Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


ÁFRICA

(INTRAFISICOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A África é o segundo maior continente da Terra, situado entre o Oceano Ín-
dico e o Mar Vermelho, a leste, pelo Oceano Atlântico, a oeste, ao norte pelo Mar Mediterrâneo
e ao sul pelo encontro das águas dos oceanos Atlântico e Índico.
Tematologia.
Tema central neutro.
Etimologia.
O termo áfrica é de origem incerta, talvez do idioma Fenício, afri, “nome de
tribo berbere; habitantes do território de Cartago”, ou do idioma Latim, Africa, de afri, “afros; no-
me de povo praticamente desconhecido”. Apareceu, no idioma Português, no Século XIX.
Sinonimologia:
1. Continente Africano. 2. Continente Negro. 3. Nigrícia. 4. Terra dos
negros.
Arcaismologia.
Eis metáfora antiga utilizada por exploradores, durante os Séculos XVII
e XVIII, para África: túmulo dos homens brancos.
Cognatologia.
Eis, na ordem alfabética, 32 cognatos derivados do vocábulo África: afri-
cação; africada; africado; africana; africanada; africanado; africanar; africânder; africâner;
africanidade; africanismo; africanista; africanística; africanístico; africanização; africanizada;
africanizado; africanizante; africanizar; africanizável; africano; africanóloga; Africanologia;
africanológica; africanológico; africanologista; africanólogo; africanse; africar; africata; afri-
cato; áfrico
(afora dezenas de expressões compostas, com hífens, a partir do termo afro).
Antonimologia:
1. Continente dos Brancos. 2. Continente Europeu; Europa. 3. Terra
dos brancos.
Estrangeirismologia:
o ayik; o kha; o mzimu; o isithunzi; o mbisimo; o seyyid.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto ao convívio fraterno e cosmoético.
Coloquiologia.
Os expedicionários dispostos a fazer uma África, a meter uma lança em
África
.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal da sobrevivência humana; os baratropensenes;
a baratropensenidade; os credopensenes; a credopensenidade; os etnopensenes; a etnopensenida-
de; os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade; os oniropensenes; a oniropensenidade; os pato-
pensenes; a patopensenidade.

Fatologia:
a África; o berço da Humanidade; a riqueza das espécies animais, minerais
e vegetais; a exuberância da natureza proporcionando o interesse de turistas de todo o planeta;
os safáris em parques nacionais e particulares; o conhecimento científico de diversos povos afri-
canos; a célebre biblioteca de Alexandria, no Egito; o florescimento intelectual no Sudão nigeria-
no entre os Séculos XV e XVI; a cidade de Timbuktu, Mali, Patrimônio da Humanidade pela
UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura); o conheci-
mento do sistema estelar Sirius pelo povo Dogon; o surgimento do primeiro idioma há cerca de
mil séculos; os sítios arqueológicos; a divisão da África por países europeus no Século XIX, des-
respeitando as diferentes etnias; a partilha da África negra realizada na Conferência de Berlim
(1884−1885); a segregação racial entre negros, entre brancos e entre brancos e negros; o trabalho
escravo infantil patrocinado por indústrias multinacionais; os bens minerais favorecendo os países
ricos; as minas de ouro e diamantes motivando conflitos armados e guerras; os diamantes de san-
gue; a separação geológica do leste africano; o colonialismo e imperialismo sanguessuga das po-
tências europeias; a manipulação dos governos europeus sobre chefes de tribos; a dizimação de
tribos em busca de domínio territorial; as guerras civis transformando o mapa político da África;

