prima escrita, no universo dos autorrevezamentos multie-
xistenciais.
Tematologia.
Tema central neutro.
Etimologia.
A palavra cápsula vem do idioma Latim, capsula, “caixa; cofrezinho”. Sur-
giu no Século XVIII. O vocábulo tempo deriva também do idioma Latim, tempus, “tempo; esta-
ção; ocasião; oportunidade; circunstância”. Apareceu no Século XIII. O termo do idioma Inglês,
cinemascope,
é construído por cinema, do idioma Francês, cinéma, e este do idioma Grego, kiné-
ma,
“movimento”, e por scope, também derivado do idioma Grego, skopê, “ação de observar;
observatório”. Surgiu, no idioma Português, em 1953.
Sinonimologia:
01. Cápsula do tempo cinematográfica. 02. Cápsula do tempo filmo-
gráfica. 03. Cápsula do tempo pictográfica. 04. Autorrevezamento multiexistencial cinematográ-
fico. 05. Autorrevezamento multiexistencial cinemascópico. 06. Autorrevezamento multiexisten-
cial filmográfico. 07. Autorrevezamento multiexistencial pictográfico. 08. Cápsula do tempo vi-
deografada. 09. Cápsula do tempo videográfica. 10. Autorrevezamento multiexistencial video-
gráfico.
Cognatologia.
Eis, na ordem alfabética, 21 cognatos derivados do vocábulo cápsula:
capsulação; capsuláceo; capsulada; capsulado; capsular; capsulectomia; capsulectômica; cap-
sulectômico; capsulífera; capsulífero; capsuliforme; capsulite; capsulítica; capsulítico; capsulo-
lenticular; capsulorrafia; capsulorráfico; capsulotomia; capsulotômica; capsulotômico; capsuló-
tomo
(afora 19 outros cognatos a partir do vocábulo encapsulamento).
Neologia.
As 3 expressões compostas cápsula do tempo cinemascópica, cápsula do tem-
po cinemascópica preparada
e cápsula do tempo cinemascópica aproveitada são neologismos
técnicos da Autorrevezamentologia.
Antonimologia:
1. Cápsula do tempo escrita. 2. Cápsula do tempo grafada. 3. Autorre-
vezamento multiexistencial escrito. 4. Autorrevezamento multiexistencial grafado.
Estrangeirismologia:
o déjà-vu; o Retrocognitarium; a notitia innata; o shibboleth evo-
lutivo pessoal; o codex subtilissimus pessoal; o videomaker; o close up; a panoramic view.
Atributologia:
predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscer-
nimento quanto à holomaturidade da Autosseriexologia.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal dos rastropensenes; a rastropensenidade; os paleo-
pensenes sadios; a paleopensenidade; os retropensenes sadios; a retropensenidade; os parapense-
nes; a parapensenidade; os retrografopensenes; a retrografopensenidade; os grafopensenes; a gra-
fopensenidade; o arquivo de autopensenizações expressas oralmente; a fôrma holopensênica; os
genopensenes; a genopensenidade; as assinaturas pensênicas; o holopensene criativo; o autaber-
tismo neopensênico; a autopensenização criativa.

Fatologia:
a cápsula do tempo cinemascópica; a cápsula do tempo mentalsomática; as
sutilezas intelectuais; o presente eternizado em imagens; a apreensão dos instantes existenciais
para a posteridade; o armazenamento das produções audiovisuais; a memória auditiva coletiva;
a História Visual da Humanidade; o Museu da Imagem e do Som (MIS); o Banco de Imagens;
a Biblioteca Digital; os vídeos compartilhados no You Tube; os registros videográficos dos even-

tos da CCCI; as filmagens diárias das tertúlias conscienciológicas; os locais preparados hoje para
a pesquisa retrospectiva de amanhã; a reprodução intrafísica ainda incipiente da parapsicoteca; as
evidências passadas; a prova; o resíduo; o saldo; o indicador; o vestígio; a automimese excepcio-
nalmente produtiva; a semente retrógrada; a semente ântuma; a semente construtiva; as confirma-
ções materiais dos relatos espontâneos, retrocognitivos; os indícios da retrovida; a identificação
cinematográfica da personalidade consecutiva pela própria consciência e as conscins testemu-
nhas; os indícios da retropersonalidade; a decodificação da retromegagescon encriptada; os indí-
cios da retroproéxis; as autoidentificações; as autoprevisões existenciais; as autoidentificações
seriexológicas; os palcos intrafísicos; as prospecções seriexológicas; os registros eternos das ma-
nifestações e atos pessoais.

