Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


ASSÉDIO LABORAL

(ANTICOSMOETICOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
O assédio laboral é o processo de subjugação energética, moral, sistemáti-
ca e patológica, ocorrido em ambientes de trabalho hostil e adoecedor, expondo sistematicamente
a conscin trabalhadora, homem ou mulher, à humilhação, constrangimento ou violência emocio-
nal ou psicológica.
Tematologia.
Tema central nosográfico.
Etimologia.
O vocábulo assediar é de origem controversa, provavelmente do idioma La-
tim, adsidere ou assidere, “estar sentado perto de; assistir como assessor; cercar; assediar”. Sur-
giu no Século XVII. A palavra labor provém do idioma Latim, labor, “trabalho; esforço; fadiga;
exigência física; dor”, talvez originalmente se referindo a labere, “oscilar sob alguma carga”.
Apareceu no Século XI.
Sinonimologia:
1. Assédio moral no ambiente de trabalho. 2. Violência moral no traba-
lho. 3. Humilhação no ambiente laboral.
Cognatologia.
Eis, na ordem alfabética, 34 cognatos derivados do vocábulo labor: labo-
ração; laborada; laborado; laborador; laboradora; laboral; laborão; laborar; laborável; labo-
reira; laboreiro; laborfilia; laboriosidade; laboriosa; laborioso; laborismo; laborista; laborísti-
ca; laborístico; laboro; laborterapeuta; laborterapêutica; laborterapêutico; laborterapia; labor-
terápica; laborterápico; labuta; labutação; labutada; labutado; labutador; labutadora; labutar;
paralaboral
.
Neologia.
As duas expressões compostas miniassédio laboral e megassédio laboral são
neologismos técnicos da Anticosmoeticologia.
Antonimologia:
1. Dano moral no trabalho. 2. Cooperação laboral. 3. Amparo inter-
pares.
Estrangeirismologia:
a violence perverse au quotidien; o mobbing; as ameaças de lay
off;
os whistleblowers do assédio moral; o murahachibu (ostracismo social) decorrente do ijime
nas fábricas japonesas.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à convivialidade cosmoética.
Megapensenologia.
Eis megapensene trivocabular pertinente ao tema: - A autoconscien-
cialidade liberta
.
Coloquiologia.
Pela ótica popular, eis 3 ideias exemplificativas do efeito ou da supera-
ção do assédio no trabalho: fazer do limão a limonada; panelinhas; patinho feio.
Proverbiologia.
Eis 3 ideias exemplificativas do efeito ou da superação do assédio no
trabalho: - Nasceu assim, vai morrer assim. Prego que se destaca leva martelada. Vendedor não
se ensina, se adestra
.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal da subjugação; o holopensene da humilhação;
o holopensene bélico; o holopensene competitivo; o holopensene do poder; o holopensene da do-
minação; o holopensene da agressão espontânea; o holopensene assediado; os cosmoeticopense-
nes; a cosmoeticopensenidade; a estruturação do holopensene pessoal da convivialidade sadia;
a automimese do holopensene escravizado; a automimese do holopensene escravagista; a auto-
pensenidade subserviente; o reflexo do holopensene libertador; a importância da segunda desso-
ma na superação das autescravizações pensênicas.

Fatologia:
o assédio laboral; o seguro Employment Practices Liability (EPL); o terror
psicológico; as frequentes transferências desnecessárias; a responsabilidade do superior hierárqui-