o genocídio em Ruanda, em 1994; o ataque violento a fazendas na África do Sul; o comércio de
escravos; os campos de refugiados; a monarquia africana; os governos corruptos; o predomínio de
líderes psicopatas no poder; a ditadura da ignorância e da miséria perpetuada por governos antici-
vilização; o tráfico de armas e drogas; o estado de miséria e fome de milhares de consciências;
a megapeste da acquired immune deficiency syndrome (AIDS); a contaminação de crianças órfãs
pelo human immunideficiency virus (HIV); o mito deplorável do estupro de crianças como forma
“de cura” do vírus HIV; a prática da mutilação genital feminina (infibulação) em 27 países africa-
nos; a alimentação com base em carne de animais primitivos; a antropofagia; o sacrifício de cons-
ciências em rituais místicos; as práticas sincréticas africanas; o uso de substâncias de efeitos tóxi-
cos para obter a autotranscendência; o crescimento populacional desenfreado, acompanhado pelo
aumento de investimentos econômicos estrangeiros; o movimento sino-africano; a Primavera
Árabe; a Associação Internacional Africana (AIA); a União Africana (UA); o Instituto Interna-
cional de Projeciologia e Conscienciologia
(IIPC) em Angola.

Parafatologia:
a falta da autovivência do estado vibracional (EV) profilático; as energi-
as conscienciais (ECs) patológicas; a ausência da sinalética energética e parapsíquica pessoal;
a falta da aplicação do autoparapsiquismo nas vivências diárias; a falta de autolucidez quanto
à multidimensionalidade; a heterassedialidade; os bolsões de consciexes energívoras (conseneres)
mantidos por rituais de magia; a influência de guias amauróticos; o trânsito de consciexes, origi-
nárias de tribos africanas, atuantes em cultos e ritos sincréticos em diversos países; a reurbaniza-
ção extrafísica (reurbex); o conhecimento e domínio das energias imanentes (EIs); o rapport ener-
gético com a Natureza; o uso preponderante dos plantochacras nas diversas danças e rituais afri-
canos; o conhecimento de práticas projetivas no Antigo Egito (5004−3064 a.e.c).

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo geoenergias-fitoenergias-zooenergias; o sinergismo re-
gressivo falta de vontade política-intenção anticosmoética−desorganização administrativa;
o si-
nergismo interconsciencial patológico;
o sinergismo nocivo do grupo coeso quando anticosmoé-
tico;
o sinergismo patológico de trafares exprimindo o pior da personalidade das consréus; o si-
nergismo nosográfico estagnação-regressão evolutiva;
o sinergismo das múltiplas culturas nas
questões humanitárias;
o sinergismo entre os grupopensenes afins.
Principiologia:
a necessidade do princípio da descrença (PD); o princípio da insepara-
bilidade grupocármica;
o princípio da exclusão; o princípio espúrio do autocomodismo; a falta
da vivência do princípio da sexualidade madura; o princípio consciencial subumano; o princípio
patológico da autassedialidade
.
Codigologia:
a ausência do código pessoal de Cosmoética (CPC); a falta de vivência do
código grupal de Cosmoética
(CGC); os códigos mafiosos; os códigos sociais de conduta; os có-
digos grupais de vitimização coletiva;
os códigos de conduta tribais; o código grupal de tradi-
ções ritualísticas inarredáveis
.
Teoriologia:
a teoria da colonização moderna; a teoria da reurbex; o desconhecimento
da teoria da inteligência evolutiva (IE); a falta da vivência da teoria da evolução em grupo; a te-
oria da evolução consciencial ignorada;
a teoria da evolução compulsória; a teoria dos assédios
intergrupais em série
.
Tecnologia:
a técnica do anonimato assistencial; as técnicas espúrias de manipulação
interconsciencial;
a falta da aplicação de técnicas assistenciais; a ausência de técnicas de convivi-
alidade sadia;
o desconhecimento das técnicas da Conscienciologia.
Voluntariologia:
as ações voluntárias da Organização das Nações Unidas (ONU) em
diversas áreas sociais; os voluntários dos Médicos Sem Fronteiras; os voluntários da Cruz Ver-
melha, da Croix-Rouge e Croissant-Rouge;
o voluntariado da Conscienciologia.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da Experimentologia; o laboratório
conscienciológico da autorganização;
o laboratório conscienciológico da grupalidade; o labora-