Parafatologia:
o autorrevezamento multiexistencial; as autorretroproéxis; a autovivência
do estado vibracional (EV) profilático; a sinalética energética e parapsíquica pessoal; o fenômeno
do dejaísmo; a casuística pessoal autorretrocognitiva; os primeiros contatos com os extrapolacio-
nismos parapsíquicos avançados; o parafenômeno concomitante; a criação intencional de audio-
visualidades favorecedoras dos autorrevezamentos proexológicos; a preparação antecipada da fu-
tura retrospectiva seriexológica; os autodepoimentos vividos imortalizados; as mensagens claras
para si mesmo; o retrossoma revivificado virtualmente induzindo às autorretrocognições no neos-
soma; o resgate dos detalhes das autexpressões de retrovida; os neoelementos para a posterior
avaliação autoconscienciométrica; o estabelecimento da comunicação interexistencial explícita;
a retrossenha pessoal; o zum mnemônico.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo da imaginação criativa; o sinergismo registro imagéti-
co-lembrança retrocognitiva;
o sinergismo materpensene-megatrafor facilitando o autorreco-
nhecimento
.
Principiologia:
o princípio da seriexialidade; o princípio da inseparabilidade grupocár-
mica;
o princípio do autorrevezamento consciencial; o princípio da descrença motivando as au-
texperiências multidimensionais;
o princípio da descrença somente vivido plenamente a partir do
paracorpo do autodiscernimento; o princípio do megafoco mentalsomático; o princípio da perse-
verança autopesquisística;
o princípio da qualificação da quantidade; o princípio fundamental
da acuidade nas priorizações
.
Codigologia:
as cláusulas do retrocódigo pessoal de Cosmoética (CPC) inferidas por
meio das retroverbalizações registradas; as cláusulas do retrocódigo grupal de Cosmoética (CGC)
inferidas por meio da retrodinâmica coletiva registrada.
Teoriologia:
a passagem inquestionável do 1% da teoria para os 99% da vivência inte-
lectual
.
Tecnologia:
as técnicas comunicativas; as técnicas de gravação de vídeos; as técnicas
de edição de imagens;
as técnicas de preservação audiovisual; as técnicas de segurança do acer-
vo fílmico ou cinematográfico;
a técnica evolutiva da autovisão prioritária; a técnica de elabora-
ção da retrossenha pessoal;
a técnica de identificação da retrossenha pessoal; a técnica do entre-
linhamento lógico;
as técnicas conscienciométricas assinalando os vestígios do passado multie-
xistencial;
a Tecnologia Moderna casada à Paratecnologia.
Voluntariologia:
os voluntários participantes assíduos no Tertuliarium.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Mentalsomatologia; o laborató-
rio conscienciológico do Tertuliarium;
o laboratório conscienciológico das retrocognições;
o laboratório conscienciológico da Paragenética; o laboratório conscienciológico da Autocons-
cienciometrologia;
o laboratório conscienciológico da Evoluciologia; o laboratório consciencio-
lógico da autorganização;
o laboratório conscienciológico da proéxis; o laboratório conscien-
ciológico da Cosmoeticologia
.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Mentalsomatologia; o Colégio Invisível dos Serie-
xólogos
.

