Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


AFETIVIDADE DURADOURA

(DUPLOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
A afetividade duradoura é o somatório de fatos experimentados e vivencia-
dos a 2, diuturnamente, na forma de emoções e sentimentos, superando crises de crescimento
e potencializando a interassistencialidade duplista.
Tematologia.
Tema central neutro.
Etimologia.
O termo afetividade deriva do idioma Latim, affectivus, “que exprime dese-
jo; afetivo”. Surgiu no Século XVII. A palavra durar vem do mesmo idioma Latim, durare, “tor-
nar duro; enrijecer; tornar resistente; permanecer”. Apareceu no Século XI.
Sinonimologia:
01. Afetividade prolongada. 02. Afetuosidade inalterada. 03. Afeição
estável. 04. Carinho permanente. 05. Emotividade mantida. 06. Convivialidade afetiva esten-
dida. 07. Afeto contínuo. 08. Laço afetivo constante. 09. Apego prolongado. 10. Amor durável.
Neologia.
As duas expressões compostas afetividade duradoura imatura e afetividade
duradoura madura
são neologismos técnicos da Duplologia.
Antonimologia:
01. Afeto passageiro. 02. Afetividade fugaz. 03. Afeição efêmera.
04. Atimia. 05. Desprezo. 06. Indiferença. 07. Repulsão. 08. Desdém. 09. Desapreço. 10. De-
safeição.
Estrangeirismologia:
o living together; o getting along; o feedback interassistencial;
o upgrade afetivo; o Conviviarium; o status evolutivo dos parceiros duplistas; o turning point;
o finding the way out para superar os conflitos; o timing evolutivo.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à intercompreensão assistencial.
Megapensenologia.
Eis 7 megapensenes trivocabulares caracterizando o tema: - Afetivi-
dade significa delicadeza. Amarremos laços afetivos. Elevemos nossa afetividade. Afeto: anti-
competição amorosa. Somemos nossas afetividades. Amemos sem medo. Amar exige reciclagens.


II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene pessoal da Cosmoética; os ortopensenes; a ortopensenida-
de; o holopensene harmônico; o holopensene da convivência sadia; os conviviopensenes; a con-
viviopensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os harmonopensenes; a harmonopen-
senidade; os reciclopensenes; a reciclopensenidade; os evoluciopensenes; a evoluciopensenidade;
os parapsicopensenes; a parapsicopensenidade; os neopensenes; a neopensenidade; a orientação
do pen nas manifestações pensênicas; o controle dos autopensenes; a capacidade de reestrutura-
ção dos autopensenes; a retilinearidade autopensênica.

Fatologia:
a afetividade duradoura; a carga da convivialidade dos duplistas; a dinâmica
das interrelações na dupla evolutiva; o convívio sob o mesmo teto; o ato de cuidar do parceiro da
dupla evolutiva; a acolhida mútua da heterocrítica; o exemplarismo cosmoético; o abertismo
consciencial; o atendimento das carências afetivas e sexuais próprias e do duplista; o ato de não
deixar a vida me levar;
o tudo posso, mas nem tudo me convém; o passado como fonte de apren-
dizado; a afetividade forçada; a afetividade patológica; a solidão a 2; o isolacionismo; a sujeição
à aprovação do outro; a autoimagem sendo sustentada a qualquer preço; as dramatizações; as
justificativas; a autocorrupção; a Cronêmica como geradora de crises; os ganhos secundários na
vida a 2; o monoideísmo patológico e autassediador; as vitimizações; os mecanismos de defesa do
ego; as omissões deficitárias gerando interprisões grupocármicas; o medo da realidade; a satura-
ção do nível da experiência anterior; a necessidade da retificação das condutas; a senha para a su-
peração de crises; a ultrapassagem dos gargalos conviviais; a autossuperação; a resolução dos
conflitos duplistas com o uso do discernimento e da razão; o uso da criatividade para superar as