co independente de acumpliciamento; a sutil desestabilização; a jornada de humilhações;
o sofrimento perverso causado pelo medo do desemprego; o contrato de inação; a ociosidade for-
çada; a intensificação desnecessária de trabalho; a degradação deliberada das condições de traba-
lho; as relações desumanas e amorais de longa duração; a repetição periódica da violência; a lesão
os direitos humanos; o desrespeito usual à dignidade e à individualidade; o projeto de intimidação
constante e continuada; a coautoria honorária; a arrogância dos ph-Deuses sem inteligência evolu-
tiva
(IE); a ilusão de maxipeça no minimecanismo monodimensional; a revisão e atualização da
Encíclica Rerum Novarum; a usurpação oculta da autestima; a autoconfiança minada; a ausência
de forças morais para reagir; a angustiante espera pela próxima agressão; o malestar na globaliza-
ção; o risco invisível, porém concreto, nas relações de trabalho; a psicopatia da conduta agressiva;
o papel da sociedade na banalização da violência; o discurso da servidão voluntária; a subjugação
ao subcérebro abdominal; a perda de importância do profissional; a intencionalidade negativa
com o objetivo de ferir moralmente a vítima; a imprudência da consciência para a realidade do
Paradireito; a Bioética no cuidado com a qualidade de vida intrafísica;o necessário reajuste do
ponteiro consciencial à fraternidade mais primária; a busca pela cosmovisão pessoal e ambiental.

Parafatologia:
a vampirização energética em ambiente hostilizado; a carência energética
do elenco e do paraelenco; o bloqueio do laringochacra, do cardiochacra e do umbilicochacra;
a sintonia e acoplamento com as conseneres; o controle sutil das energias repressoras; a defasa-
gem energética do profissional; a projeção lúcida propulsora da viragem traforista; a assunção do
paradever intermissivo libertador das subjugações; a autovivência do estado vibracional (EV) pro-
filático evitando interprisões; a Paradiplomacia; a reurbex; a tenepes enquanto ferramenta de con-
ciliação interdimensional; o acesso à Central Extrafísica da Fraternidade (CEF).

III. Detalhismo

Sinergismologia:
a desconsideração do sinergismo trabalho-dignidade; a ausência do
sinergismo heterocrítica-traf
orização; o sinergismo vontade inquebrantável-intencionalidade
cosmoética-autodiscernimento evolutivo
.
Principiologia:
a violação do princípio da autonomia; a importância da recuperação do
princípio do posicionamento pessoal
(PPP); o princípio da incorruptibilidade; o princípio da me-
gafraternidade
.
Codigologia:
o código pessoal de Cosmoética (CPC); o código grupal de Cosmoética
(CGC).
Teoriologia:
a teoria da reeducação consciencial; a teática do holopensene proexológi-
co
nas tomadas de decisões na carreira.
Tecnologia:
a técnica do mapeamento da sinalética energética pessoal; a técnica do ma-
peamento pensenológico;
a técnica da reciclagem existencial (recéxis); a técnica de mais 1 ano
de vida intrafísica;
a técnica da esnobação cosmoética; as técnicas paradiplomáticas.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Paradireitologia; o laboratório
conscienciológico da Autoproexologia;
o laboratório conscienciológico da Autopensenologia;
o laboratório conscienciológico da Autoconscienciometrologia; o laboratório conscienciológico
da paz
.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Cosmoeticologia; o Colégio Invisível da Convivio-
logia;
o Colégio Invisível da Consciencioterapia; o Colégio Invisível da Parapoliticologia.
Efeitologia:
o efeito da reverberação do stress na saúde e nas relações do trabalhador;
o efeito da violência sutil sobre a saúde física e psíquica nem sempre estabelecido; o efeito da de-
sestabilização da vítima
em decorrência do ambiente de trabalho; o efeito da potencialização da
ansiedade;
o efeito do descrédito diante dos pares; o efeito isolacionista; o efeito da repressão.
Neossinapsologia:
a construção de neossinapses evolutivas; as neossinapses necessárias
à construção do hábito do autenfrentamento;
as neossinapses causadas pelo sobrepairamento
analítico da situação;
as neossinapses essenciais à comunicação não violenta; as neossinapses
desenvolvidas pela visão traforista
.