Efeitologia:
o efeito evolutivamente otimizador da técnica da retrossenha pessoal;
o efeito cosmovisiológico dos atos cosmoéticos sequenciais; o efeito da autoconscientização mul-
tiexistencial na reciclagem dos autovalores;
o efeito halo dos conhecimentos generalistas; a pes-
quisa dos efeitos da Genética na autoconsciencialidade; a identificação dos efeitos da Paragené-
tica na autexpressão intrafísica;
os efeitos autevolutivos das conexões visuais com o próprio pas-
sado
.
Neossinapsologia:
as neossinapses autoconscienciométricas geradas na análise das re-
trossinapses expostas publicamente
.
Ciclologia:
o ciclo de neoideias; a documentação histórica do ciclo ressoma-dessoma da
seriexialidade consciencial;
o ciclo interexistencial sementeira intrafísica-colheita intermissiva-
-recolheita intrafísica;
o ciclo multiexistencial pessoal (CMP) evoluído da atividade.
Binomiologia:
o binômio sementeira intrafísica-colheita intermissiva; o binômio con-
teúdo-forma;
o binômio Experimentologia-Autopesquisologia; o binômio indício-evidência; o bi-
nômio pararrealidade-parapercuciência;
o binômio seriéxis-autoproéxis; o binômio megages-
con-retrossenha pessoal;
o binômio indícios intraconscienciais-indícios extraconscienciais.
Interaciologia:
a interação cênica protagonistas-coadjuvantes-figurantes; a interação
faculdades mentais-parapercepções multidimensionais;
a interação entre os palcos intrafísicos
das múltiplas existências
.
Crescendologia:
o crescendo monovisão-cosmovisão; o crescendo indícios multiexisten-
ciais-confirmações acumuladas-certezas relativas;
o crescendo de inovações tecnológicas otimi-
zando o recurso autorrevezador das cápsulas do tempo cinemascópicas
.
Trinomiologia:
o trinômio comunicativo pessoal retro-holopensene-fôrma holopensêni-
ca-neo-holopensene;
o trinômio interesse-meta-evolução; o trinômio Evoluciologia-Priorologia-
-Proexologia;
a capacidade comunicativa do trinômio imagem-som-movimento; o trinômio ca-
talogação-indexação-recuperação;
o trinômio da retrossenha individual intransferível-incompar-
tilhável-indescartável;
o trinômio conservação-restauração-perpetuação.
Polinomiologia:
o polinômio postura-olhar-voz-gesto; o polinômio fotos-áudios-vídeos-
-textos;
o polinômio convenção dos códigos-fixação holomnemônica-megagescon criptografa-
da-reconhecimento retrocognitivo;
o polinômio autopesquisas-heteropesquisas-parapesquisas-
-multipesquisas;
o polinômio artigo-palestra-livro-filme.
Antagonismologia:
o antagonismo título / epílogo.
Paradoxologia:
o paradoxo comunicativo da transmissão da mensagem para si mesmo;
o paradoxo da passagem do bastão para si próprio; o paradoxo da retrossenha superpessoal plo-
tada no âmbito da superassistencialidade às outras consciências;
o paradoxo da personalidade
entremostrar no presente as existências passadas às consciências mais atiladas;
o paradoxo
consciência permanente-soma fugaz;
o paradoxo de encontrarem-se disponíveis para muitos as
verdades captadas por poucos;
o paradoxo da disciplina trazer liberdade; o paradoxo da norma-
lização da forma propiciar a liberdade criativa do conteúdo;
o paradoxo da imperturbabilidade
adolescente da conscin inversora hiperlúcida
.
Politicologia:
a democracia; a lucidocracia; a evoluciocracia; a tecnocracia; a cogno-
cracia
; a meritocracia; a conscienciocracia.
Legislogia:
a lei do maior esforço intelectual.
Filiologia:
a grafofilia; a escriptofilia; a comunicofilia; a autocogniciofilia; a bibliofilia;
a gesconofilia; a parapsicofilia.
Holotecologia:
a videoteca; a filmoteca pessoal; a mentalsomatoteca; a teaticoteca;
a comunicoteca; a argumentoteca; a grafopensenoteca; a cinemateca pública.
Interdisciplinologia:
a Autorrevezamentologia; a Holomemoriologia; a Seriexologia;
a Grafopensenologia; a Histrionologia; a Imagética; a Parageneticologia; a Evoluciologia; a Men-
talsomatologia; a Holocarmologia; a Autodidaticologia; a Autoproexologia; a Parapercepciologia;
a Holomaturologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassisten-
cial; a conscin enciclopedista; o revezamento de papéis sociais no elenco existencial.