crises; a autodeterminação realizadora; o monoideísmo cosmoético e sadio; o autodiscernimento
no ajuste das ações; o esforço recexológico; a renovação existencial; o abertismo à aprendizagem;
a capacidade de reestruturação da intencionalidade e autorganização consciencial, adaptando-se
ao desenvolvimento evolutivo e ações prioritárias no cotidiano da dupla evolutiva; a reavaliação
dos pensamentos automatizados influenciando o comportamento dos duplistas; a higiene cons-
ciencial; o controle da impulsividade; a mudança das interpretações negativas dos fatos do co-
tidiano; os valores pessoais embasadores das mudanças e da superação de crises; as atitudes po-
sitivas perante a vida; a atualização (upgrade) da imagem do duplista; o entendimento do tempo
do outro duplista sem o apressar; o incentivo como reconhecimento do esforço do outro à mudan-
ça; o abrir mão dos erros e falhas do parceiro; as concessões mútuas e menos exigências; o perdão
para a autolibertação; a mudança de hábitos, valores e rotinas; a melhora da qualidade de vida
e do bem-estar da dupla evolutiva alcançando a felicidade real em bases evolutivas cosmoéticas
e o completismo existencial a 2 (compléxis).

Parafatologia:
a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a relação parapro-
cedencial dos parceiros da dupla evolutiva; a prática da varredura energética da base intrafísica
dos duplistas; a megaeuforização a 2; os EVs conjuntos dos parceiros da dupla evolutiva; a cabe-
ça energética da dupla evolutiva; as interrelações profundas da Ficha Evolutiva Pessoal (FEP);
a influência da dimensão extrafísica na vida a 2; a percepção das sincronicidades; a sinalética
energética e parapsíquica pessoal; as avaliações pré-ressomáticas dos potenciais duplistas; os
compromissos firmados no Curso Intermissivo (CI) pré-ressomático; a sustentabilidade energética
a 2; a cosmovisão pessoal sobre a dinâmica da dupla evolutiva, abrangendo as múltiplas existên-
cias e dimensões, favorecida pelos experimentos intermissivos na parapsicoteca; as paracicatrizes
dos parceiros da dupla evolutiva; a convivência na parapercepção patológica a 2; o heterassédio
extrafísico por longo tempo a 2; o saldo multiexistencial conjunto dos erros e acertos a 2; a am-
parabilidade extrafísica conquistada a 2; as energias pacificadoras dos parceiros da dupla evoluti-
va; o cotejo entre as fichas evolutivas dos duplistas; a análise das holobiografias dos parceiros da
dupla evolutiva; a pacificação das emoções melhorando o padrão de energia dos duplistas.

III. Detalhismo

Sinergismologia:
o sinergismo das proéxis potencializando o completismo de cada du-
plista;
o sinergismo reflexão-mudança; o sinergismo vontade-determinação; o sinergismo vonta-
de inquebrantável-esforço perseverante;
o sinergismo das realizações interassistenciais duplis-
tas;
o sinergismo da quantidade com qualidade; o sinergismo dos autesforços evolutivos.
Principiologia:
o princípio da evolução interconsciencial; o princípio essencial da me-
gafraternidade;
o princípio cosmoético de não se acumpliciar com o erro identificado; o princí-
pio autossuperador de acumular aprendizados;
o princípio do exemplarismo pessoal (PEP);
o princípio da interassistencialidade vivenciado a 2; o princípio da afinidade interconsciencial;
o princípio sinérgico da conjugação de 2 afins resultar muito mais se comparado à soma simples
dos resultados de cada 1
.
Codigologia:
a teática do código duplista de Cosmoética (CDC); o código pessoal de
Cosmoética
(CPC); o código grupal de Cosmoética (CGC); o código de valores pessoais.
Teoriologia:
a teoria da inseparabilidade grupocármica; a teoria da interassistenciali-
dade;
a teoria da coevolução; a teoria e a prática do duplismo evolutivo; a teoria da evolução
através dos autesforços;
a teoria da inteligência evolutiva; a teoria da coerência a 2.
Tecnologia:
a técnica da dupla evolutiva; a técnica da fórmula DD (diálogo-desinibi-
ção) entre os parceiros da dupla evolutiva aplicada à interação sexual-sentimental-intelectual-
-consciencial;
a técnica da alcova blindada; a técnica da evitação do subcérebro abdominal;
a técnica da visão panorâmica; a técnica dos 10 valores pessoais básicos; a técnica das pequenas
tarefas diárias;
a técnica da quebra dos condicionamentos (choque de valores); a técnica do
perdão;
a técnica da atribuição de 3 qualidades (valorização do assistido); a técnica do sexo diá-
rio;
a técnica da desdramatização emocional.