Ciclologia:
o ciclo vítima-algoz; o ciclo das interprisões grupocármicas; o ciclo multi-
existencial pessoal
(CMP); o ciclo culpabilização-inferiorização-sofrimento; o ciclo trafarismo-
-ridicularização-intimidação-melin;
o ciclo lamentação-autassédio-heterassédio-contrafluxos;
o ciclo vítima-perseguidor-salvador.
Enumerologia:
o sentimento de ser ofendido(a); o sentimento de ser menosprezado(a);
o sentimento de ser rebaixado(a); o sentimento de ser ninguém; o sentimento de ser submetido(a);
o sentimento de ser vexado(a); o sentimento de ser constrangido(a). O ultraje habitual; a inutiliza-
ção habitual; a mágoa habitual; a revolta habitual; a perturbação habitual; a mortificação habitu-
al;
a traição habitual. A vergonha cotidiana; a indignação cotidiana; a raiva cotidiana; a dor mo-
ral cotidiana; a tristeza cotidiana; a desvalorização cotidiana; a inferiorização cotidiana.
Binomiologia:
o binômio frustração-aspiração evolutiva; o binômio admiração-discor-
dância;
o binômio autenfrentamento-autossuperação; o binômio autoconhecimento-melhoria
consciencial;
o binômio escravatura-abolicionismo; o binômio legislação trabalhista-exploração
do trabalhador
.
Interaciologia:
a interação violência psicológica-ameaças verbais; a interação chaco-
ta-apelidos pejorativos-provocações-boatos infames;
a interação antiescravizador-escraviza-
dor-escravizado;
a interação liberdade jurídica-subordinação jurídica.
Crescendologia:
o crescendo produtivismo-improdutivismo; o crescendo discriminação
social-exclusão social;
o crescendo absenteísmo-depressão; o crescendo comprometimento da
identidade-comprometimento das relações afetivas e sociais;
o crescendo dos danos à saúde físi-
ca e mental
levando à incapacidade laborativa, ao desemprego ou à dessoma; o crescendo da
mundialização do assédio laboral em decorrência das políticas neoliberais
.
Trinomiologia:
o trinômio agressor-vítima-testemunha; o trinômio servidão-escravi-
dão-trabalho;
o trinômio reclamante-reclamada-Estado; o trinômio prestador-terceirizada-toma-
dor;
o trinômio liberdade interior-liberdade de expressão-liberdade individual; a teática do tri-
nômio automotivação-trabalho-lazer
.
Polinomiologia:
o polinômio poder-dominação-controle-escravização; o polinômio sub-
missão-servidão-subjugação-escravização;
o polinômio cosmoético autolucidez-autodiscerni-
mento-autoincorruptibilidade-autossustentabilidade
.
Antagonismologia:
o antagonismo autocorrupção / autocrítica; o antagonismo conflito
/ cooperação;
o antagonismo interassedialidade / interassistencialidade.
Paradoxologia:
o paradoxo de ser humilhado no trabalho, lugar de construção de dig-
nidade pessoal;
o paradoxo de despriorizar o prioritário.
Politicologia:
a política sistemática de desqualificação do trabalhador; a ausência de me-
ritocracia; a autoconscienciocracia; a autoproexocracia; a lucidocracia; a cosmoeticocracia;
a recexocracia; a escravocracia.
Legislogia:
a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT); a Lei Federal N. 13.185, de
6 de novembro de 2015, instituindo o Programa de combate à Intimidação Sistemática (antibully-
ing);
a lei de causa e efeito; a lei de atração dos afins; a lei da inseparabilidade grupocármica;
a lei do maior esforço aplicada ao autodesassédio; as paraleis.
Fobiologia:
a xenofobia do agressor; a agorafobia causada pelo assédio.
Sindromologia:
a síndrome da ectopia afetiva (SEA) evidente nos agressores; a síndro-
me da abstinência da Baratrosfera
(SAB) como causa da prática do assédio; a síndrome do infan-
tilismo
impedindo a conscin de assumir responsabilidades; a síndrome do estrangeiro (SEST) atu-
ando até o encontro com o grupo evolutivo; a síndrome da insegurança; a síndrome de Estocol-
mo;
a síndrome de burnout.
Maniologia:
a fracassomania; a tiranomania; a gurumania; a idolomania; a assedioma-
nia
; a robexomania; a nostomania.
Mitologia:
o mito de a vítima da repressão ser inocente; o mito das vantagens advindas
de ganhos secundários;
o mito de a autovitimização suprir as carências.
Holotecologia:
a convivioteca; a cosmoeticoteca; a despertoteca; a escravoteca; a inte-
rassistencioteca; a recexoteca; a proexoteca.