tório conscienciológico da Pensenologia;
o laboratório conscienciológico do EV; o laboratório
conscienciológico da Evoluciologia;
o laboratório conscienciológico da Cosmoeticologia.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Intrafisicologia; o Colégio Invisível da Conviviolo-
gia;
o Colégio Invisível dos Pacifistas; o Colégio Invisível da Interassistenciologia; o Colégio In-
visível da Grupocarmologia;
o Colégio Invisível dos Serenões; o Colégio Invisível da Megafra-
ternologia
.
Efeitologia:
os efeitos baratrosféricos dos acumpliciamentos com guias amauróticos;
os efeitos acumulativos das contas correntes holocármicas entre nações africanas e não africa-
nas;
o efeito patológico das guerras civis; os efeitos aniquiladores dos tratados firmados entre
europeus e africanos
.
Neossinapsologia:
a carência de itens básicos de primeira necessidade contribuindo para
a deficiência de neossinapses; as lavagens cerebrais e subcerebrais impedindo a criação de neos-
sinapses
.
Ciclologia:
o ciclo de guerras civis sobrevindo tratados de paz e tempos de paz; o ciclo
de ganhos de capitais
beneficiando países estrangeiros e gerando a perda de investimentos locais
e aumento da pobreza; o ciclo de interesses espúrios expressos em tratados favoráveis às potên-
cias européias
.
Enumerologia:
África-mãe; África provedora; África negra; África branca; África selva-
gem; África faminta; África bélica.
Binomiologia:
a ausência do binômio admiração-discordância; o binômio intercompre-
ensão-intracompreensão;
o binômio patológico excesso-escassez; o binômio interiorose-aprioris-
mose;
o binômio assedex-assedin; o binômio autassédio-heterassédio; o binômio soma-consciên-
cia
.
Interaciologia:
a interação entre carências críticas e diferentes grupos humanos sobre-
vindo guerras;
as interações culturais; a interação com a Baratrosfera; a interação patológica
crença-crédulo;
a interação das necessidades pessoais; a interação reurbex-reurbin; a interação
patológica autassédio-heterassédio
.
Trinomiologia:
o trinômio crescimento populacional-crescimento econômico-estagna-
ção educacional;
o trinômio delírio-crendices-tradições; a premência do trinômio acolhimento-
-esclarecimento-encaminhamento;
o trinômio lavagem subcerebral-lavagem cerebral-lavagem
paracerebral;
o trinômio amoralidade-imoralidade-Anticosmoética; o trinômio desmotivação-de-
sorganização-inconstância;
o trinômio autassédio-autocorrupção-acriticismo.
Polinomiologia:
o polinômio pobreza-ignorância-preconceitos-drogas-violência.
Antagonismologia:
o antagonismo guerra / paz; o antagonismo fome / riqueza; o anta-
gonismo vida evolutiva / vida primitiva;
o antagonismo verdade relativa / mito; o antagonismo
princípio da autevolução / princípio do autocomodismo;
o antagonismo ortopensenidade / pato-
pensenidade;
o antagonismo mãos à obra / empurrar com a barriga.
Paradoxologia:
o paradoxo do berço da Humanidade ser o local mais pobre do plane-
ta;
o paradoxo fartura de bens minerais-continente subdesenvolvido; o paradoxo consciência hu-
mana-autovivência subumana
.
Politicologia:
a autocracia; a asnocracia; a escravocracia; a assediocracia; a etnocracia;
a pigmentocracia; a vulgocracia.
Legislogia:
a lei do menor esforço evolutivo; a lei do apartheid; a lei da interprisão gru-
pocármica;
a lei da sobrevivência; a lei islâmica sharia; a lei do retorno; as leis não cumpridas.
Filiologia:
a conviviofilia; a etnofilia; a idolofilia; a intrafisicofilia; a politicofilia; a so-
ciofilia; a somatofilia.
Fobiologia:
a antropofobia; a criticofobia; a descrenciofobia; a etnofobia; a evoluciofo-
bia
; a neofobia; a xenofobia.
Sindromologia:
a síndrome da imaturidade consciencial.
Maniologia:
a apriorismomania; a autassediomania; a etnomania; a mitomania; a subce-
rebromania; a tiranomania; a zoomania.
Mitologia:
a crença mítica em deuses e demônios responsáveis pelo bem e pelo mal;
o mito racial; o mito do sacrifício de consciências para a depuração da alma.