Voluntariologia:
o duplismo entrosado ao voluntariado tarístico das Instituições Cons-
cienciocêntricas
(ICs); o voluntariado interassistencial na Comunidade Conscienciológica Cos-
moética Internacional
(CCCI).
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico da dupla evolutiva; o laboratório
conscienciológico da Cosmoética;
o laboratório conscienciológico da Despertologia; o laborató-
rio conscienciológico do estado vibracional;
o laboratório conscienciológico da Grupocar-
mologia;
o laboratório conscienciológico da Proéxis; o laboratório conscienciológico da Auto-
conscienciometrologia;
o laboratório conscienciológico da Mentalsomatologia.
Colegiologia:
o Colégio Invisível da Duplologia; o Colégio Invisível da Psicossomatolo-
gia;
o Colégio Invisível da Conviviologia; o Colégio Invisível da Interassistenciologia; o Colégio
Invisível dos Consciencioterapeutas;
o Colégio Invisível da Recexologia; o Colégio Invisível dos
Conscienciometrologistas
.
Efeitologia:
os efeitos do amadurecimento afetivo; os efeitos sazonais conviviológicos;
os efeitos da harmonização do circuito afetivo; o efeito halo da consolidação da dupla evolutiva;
o efeito halo da conduta exemplarista cosmoética; o efeito do senso apurado da sexualidade
sadia a 2;
os efeitos da afetividade minimizando carências energéticas; o efeito potencializador
da evolução intercooperativa;
os efeitos desintoxicantes do duplismo libertário no holopensene
doméstico;
os efeitos profiláticos duradouros do afeto na dupla evolutiva; os efeitos da autocon-
fiança na capacidade pessoal de resolução das crises a 2;
os efeitos dos homopensenes existentes
na empatia básica da afetividade duradoura
.
Neossinapsologia:
as crises de crescimento geradoras de neossinapses; as neossinapses
derivadas da aplicação das técnicas conscienciológicas;
as neossinapses como decorrência do
omniquestionamento;
as neossinapses advindas da Holomaturologia; as neossinapses derivadas
das tertúlias conscienciológicas;
as neossinapses construídas na convivência prolífica a 2; as
neossinapses da Verponologia Conscienciológica
.
Ciclologia:
o ciclo da reeducação afetiva; o ciclo dos erros, acertos, reciclagens e au-
torretratações;
o ciclo autoconscienciométrico; o ciclo multiexistencial pessoal (CMP); a passa-
gem para o ciclo evolutivo mentalsomático ocorrendo após a maturidade afetiva; o ciclo encon-
tros-desencontros-reencontros;
o ciclo ascendente ideal invéxis-duplismo-tenepes-ofiex-desperti-
cidade-compléxis
.
Enumerologia:
o amor; o cuidado; o apreço; a ternura; a delicadeza; a doçura; o desvelo.
Binomiologia:
o binômio (dupla) assistente-assistido; o binômio afetividade-assisten-
cialidade;
o binômio liberdade-responsabilidade; o convívio sadio pelo binômio admiração-dis-
cordância;
o binômio afetividade-sexualidade; o fraternismo no binômio autoimperdoamento-he-
teroperdoamento;
o binômio assistência-responsabilidade; o binômio autestima-megafraternida-
de;
a interdependência entre a crise existencial ou saída da zona de conforto estacionária e o avan-
ço evolutivo no binômio crise-crescimento; o binômio autodiscernimento-afetividade; o binômio
experiência-aprendizagem;
o binômio ideal compartilhar amparadores-anular assediadores;
o binômio adversidade-superação.
Interaciologia:
a interação primener-lua de mel; a interação gargalo operacional-crise
de crescimento funcional;
a interação concessões mútuas na dupla evolutiva-concessões recípro-
cas na grupalidade sadia;
a interação autodesassédio-heterodesassédio; a interação essencial
duplocarma-grupocarma;
a interação conscin duplista-amparador extrafísico duplólogo; a inte-
ração duplismo-alcova blindada;
a interação convergência-divergência; a interação necessida-
des mútuas-respeito mútuo
.
Crescendologia:
o crescendo da afetividade diuturna; o crescendo das autossupera-
ções;
o crescendo lucidez-interassistencialidade-evolução; o crescendo condição pré-duplista-
-condição duplista exitosa;
o crescendo pesquisístico; o crescendo cognitivo gerado pelo alarga-
mento da cosmovisão pessoal
.
Trinomiologia:
o trinômio desrepressão-desinibição-diálogo; o trinômio pessoal posi-
cionamento-comportamento-exemplificação;
o trinômio intercompreensão-intercooperação-inte-
rassistência;
o trinômio fato-autodiscernimento-interpretação; o trinômio Debatologia-Refuta-
ciologia-Argumentologia;
o trinômio vontade-decisão-deliberação; o trinômio consciência lúci-