Interdisciplinologia:
a Anticosmoeticologia; a Parapatologia; a Consciencioterapia;
a Autassediologia; a Conviviologia; a Parapercepciologia; a Recexologia; a Paradireitologia;
a Paradiplomacia; a Interassistenciologia; a Autovitimologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin bode expiatório; a consener; a conscin lúcida; a isca humana lú-
cida; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Masculinologia:
o intermissivista inadaptado; o agressor verbal; o chefe; o subalterno;
o assediador; o bully; o colega de trabalho; o parasita de energias conscienciais; o preconceituoso;
o xenófobo; o satélite de assediador; o escravizado; o escravizador; o valentão; o aprendiz; o tra-
balhador; o empregado; o empregador; o assistido; o assistente; o orientador; o coordenador; o di-
retor; o tomador de serviços; o professor; o papa Leão XIII (Vincenzo Gioacchino Raffaele Luigi
Pecci-Prosperi-Buzzi, 1810-1903); o psicólogo sueco Heinz Leymann (1932-1999).

Femininologia:
a intermissivista inadaptada; a agressora verbal; a chefe; a subalterna;
a assediadora; a bully; a colega de trabalho; a parasita de energias conscienciais; a preconceituo-
sa; a xenófoba; a satélite de assediador; a escravizada; a escravizadora; a valentona; a aprendiz;
a trabalhadora; a empregada; a empregadora; a assistida; a assistente; a orientadora; a coordena-
dora; a diretora; a tomadora de serviços; a professora; a jornalista inglesa Andréa Adams (1946-
-1995); a psiquiatra francesa Marie-France Hirigoyen (1949-).

Hominologia:
o Homo sapiens obsessor; o Homo sapiens obsessus; o Homo sapiens
bellicosus;
o Homo sapiens convivens; o Homo sapiens laborator; o Homo sapiens reeducator;
o Homo sapiens pacificus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
miniassédio laboral = o evidenciado na chacota e no uso de apelidos pe-
jorativos; megassédio laboral = o evidenciado na agressão sistemática verbal, física e virtual po-
dendo levar a vítima ao adoecimento ou suicídio.

Culturologia:
os idiotismos culturais; a cultura das aparências; a cultura do belicismo;
a cultura da competição; a cultura do consumismo; a cultura individualista; a cultura do medo;
a cultura da convivialidade sadia; a cultura de paz; a cultura da cooperação; a cultura do auto-
desassédio
.

Taxologia.
Eis, em ordem alfabética, 5 modalidades do assédio moral laboral:
1. Horizontal: o ocorrido entre pares. A satisfação malévola entre colegas; a vergonha
sentida pelos pares na manutenção de amizade com a vítima; o rompimento dos laços afetivos in-
terpares; a potencialização da competitividade; a fraqueza moral e o medo inconfesso das teste-
munhas passivas; a reprodução e manutenção da hostilidade no tratamento.
2. Misto: o ocorrido independentemente da hierarquia de trabalho. O constrangimento
sistemático; a intencionalidade de forçar a desistência do trabalho; o ataque à estabilidade laboral;
o impedimento à autorrealização; o corte do trabalhador nas escalas de trabalho; a redistribuição
de trabalho tendenciosa; o acumpliciamento no pacto da tolerância e do silêncio; a exposição si-
lenciosa e prolongada à perseguição; a imposição de desequilíbrio de poder; a submissão à revista
coletiva; a “premiação” para o pior desempenho; a exposição de fotografias com objetos fálicos;
a Intranet sendo veículo de assédio.
3. Organizacional: o decorrente da dinâmica empresarial para manter a dominação so-
bre empregados. A política organizacional assediante; os métodos gerenciais abusivos; as cons-