Masculinologia:
o acoplamentista; o agente retrocognitor; o amparador intrafísico;
o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista; o cognopolita; o compassageiro evolu-
tivo; o completista; o comunicólogo; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o conscienciotera-
peuta; o macrossômata; o conviviólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólogo; o ree-
ducador; o epicon lúcido; o escritor; o evoluciente; o exemplarista; o intelectual; o reciclante exis-
tencial; o inversor existencial; o maxidissidente ideológico; o tenepessista; o ofiexista; o paraper-
cepciologista; o pesquisador; o projetor consciente; o sistemata; o tertuliano; o verbetólogo; o vo-
luntário; o tocador de obra; o homem de ação.

Femininologia:
a acoplamentista; a agente retrocognitora; a amparadora intrafísica;
a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a cognopolita; a compassageira evolu-
tiva; a completista; a comunicóloga; a consciencióloga; a conscienciômetra; a conscienciotera-
peuta; a macrossômata; a convivióloga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a ree-
ducadora; a epicon lúcida; a escritora; a evoluciente; a exemplarista; a intelectual; a reciclante
existencial; a inversora existencial; a maxidissidente ideológica; a tenepessista; a ofiexista; a pa-
rapercepciologista; a pesquisadora; a projetora consciente; a sistemata; a tertuliana; a verbetóloga;
a voluntária; a tocadora de obra; a mulher de ação.

Hominologia:
o Homo sapiens multidimensionalis; o Homo sapiens parapsychicus;
o Homo sapiens holomnemonicus; o Homo sapiens cosmoethicus; o Homo sapiens fraternus;
o Homo sapiens autocohaerens; o Homo sapiens homeostaticus; o Homo sapiens paradireitolo-
gus;
o Homo sapiens autolucidus; o Homo sapiens holomaturologus; o Homo sapiens prioro-
logicus
.

V. Argumentologia

Exemplologia:
cápsula do tempo cinemascópica preparada = a trabalhada agora, nesta
vida intrafísica, objetivando a próxima; cápsula do tempo cinemascópica aproveitada = a identifi-
cada na próxima existência humana.

Culturologia:
a cultura da Autoproexologia; a Multiculturologia da Seriexologia; o pa-
trimônio cultural imagético;
a cultura midiática; a Cybercultura.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a cápsula do tempo cinemascópica, indicados para a ex-
pansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens inte-
ressados:
01. Autorado: Mentalsomatologia; Neutro.
02. Autorado holocármico: Mentalsomatologia; Homeostático.
03. Autorrevezamento multiexistencial: Autorrevezamentologia; Homeostático.
04. Codex subtilissimus pessoal: Autoparapercepciologia; Homeostático.
05. Colheita intermissiva: Evoluciologia; Homeostático.
06. Encapsulamento consciencial: Energossomatologia; Neutro.
07. Especialismo holobiográfico: Autoconscienciometrologia; Neutro.
08. Faculdade de registrar: Autodidaticologia; Neutro.

09. Fôrma holopensênica: Pensenologia; Neutro.
10. Gescon: Proexologia; Homeostático.
11. Interitemização: Autorrevezamentologia; Homeostático.
12. Marca parapsíquica: Parapercepciologia; Neutro.
13. Rastro textual: Grafopensenologia; Homeostático.
14. Retrossenha pessoal: Holomemoriologia; Homeostático.
15. Seriéxis alheia: Seriexologia; Neutro.

O RECURSO MNEMÔNICO DA
CÁPSULA DO TEMPO
CINEMASCÓPICA É A INTERAÇÃO DA NEOTECNOLOGIA
CINEMATOGRÁFICA COM A PARATECNOLOGIA MULTIDI-
MENSIONAL PELA CONSCIN LÚCIDA, INTERMISSIVISTA.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, já refletiu sobre a possibilidade de criar a própria
cápsula do tempo cinemascópica? Você admite a aplicação autorrevezamentológica da Tecnolo-
gia do Tertuliarium?