Holotecologia:
a antropoteca; a convivioteca; a mitoteca; a nosoteca; a patopensenote-
ca
; a problematicoteca; a trafaroteca.
Interdisciplinologia:
a Intrafisicologia; a Assediologia; a Conviviologia; a Cosmoetico-
logia; a Grupocarmologia; a Interassistenciologia; a Pacifismologia; a Parapatologia; a Politicolo-
gia; a Sociologia; a Subcerebrologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin baratrosférica; a consciência reurbanizada (consréu) ressomada;
a criança soldado.

Masculinologia:
o africano; o branco; o africâner; o ashanti; o bantu; o bérbere; o fulani;
o hotentote; o hutus; o maasai; o ndebele; o pigmeu; o soninké; o tswana; o tuaregue; o tutsi;
o venda; o zulu; o imperialista; o colonizador; o traficante de escravos; o caçador; o aventureiro;
o explorador; o missionário; o voluntário; o reeducador; o escritor; o pesquisador; o tocador de
obra; o homem de ação; o explorador inglês Richard Francis Burton (1821−1890); o antropólogo
e arqueólogo queniano Louis Leakey (1903−1972).

Femininologia:
a africana; a branca; a africâner; a ashanti; a bantu; a bérbere; a fulani;
a hotentote; a hutu; a maasai; a ndebele; a pigmeia; a soninké; a tswana; a tuaregue; a tutsi; a ven-
da; a zulu; a imperialista; a colonizadora; a traficante de escravos; a caçadora; a aventureira; a ex-
ploradora; a missionária; a voluntária; a reeducadora; a escritora; a pesquisadora; a tocadora de
obra; a mulher de ação; a pacifista inglesa Emily Hobhouse (1860−1926).

Hominologia:
o Homo reptilianus; o Homo sapiens anticosmoethicus; o Homo sapiens
bellicosus;
o Homo sapiens faminentus; o Homo sapiens immunodeficiens; o Homo sapiens men-
tiens;
o Homo sapiens orphanus; o Homo sapiens superstitiosus; o Homo sapiens reurbanisatus;
o Homo sapiens serenissimus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
África rica = a da fartura de riquezas minerais exploradas por multinaci-
onais, fornecedoras de matéria-prima para indústrias de todo o mundo; África miserável = a da
privação de alimento, serviço médico e saneamento básico a milhares de crianças e adultos provo-
cada por governos corruptos.

Culturologia:
a ausência da cultura da paz; a cultura do belicismo; as culturas tribais;
os idiotismos culturais; a cultura grupal inalterável; o desrespeito cultural; os multiculturalis-
mos
.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a África, indicados para a expansão das abordagens de-
talhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Aberração antifisiológica: Parapatologia; Nosográfico.
02. Anacronismo: Paracronologia; Nosográfico.
03. Animal humano: Intrafisicologia; Nosográfico.
04. Anomia: Intrafisicologia; Nosográfico.
05. Conciliação das interdependências: Cosmovisiologia; Neutro.
06. Hipocrisia política: Parapatologia; Nosográfico.
07. Inclusão parassocial: Parassociologia; Neutro.

08. Insegurança institucional: Sociologia; Nosográfico.
09. Megatrafar: Parapatologia; Nosográfico.
10. Poder da fraternidade: Harmoniologia; Homeostático.
11. Preconceito: Parapatologia; Nosográfico.
12. Princípio da restauração evolutiva: Evoluciologia; Homeostático.
13. Racismo: Parapatologia; Nosográfico.
14. Retardamento mental coletivo: Parapatologia; Nosográfico.
15. Tara cultural: Parapatologia; Nosográfico.

A
ANTIESTIGMATIZAÇÃO DO CONTINENTE AFRICANO,
FRATERNA E INTERASSISTENCIAL, ENSEJARÁ A
EVOLU-
ÇÃO DE MILHÕES DE CONSCIÊNCIAS, CARENTES DE AU-
TOLUCIDEZ, AUTODISCERNIMENTO E COSMOÉTICA.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, já esteve na África? Quais foram as autovivên-
cias e paravivências nesse continente?