da-evoluciólogo-duplista;
o trinômio crise-reação-reerguimento; o trinômio discernimento-se-
gurança-saúde
.
Polinomiologia:
o polinômio holossomático soma-energossoma-psicossoma-mentalso-
ma;
o polinômio centrífugo Egocarmologia-Duplocarmologia-Grupocarmologia-Policarmolo-
gia;
o polinômio decidir-atualizar-reciclar-reeducar; o polinômio pré-casal-casal incompleto-
-casal íntimo-casal parapsíquico;
o polinômio autolucidez-autodiscernimento-heterolucidez-he-
terodiscernimento;
o polinômio postura-olhar-voz-gesto; o polinômio vontade-intenção-defini-
ção-determinação;
o polinômio autodiagnóstico-autoenfrentamento-autossuperação-eficácia au-
topesquisística
.
Antagonismologia:
o antagonismo afeição secular / desafeição secular; o antagonismo
afetividade madura / afetividade imatura;
o antagonismo afetividade real / afetividade idealiza-
da;
o antagonismo decidofilia / decidofobia; o antagonismo aceitação / rejeição; o antagonismo
afeição realista / paixonite aguda;
o antagonismo vínculo consciencial / vínculo matrimonial;
o antagonismo cérebro / subcérebro; o antagonismo emoções aventurosas / sentimentos eleva-
dos;
o antagonismo isolamento patológico a 2 / abertismo consciencial a 2.
Paradoxologia:
o paradoxo existente no estresse positivo da crise de crescimento.
Politicologia:
a democracia; a conscienciocracia; a lucidocracia; a evoluciocracia;
a proexocracia; a assistenciocracia; a cosmoeticocracia.
Legislogia:
a lei do maior esforço a 2; a lei da reeducação afetiva; a lei da empatia;
a lei da interdependência consciencial; a lei da grupalidade; a lei da interassistencialidade; as
leis da Proexologia;
as leis básicas da evolução; a lei da afinidade interconsciencial; a lei de
causa e efeito;
as leis dos direitos interconscienciais.
Filiologia:
a voliciofilia; a decidofilia; a conviviofilia; a determinofilia; a evoluciofilia;
a interassistenciofilia; a conscienciofilia; a racionofilia; a intencionofilia.
Fobiologia:
a proexofobia; a determinofobia; a energofobia; a neofobia; a heterocritico-
fobia
; a raciocinofobia; a autopesquisofobia.
Sindromologia:
a síndrome da ectopia afetiva (SEA); a síndrome da autovitimização.
Mitologia:
a desconstrução a 2 do mito das almas gêmeas; a desconstrução a 2 do mito
do amor romântico;
a desconstrução do mito do príncipe encantado; o mito da afetividade sem
autoesforços;
o mito do “e viveram felizes para sempre”; o mito da perfeição a 2; o mito do
pseudoamor idealizado, irracional e irreal;
o mito cultural “amar é sofrer”.
Holotecologia:
a evolucioteca; a assistencioteca; a convivioteca; a despertoteca; a men-
talsomatoteca; a determinoteca; a interassistencioteca; a duploteca; a cosmoeticoteca.
Interdisciplinologia:
a Duplologia; a Duplocarmologia; a Evoluciologia; a Recexologia;
a Autovivenciologia; a Conviviologia; a Cosmoeticologia; a Interassistenciologia; a Autodiscerni-
mentologia; a Psicossomatologia; a Proexologia; a Holomaturologia; a Sexossomatologia.