tantes demissões coletivas; a política de propagandas enganosas expondo os vendedores ao des-
contentamento dos clientes.
4. Vertical ascendente: o ocorrido do inferior ao superior hierárquico. O subordinado
com informações estratégicas ameaçadoras; a abstenção do trabalho; a resistência injustificada
à subordinação; os boicotes ao poder diretivo.
5. Vertical descendente: o ocorrido do superior ao subordinado hierárquico. O discurso
motivacional inconsistente; a corrupção da subjetividade; o abuso do poder de direção invasivo da
privacidade do empregado; as relações hierárquicas autoritárias e assimétricas; as angustiantes
políticas gerenciais na organização de trabalho; o Plano de Demissão Voluntária (PDV).

Prevenção.
Palestras pedagógicas contribuem ao esclarecimento sobre a gravidade da
conduta, e as pesquisas funcionam como opção de prevenção e detecção de problemas no clima
organizacional.

Caracterologia.
No âmbito da Conscienciometrologia, eis, por exemplo, na ordem alfa-
bética, 21 posturas recorrentes em situações de assédio laboral, com respectivos questionamentos
dirigidos ao leitor ou leitora, para autorreflexão acerca de frustrações humanas em ambientes la-
borais hostis:
01. Abandono. Reproduz sucessivamente a experiência de abandono? Sente alguma ne-
cessidade, mesmo oculta, de se sentir preterido?
02. Adicção. Vivencia a rendição à dependência emocional ou bioquímica como refúgio
apaziguador do stress no trabalho?
03. Autoimagem. Sente-se seguro e confortável com a manutenção da autoimagem de
valentão ou valentona, vítima ou injustiçado(a)?
04. Autovitimização. Gosta de manter-se conscientemente na condição de reclamão ou
reclamona, sem implementar mudança de postura?
05. Bradicinesia. Custa a perceber o entorno e as violências ocultas (autovivência em
slow motion
)?
06. Decisão. Erra irrefletidamente, de modo precipitado, nas decisões de destino quanto
à própria proéxis?
07. Erro. Incorre no mesmo erro repetidas vezes, sem implementar técnicas profilá-
ticas?

08. Guia. Confunde cegamente guias amauróticos com amparadores, tal como confunde
boas oportunidades com perda de proéxis?
09. Implosão. Assiste inerme à implosão dos “castelos de areia” construídos a partir de
autenganos próprios da experiência imaginativa em relação à carreira?
10. Improdutividade. Passa por fases de esterilidade da produtividade ou conforma-se
com o recesso criativo continuado?
11. Inaptidão. Tem a sensação de não ter o melhor currículo ou não estar adequada-
mente preparado para o exercício do trabalho?
12. Injustiça. Sente-se vivenciando injustiças, sem poder fazer nada? De mãos atadas?
13. Insegurança. Considera o comportamento violento do agressor decorrente da tenta-
tiva de ser reconhecido mediante o uso do poder e da vítima se colocar na situação assediada, por
serem conscins inseguras?
14. Insônia. Sofre de longa insônia mesmo após dia exaustivo de trabalho?
15. Orgulho. Recusa-se, por orgulho, a reconciliar-se? Compromete-se com o erro por
orgulho de mudar de decisão?
16. Profissão. Questiona se a escolha da profissão foi a mais acertada? Renega todo
o passado de experiência profissional em razão de experiência ruim?
17. Prostituição. Sente-se “vendido” por trabalhar objetivando somente o recebimento
da contraprestação financeira, mesmo sem ganhos evolutivos?
18. Ressaca. Sofre rebarba energética após o dia de trabalho?

19. Solteirice. Fica longo período sem parceiro duplista, por não conseguir tempo para
se dedicar à afetividade ou por ser mais cômodo à sociosidade no trabalho permanecer solteiro?
20. Tortura. Sofre a tortura psicológica continuada exercida a partir do abuso de poder
de outrem?
21. Traição. Descobre com regularidade traições por supostas pessoas de confiança?