Filmografia Específica:


1. Diamantes de Sangue. Título Original: Blood Diamond. País: Alemanha; & EUA. Data: 2006. Duração:
143 min. Gênero: Aventura. Idade (censura): 16 anos. Idioma: Espanhol; Inglês; & Português. Cor: Colorido. Legenda-
do:
Espanhol; Inglês; & Português (em DVD). Direção: Edward Zwick. Elenco: Leonardo DiCaprio; Djimon Hounsou;
Jennifer Connelly; Arnold Vosloo; Antony Coleman; Benu Mabhena; Basil Wallace; Jimi Mistry; Michael Sheen; Marius
Weyers; Ato Essandoh; Bouba Badiane; Ronnie Nyakale; & David Harewood. Produção: Edward Zwick; Paula Weins-
tein; Darrell Roodt; Graham King; Marshall Herskovitz; & Gillian Gorfil. Direção de Arte: Peter Wenham. Roteiro:
Charles Levitt. Fotografia: Eduardo Serra. Música: James Newton Howard. Figurino: Ngila Dickinson. Companhia:
Warner Bros. Sinopse: Serra Leoa, década de 90, o país está em guerra civil. Este é o cenário da história de Danny Archer
(Leonardo DiCaprio), contrabandista de diamantes usados para financiar rebeldes e o terrorismo. Após conhecer Solomon
Vandy (Djimon Hounsou), detentor de valioso diamante cor-de-rosa, escondido de rebeldes armados, ambos unem-se para
encontrá-lo. Com a ajuda de Maddy Bowen (Jennifer Connelly), o trio embarca em perigosa jornada em busca de liber-
dade.
2. Flor do Deserto. Título Original: Desert Flower. País: Alemanha; Áustria; & Reino Unido. Data: 2009.
Duração:
120 min. Gênero: Drama. Idade (censura): 14 anos. Idioma: Inglês. Cor: Colorido. Legendado: Português
(em DVD). Direção: Sherry Horman. Elenco: Liya Kebede; Sally Hawkins; Timothy Spall; Craig Parkinson; Juliet Ste-
venson; Soraya Omar-Scego; Idriss Abdillahi Houfaneh; Meera Syal; Lucrezia Phantazia; Matt Kaufman; Teresa Churcer;
& Anthony Mackie. Produção: Peter Herrmann. Direção de Arte: Mathias Klemme; Petra Klimek; & Petra Maria Wirth.
Roteiro:
Smita Bhide; Waris Dirie; & Sherry Horman. Fotografia: Ken Kelsch. Música: Martin Todsharow. Figurino:
Gabriele Binder. Companhia: Imovision. Sinopse: Inspirado na história real da ex-modelo somali Waris Dirie (Liya Ke-
bede), vítima de mutilação genital aos 5 anos de idade. Aos 13 anos foge de casa ao se recusar a casar, forçadamente, com
homem mais velho. Depois de caminhar todo o deserto da Somália e chegar à capital Mogadíscio, é enviada para Londres
pela avó, onde é descoberta pelo fotógrafo Mike Goss, tornando-se top model internacional.
3. Hotel Ruanda. Título Original: Hotel Rwanda. País: Reino Unido; Estados Unidos; Itália; & África do
Sul. Data: 2004. Duração: 121 min. Gênero: Drama. Idade (censura): 14 anos. Idioma: Inglês. Legendado: Inglês;
Português; Francês; & Espanhol (em DVD). Cor: Colorido. Direção: Terry George. Elenco: Xotani Mali; Dom Cheadle;
Sophie Okonedo; Joaquim Phoenix; Jean Reno; Desmond Dube; Hakeen Kae-Kazim; Tony Kgoroge; Rosie Motene; Neil
McCarthy; Nick Nolte; Fana Makoena; & Jeremiah Nouveau. Produção: Terry George; & A. Kitman Ho. Direção de
Arte:
Emma MacDevitt. Roteiro: Keir Pearson; & Terry George. Fotografia: Vincent G. Cox; & Robert Fraisse. Músi-
ca:
Rupert Gregson-Williams; Andrea Guerra; & Martin Russell. Figurino: Ruy Filipe. Edição: Naomi Geraghty. Efeitos
Especiais:
Baseblack; & Capital FX. Estúdios: Lions Gate Films Inc.; Kigali Releasing Limited; Inside Track Films; Mi-
kado Film S.r.L.; Industrial Development Corporation of South Africa; & Miracle Pictures. Distribuidora: United Artists;
Lions Gate Films Inc.; & Imagem Filmes. Sinopse: Com base em fatos reais, retrata a ação do gerente de hotel em Kigali,
capital da Ruanda, para salvar 1.200 pessoas da morte durante a eclosão do genocídio em Ruanda, perpetrado pela etnia
hutu à etnia tutsi.
4. Invictus. Título Original: Invictus. País: EUA. Data: 2009. Duração: 134 min. Gênero: Drama. Idade
(censura): 13 anos. Idioma: Inglês. Cor: Colorido. Legendado: Português (em DVD). Direção: Clint Eastwood. Elenco:
Morgan Freeman; Matt Damon; Tony Kgoroge; Sibongile Nojila; Julian Lewis Jones; Matt Stern; Bonnie Henna; Robin
Smith; David Dukas; & Langley Kirkwood. Produção: Clint Eastwood; Robert Lorenz; Lori McCreary; & Mace Neufeld.
Direção de Arte:
Tom Hannam; & Jonathan Hely-Hutchinson. Roteiro: Anthony Peckham. Fotografia: Tom Stern. Mú-
sica:
Kyle Eastwood; & Michael Stevens. Figurino: Deborah Hopper. Companhia: Warner Bros. Sinopse: Em 1994,
Nelson Mandela (Morgan Freeman) foi eleito presidente da África do Sul, país ainda em decorrência do apartheid. A pro-