IV. Perfilologia

Elencologia:
a conscin afetiva; a dupla evolutiva; a conscin lúcida; a isca humana lúci-
da; o ser desperto; o ser interassistencial; a conscin enciclopedista.

Masculinologia:
o acoplamentarista; o agente retrocognitor; o amparador intrafisico;
o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista; o cognopolita; o compassageiro evolu-
tivo; o completista; o comunicólogo; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o conscienciote-
rapeuta; o macrossômata; o conviviólogo; o escritor; o proexista; o proexólogo; o reeducador;
o epicon lúcido; o exemplarista; o intelectual; o reciclante existencial; o inversor existencial;
o maxidissidente ideológico; o tenepessista; o ofiexista; o parapercepciologista; o pesquisador;
o pré-serenão vulgar; o projetor consciente; o sistemata; o tertuliano; o verbetólogo; o voluntário;
o tocador de obra; o homem de ação; o duplista; o duplólogo.

Femininologia:
a acoplamentarista; a agente retrocognitora; a amparadora intrafisica;
a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a cognopolita; a compassageira evolu-

tiva; a completista; a comunicóloga; a consciencióloga; a conscienciômetra; a conscienciotera-
peuta; a macrossômata; a convivióloga; a escritora; a proexista; a proexóloga; a reeducadora;
a epicon lúcida; a exemplarista; a intelectual; a reciclante existencial; a inversora existencial;
a maxidissidente ideológico; a tenepessista; a ofiexista; a parapercepciologista; a pesquisadora;
a pré-serenona vulgar; a projetora consciente; a sistemata; a tertuliana; a verbetóloga; a voluntá-
ria; a tocadora de obra; a mulher de ação; a duplista; a duplóloga.

Hominologia:
o Homo sapiens duplologus; o Homo sapiens evolutiens; o Homo sapiens
affectuosus;
o Homo sapiens mentalsomaticus; o Homo sapiens cosmoethicus; o Homo sapiens
prioritarius;
o Homo sapiens autolucidus; o Homo sapiens interassistentialis; o Homo sapiens li-
berator
.

V. Argumentologia

Exemplologia:
afetividade duradoura imatura = a permeada de crises não superadas,
com predomínio de retrocessos evolutivos; afetividade duradoura madura = a permeada de supe-
rações comuns nas vivências diárias do serviço a 2, com o predomínio de episódios evolutivos
cosmoéticos e maturidade consciencial.

Culturologia:
a cultura evoluída da Duplologia Cosmoética; a substituição da cultura
patológica da autovitimização
pela cultura da interassistencialidade cosmoética; a cultura das
autopriorizações evolutivas;
a cultura do autodessassédio.

Terapeuticologia.
De acordo com a Paraprofilaxia, eis, por exemplo, na ordem alfabéti-
ca, 16 providências práticas e inteligentes, promotoras da afetividade duradoura, quando admiti-
das pelos duplistas interessados:
01. Comunicologia: o exercício diário de compreender e ser compreendido a 2.
02. Conscienciometrologia: a dinâmica conscienciométrica a 2.
03. Consciencioterapia: a atividade consciencioterápica a 2.
04. Conviviologia: a sociabilidade evolutiva a 2.
05. Energossomatologia: o trabalho com as energias a 2.
06. Evoluciologia: a disponibilidade em aproveitar a oportunidade evolutiva a 2.
07. Experimentologia: a vivência do paradigma consciencial no dia a dia a 2.
08. Extrafisicologia: a priorização das realidades multidimensionais obtendo maior ní-
vel de autolucidez (cons) e autoconhecimento (holomaturidade) a 2.
09. Grupocarmologia: o exercício da grupalidade a 2.
10. Holocarmologia: o compromisso interconsciencial profundo firmado a 2.
11. Interassistenciologia: o exercício da assistencialidade a 2.
12. Mentalsomatologia: a frequência de cursos e leitura de livros conscienciológicos
a 2.
13. Parapercepciologia: a participação em dinâmicas parapsíquicas a 2.
14. Pensenologia: a melhoria do holopensene comum a 2.
15. Proexologia: as atividades e os trabalhos compartilhados para a execução da pro-
éxis a 2.
16. Recexologia: a prática da recéxis a 2.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com a afetividade duradoura, indicados para a expansão das
abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01. Afetividade: Psicossomatologia; Neutro.