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com o assédio laboral, indicados para a expansão das aborda-
gens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Algema de ouro: Desviaciologia; Nosográfico.
02. Antiescravização consciencial: Maxifraternologia; Neutro.
03. Assédio escolar: Parapatologia; Nosográfico.
04. Código pessoal de Cosmoética: Cosmoeticologia; Homeostático.
05. Compatibilidade automotivação-trabalho: Experimentologia; Homeostático.
06. Conflituosidade: Conflitologia; Nosográfico.
07. Crescendo trafarismo-traforismo: Recexologia; Neutro.
08. Desopressão holopensênica: Holopensenologia; Homeostático.
09. Efeito da repressão: Parapatologia; Nosográfico.
10. Paradever intermissivo: Intermissiologia; Homeostático.
11. Profissão evitável: Autodiscernimentologia; Nosográfico.
12. Raciocínio proexológico: Autocogniciologia; Homeostático.
13. Reciclagem da profissão: Autocoerenciologia; Homeostático.
14. Síndrome do diploma: Desviaciologia; Nosográfico.
15. Subjugabilidade: Parapatologia; Nosográfico.

NO
ASSÉDIO LABORAL A AUTANÁLISE É FUNDAMENTAL
PARA SOBREPAIRAR A EXPERIÊNCIA, BUSCAR
A TRA-
F
ORIZAÇÃO, RETOMAR O ALINHAMENTO PROEXOLÓGICO
E, ASSIM, EVITAR
ACUMPLICIAMENTO ANTICOSMOÉTICO.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, já vivenciou a situação do assédio moral no tra-
balho? Em qual posição, vítima, testemunha ou assediador? Qual o nível de participação ou con-
tribuição pessoal na ocorrência?

Videografia Específica:


1. Arata Jr., Seiiti; Relacionamento sem Drama; disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=gm-
pfHMBivI>; acesso em: 30.09.15.
2. TST do CE; Assédio Moral no Ambiente de Trabalho; disponível em: <https://www.youtube.com/watch?
v=cJdHi2R7z8w&feature=youtu.be>; acesso em: 21.02.16.
3. TST; Especial CLT 70 Anos; disponível em: <https://youtu.be/K6wufJc-kSI?list=UU6PpjezXs_gRswQ
tqlo0bHA>; acesso em: 21.02.16.
4. TST; Jornada fala sobre o Assédio Moral no Ambiente de Trabalho; disponível em: < https://youtu.be/-
9NsoLU3SMQ>; acesso em: 02.04.16.

Bibliografia Específica:


1. Calvo, Adriana; O Direito Fundamental à Saúde Mental no Ambiente de Trabalho: O Combate ao Assé-
dio Moral Insititucional - Visão dos Tribunais Trabalhistas;
160 p.; 21 x 14 cm; br.; LTr; São Paulo, SP; 2015; páginas
41 a 79.
2. Nascimento, Mascaro; Assédio Moral e Dano Moral no Trabalho; 224 p.; 21 x 14cm; 3
a
Ed.; br.; LTr; São
Paulo, SP; 2015; páginas 29 a 74.

3. Vieira, Waldo; Homo sapiens pacificus; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 1.584 p.; 24 seções;
413 caps.; 403 abrevs.; 38 E-mails; 434 enus.; 484 estrangeirismos; 1 foto; 37 ilus.; 168 megapensenes trivocabulares;
1 microbiografia; 36 tabs.; 15 websites; glos. 241 termos; 25 pinacografias; 103 musicografias; 24 discografias; 20 ceno-
grafias; 240 filmes; 9.625 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21,5 x 7 cm; enc.; 3
a
Ed. Gratuita; Associação Internacional do Cen-
tro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); & Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2007; pá-
ginas 227 a 232.
4. Idem; Homo sapiens reurbanisatus; 1.584 p.; 479 caps.; 139 abrevs.; 40 ilus.; 7 índices; 102 sinopses;
glos. 241 termos; 7.655 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21 x 7 cm; enc.; 3
a
Ed. Gratuita; Associação Internacional do Centro de
Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; 2004; páginas 55 a 58 e 1020 a 1022.