ximidade da Copa do Mundo de rúgbi, realizada pela primeira vez no país, foi motivo para Mandela usar o esporte para
unir as populações branca e negra. O jogador François Pienaar, (Matt Damon), capitão da equipe sul-africana, foi cola-
borador de Mandela e protagonista da vitória da seleção sul-africana.
5. Redenção. Título Original: Machine Gun Preacher. País: EUA. Data: 2011. Duração: 128 min. Gênero:
Drama. Idade (censura): 16 anos. Idioma: Inglês; & Português. Cor: Colorido. Legendado: Espanhol, Inglês; & Portu-
guês (em DVD). Direção: Marc Forster. Elenco: Gerard Butler; Michelle Monaghan; Michael Shannon; Kathy Baker;
Ryann Campos; Peter Carey; Barbara Coven; Misty Mills; Sidi Henderson; Mike Litaker; Judy Stepanian; & Souleymane
Sy Savane. Direção de Arte: Jonathan Hely-Hutchinson . Roteiro: Jason Keller. Fotografia: Roberto Schaefer. Música:
Asche; & Spencer. Figurino: Frank L. Fleming. Companhia: Merlina Entertainment. Sinopse: Com base em fatos reais,
“Redenção” mostra a luta de Sam Childers (Gerard Butler) para trazer paz e esperança em zona marcada por conflitos em
Uganda. Depois de sair da prisão, Sam vira pastor e, em seguida, passa a fazer trabalhos voluntários em Uganda. Após
curta temporada para reconstruir casas na devastada Uganda, Sam envolve-se em conflitos com rebeldes armados.
6. Vênus Negra. Título Original: Vénus Noire. País: França; Itália; & Bélgica. Data: 2010. Duração:
165 min. Gênero: Drama. Idade (censura): 16 anos. Idioma: Francês; Inglês; & Português. Cor: Colorido. Legendado:
Português (em DVD). Direção: Abdellatif Kechiche. Elenco: Yahima Torres; Andre Jacobs; Olivier Gourmet; Elina
Löwensohn; François Marthouret; Michel Gionti; Jean-Christophe Bouvet; & Jonathan Pienaar. Direção de Arte: Florian
Sanson; & Olivia Bloch-Lainé. Roteiro: Abdellatif Kechiche; & Ghalia Lacroix. Fotografia: Lubomir Bakchev. Música:
Slaheddine Kechiche. Figurino: Fabio Perrone. Companhia: Imovision. Sinopse: Com base na história real de Sartjie
Braatman (Yahima Torres), de origem hotentote, deixou a África do Sul em 1808 rumo à Europa com Hendrick Caesar
(Andre Jacobs). Hendrick usa Sartjie para ganhar dinheiro, expondo-a como atração em Londres. Em 1817, ao chegar em
Paris, vira objeto de estudo de Georges Cuvier (François Marthouret), pela Escola Real de Medicina.