02. Antivitimologia: Holomaturologia; Homeostático.
03. Autodiscernimento afetivo: Mentalsomatologia; Homeostático.
04. Carga da convivialidade: Conviviologia; Neutro.
05. Consciência assistente: Interassistenciologia; Homeostático.
06. Convivência humana: Conviviologia; Neutro.
07. Crescendo das autossuperações: Crescendologia; Homeostático.
08. Crise de crescimento: Recexologia; Neutro.
09. Crise pessoal: Evoluciologia; Neutro.
10. Duplismo libertário: Duplologia; Homeostático.
11. Duplocarma: Duplocarmologia; Homeostático.
12. Gargalo operacional: Experimentologia; Homeostático.
13. Parceiro ideal: Duplologia; Homeostático.
14. Pentatlo duplista: Duplologia; Homeostático.
15. Predisponência à reciclagem: Recexologia; Homeostático.

A
AFETIVIDADE DURADOURA MANIFESTA INTELIGÊNCIA
EVOLUTIVA E HOLOMATURIDADE QUANDO OS DUPLISTAS
PROMOVEM,
A 2, AUTOSSUPERAÇÕES CONSCIENCIAIS
COSMOÉTICAS E INTERASSISTENCIAIS, DIUTURNAMENTE.


Questionologia.
Você, leitor ou leitora, duplista, está disposto(a) a vivenciar a afetivida-
de duradoura? Qual atitude você tem tomado para isso?

Bibliografia Específica:


1. Balona, Málu; Autocura Através da Reconciliação: Um Estudo Prático Sobre a Afetividade; apres. Daniel
Muniz; pref. Cristina Arakaki; pref. da 1
a
edição Marina Thomaz; 354 p.; 11 caps.; 20 cenografias; 1 entrevistas; 56 enus.;
2 escalas; 3 esquemas; 72 filmes; 10 gráfs.; 6 ilus.; 1 índice de expressões e ditos populares; 25 infografias; 5 quadros si-
nópticos; 4 questionários; 2 tabs.; 17 técnicas; 5 teorias; glos. 86 termos; 224 refs.; 2 apênds.; alf.; 21 x 14 cm; br.; 3ª Ed.
rev. e aum.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2009; páginas 56, 78, 95, 108, 141, 149, 186, 191
e 205.
2. Vieira, Waldo; Manual da Dupla Evolutiva; 208 p.; 40 caps.; 16 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br.; Instituto Inter-
nacional de Projeciologia e Conscienciologia
(IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 1997; páginas 26 a 28.
3. Idem; Manual dos Megapensenes Trivocabulares; revisores Adriana Lopes; Antonio Pitaguari; & Lourdes
Pinheiro; 378 p; 3 seções; 49 citações; 85 elementos linguísticos; 16 endereços; 110 enus.; 200 fórmulas; 2 fotos; 14 ilus.;
1 microbiografia; 2 pontoações; 1 técnica; 4.672 temas; 53 variáveis; 1 verbete enciclopédico; glos. 12.576 megapensenes
trivocabulares; 1 anexo; 29 refs.; 27,5 x 21 cm; enc.; Associação Internacional Editares; Cognópolis; Foz do Iguaçu, PR;
2009; páginas 98, 102 e 154.

V. T. S.