Webgrafia Específica:


01. AON Empower Results; Consultoria e Gestão de Riscos - AGRC; disponível em: <http: //www. aon.
com/brasil/2.0/internos/produtos_risk.jsp>; acesso em: 09.02.16.
02. Barreto, M.; Uma Jornada de Humilhações: O que é Assédio Moral?; disponível em: <http://www. as-
sediomoral.org/spip.php?article1>; acesso em: 09.02.16.
03. TST; Bradesco é condenado a Pagar Indenização porque Gerente Regional chamava Subordinada de
“Gerente Gabriela”;
notícia publicada em 01/02/2016; 12:56; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publi
sher/89Dk/content/bradesco-e-condenado-a-pagar-indenizacao-porque-gerente-regional-chamava-subordinada-de-%E2%8
0%9Cgerente-gabriela%E2%80%9D>; acesso em 02.04.16.
04. TST; Bradesco é condenado por Exigir que Dirigente Sindical renunciasse para ser promovido; notícia
publicada em 05.11.15; 17h.; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publisher/89Dk/content/bradesco-e-
condenado-por-exigir-que-dirigente-sindical-renunciasse-para-ser-promovido>; acesso em 02.04.16.
05. TST; Consultor da Vivo registra Cobranças por SMS em Cartório e Comprova Assédio Moral; notícia
publicada em 07.12.15; 10h22min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticia-destaque/-/asset_publisher/NGo1/content
/consultor-da-vivo-registra-cobrancas-por-sms-em-cartorio-e-comprova-assedio-moral>; acesso em 02.04.2016.
06. TST; Deferida Indenização a Ex-gerente do Santander Submetido a Pressão Psicológica na Empresa;
notícia publicada em 21.10.15; 09h10min.; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publisher/89Dk/content
/deferida-indenizacao-a-ex-gerente-do-santander-submetido-a-pressao-psicologica-na-empresa>; acesso em 02.04.16.
07. TST; Empregado da Renner Deslocado para o “Cantinho da Disciplina” será indenizado; notícia publi
cada em 13.01.16; 15h47min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/es/noticias-teste/-/asset_publisher/89Dk/content/id/17
861566>; acesso em 02.04.16.
08. TST; Empresa de Call Center indenizará Analista Ridicularizada por Não Cumprir Metas; Notícia pu-
blicada em 19.11.15; 07h01min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/en/noticias//asset_publisher/89Dk/content/empre-
sa-de-call-center-indenizara-analista-ridicularizada-por-nao-cumprir-metas>; acesso em 02.04.16.
09. TST; Gradiente indenizará Advogado Assediado por E-mails com “Piadas de Português”; notícia publi-
cada em 18.12.15; 13h09min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publisher/89Dk/content/id/1723635
4>; acesso em 02.04.16.
10. TST; Justiça Trabalhista julga Caso de Assédio Moral envolvendo Caminhoneiro que relatou Jornada
Abu¬siva;
notícia publicada em 04.12.15; 15h09min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias-teste//asset
_publisher/89Dk/content/id/17042937>; acesso em 02.04.16.
11. TST; Ricardo Eletro Divinópolis é condenada por Expor Ex-gerente à Revolta de Consumidores por
Propaganda Enganosa;
notícia publicada em 06.11.15; 7h06min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias//asset-
_pu¬¬blisher/89Dk/content/ricardo-eletro-e-condenada-por-expor-ex-gerente-a-revolta-de-consumidores-por-propaganda-
enganosa>; acesso em 02.04.16.
12. TST; Volkswagen deve Indenizar Empregado que ficou Confinado em Sala Envidraçada Depois da Li-
cença Médica;
notícia publicada em 21.10.15; 9h10min; disponível em: <http://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publisher
/89Dk/content/volkswagen-deve-indenizar-empregado-confinado-em-%E2%80%9Caquario%E2%80%9D-ao-voltar-de-li-
cenca-medica>; acesso em 02.04.16.

M. M. E.