Bibliografia Específica:

1. Brunschwig, Henri; A Partilha da África Negra (Le Partage de L’Afrique Noire); trad. Joel J. da Silva;
128 p.; 5 caps.; 1 cronologia; 7 enus.; 1 mapa; 34 refs.; 17 x 12 cm; br.; 2ª Ed.; Perspectiva; São Paulo, SP; 2006; páginas
13, 21, 22, 41 a 46 e 58.
2. Vieira, Waldo; Homo sapiens pacificus; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 1.584 p.; 24 seções;
413 caps.; 403 abrevs.; 38 E-mails; 434 enus.; 1 foto; 37 ilus.; 484 estrangeirismos; 37 ilus.; 168 megapensenes trivoca-
bulares; 1 microbiografia; 36 tabs.; 15 websites; glos. 241 termos; 25 pinacografias; 103 musicografias; 24 discografias;
20 cenografias; 240 filmes; 9.625 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21,5 x 7 cm; enc.; 3ª Ed. Gratuita; Associação Internacional
do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); & Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR;
2007; páginas 328, 443, 452, 509, 768 e 769.
3. Idem; Homo sapiens reurbanisatus; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 1.584 p.; 24 seções;
479 caps.; 139 abrevs.; 12 E-mails; 597 enus.; 413 estrangeirismos; 1 foto; 40 ilus.; 1 microbiografia; 25 tabs.; 4 websites;
glos. 241 termos; 3 infográficos; 102 filmes; 7.665 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21 x 7 cm; enc.; 3
a
Ed. Gratuita; Associação
Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; 2004; páginas 509, 570
e 617.
4. Idem; Manual de Redação da Conscienciologia; revisores Alexander Steiner; et al.; 276 p.; 15 seções; 150
caps.; 152 abrevs.; 23 E-mails; 54 enus.; 274 estrangeirismos; 30 expressões idiomáticas portuguesas; 1 foto; 60 locuções
do idioma espanhol; 85 megapensenes trivocabulares; 1 microbiografia; 30 pesquisas; 6 técnicas; 30 teorias; 8 testes;
60 tipos de artefatos do saber; 60 vozes de animais subumanos; 3 websites; glos. 300 termos; 609 refs.; 28 x 21 cm; br.;
2ª Ed. rev.; Associação Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC); Foz do Iguaçu, PR;
2002; página 187.
5. Idem; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; revisores
Alexander Steiner; et al.; 1.248 p.; 18 seções; 525 caps.; 150 abrevs.; 16 E-mails; 1.156 enus.; 1 escala; 1 foto; 3 gráfs.;
42 ilus.; 1 microbiografia; 1 sinopse; 2 tabs.; 2 websites; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21 x 7 cm;
enc.; 5
a
Ed. rev. e aum.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 2002; pá-
ginas 58, 79, 162, 282, 688 e 888.
6. Idem; 700 Experimentos da Conscienciologia; 1.058 p.; 40 seções; 100 subseções; 700 caps.; 147 abrevs.;
1 cronologia; 100 datas; 1 E-mail; 600 enus.; 272 estrangeirismos; 2 tabs.; 300 testes; glos. 280 termos; 5.116 refs.; alf.;
geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Instituto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1994; página 247.
7. Wesseling, Henk; Dividir para Dominar: A Partilha da África (1880-1914) (Divide and Rule: The Parti-
tion of Africa, 1880-1914);
trad. Celina Brandt, 464 p.; 8 caps.; 5 citações; 1 enu.; 19 fotos; 22 ilus.; 10 mapas; 660 refs.;
24 x 16 x 3 cm; br.; 2
a
Ed.; UFRJ - Revan; Rio de Janeiro, RJ; 2008; páginas 289 a 326.

Webgrafia Específica:


01. BBC; Redação; South Sudan Anniversary: Salva Kiir Focuses on Economy; Reportagem; BBC World
News;
Jornal; Londres; 09.07.12; 15h54; Seção: África; 1 foto; 7 mapas; disponível em: <http://www.bbc.co.uk/news/-
world-africa-18769200>; acesso em: 05.10.12; 09h28.
02. Fernandes, Carla; & Sandner, Philipp; África é o Novo Continente em Ascensão, conclui Estudo Ale-
mão;
Programas; DW África; Jornal; Bona; Alemanha; 14.09.12; Seção: África; 3 fotos; disponível em: <http://www.dw.-
de/dw/article/0,16241748,00.html>; acesso em: 03.10.12; 14h00.
03. Freitas, Fidêncio Maciel; Mãe África: Religiões, Crenças e Costumes da Repúlica dos Camarões; Livro;
Belo Horizonte, MG; 2002; 274 p.; 6 caps.; 12 enus.; 2 fotos; 5 ilus.; 1 mapa; 2 tabs.; 61 refs.; disponível em: <http://-
www.africamae.com.br/wp-content/pdf/mae_africa.pdf>; acesso em:
06.10.2012; 09h26.

04. G1; Redação; Entenda a Sharia, Lei Islâmica que vai Ser adotada na Líbia pós-Kadhafi; Reportagem
G1 Notícias;
Jornal; São Paulo, SP; 26.10.11; 14h32; Seção: Notícias; 1 foto; 3 mapas; disponível em: <http://g1.glo-
bo.com/revolta-arabe/noticia/2011/10/entenda-sharia-lei-islamica-que-vai-ser-adotada-na-libia-poskadhafi.html>; acesso em:
03.10.12; 14h30.
05. Lusa; África perde 700 Mil Milhões Devido à Fuga de Capitais; Reportagem; SOL Notícias; Jornal; Lu-
anda, Angola; 29.05.12; Seção: Economia; 1 foto; disponível em: <http://www.sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.as-
px?content_id=50617>; acesso em: 03.10.12; 16h25.
06. Machado, Mário; Relações Sino-Africanas - I; Artigo; Coisas Internacionais; Revista; Brasília, DF;
03.03.09; Seção: África; disponível em: <http://www.coisasinternacionais.com/2009/03/relacoes-sino-africanas-i.html>;
acesso em: 03.10.12; 16h02.
07. Martins, Carlos; Suazilândia: A Última Monarquia Absoluta em África; Programas; DW África; Jornal;
Bona; Alemanha; 12.04.11; Seção: África; 3 fotos; disponível em: <http://www.dw.de/dw/article/0,6500739,00.html>;
acesso em: 03.10.12; 14h55.
08. Meniconi, Tadeu; África teria sido Berço de Toda Linguagem Humana; Reportagem; G1 Notícias; Jor-
nal; São Paulo, SP; 15.04.11; 07h00; Seção: Notícias; disponível em: < http://www.g1.globo.com/ciencia-e-saude/-
noticia/2011/04/africa-teria-sido-berco-de-toda-linguagem-humana.html>; acesso em: 03.10.12; 14h45.
09. Tounkara, Ibrahim; & Abilinda, Ebinda; África busca Estratégia para Parceria mais Vantajosa com
a China;
Programas; DW África; Jornal; Bona; Alemanha; 20.07.12; Seção: África; 2 fotos; disponível em: <http://www.-
dw.de/dw/article/0,16116333,00.html>; acesso em: 03.10.12; 15h22.
10. Wallerstein, Immanuel; Mali: O Próximo Afeganistão?; Artigo; Esquerda. Net; Portal de Informação Al-
ternativa; Lisboa, Portugal; 29.11.12; 01h32; Seção: Artigos; disponível em: <http://www.esquerda.net/opiniao/mali-
o-pr%C3%B3ximo-afeganist%C3%A3o/25674>; acesso em: 07.12.12; 10h50.

G. C.