Enciclopédia da Conscienciologia

Texto do Verbete :


ACANHAMENTO

(PSICOSSOMATOLOGIA)


I. Conformática

Definologia.
O acanhamento é o ato ou efeito de acanhar(-se), o estado ou condição da
pessoa acanhada quando posta em contato com grupo ou meio social adverso ou estranho.
Tematologia.
Tema central nosográfico.
Etimologia.
O elemento de composição a deriva do idioma Latim, ad e ab, “aproxima-
ção; afastamento”, e do idioma Grego, an, “privação, negação”. O termo canho é de origem obs-
cura. Surgiu no idioma Português no Século XIX. O termo acanhamento apareceu no Século
XVI. Pelo ramo popular, ou folclórico, o termo acanhamento é interpretado como derivado de
acanhar,
indicando, por metáfora, o ato de encolher-se como faz o cão.
Sinonimologia:
1. Embaraço; pejo; retraimento. 2. Inibição; timidez. 3. Constrangi-
mento. 4. Falta de traquejo social. 5. Sociofobia.
Arcaismologia.
Eis a expressão antiga para acanhamento: manifestação feudal.
Neologia.
Os 2 vocábulos miniacanhamento e maxiacanhamento são neologismos téc-
nicos da Psicossomatologia.
Antonimologia:
1. Desembaraço; desinibição. 2. Arrojo; audácia. 3. Atrevimento;
imodéstia. 4. Megalomania. 5. Sociofilia.
Estrangeirismologia:
o Retrocognitarium.
Atributologia:
predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à extroversão pessoal.

II. Fatuística

Pensenologia:
o holopensene da repressão; o picnopensene, a unidade de medida do
acanhamento.

Fatologia:
o acanhamento; a acanhação; o acanho; a inibição; o autotolhimento; a timi-
dez; o retraimento; o autismo; a coerção egoica; o travão íntimo; a esquivança; a falta de desem-
baraço; a ausência de ousadia; a emotividade excessiva; a vontade tíbia; a fraqueza presencial;
a pusilanimidade; o bloqueio emocional; a atitude de excessiva reserva; a inibição para falar em
público; a estreiteza de ânimo; o sistema nervoso autônomo; a transpiração palmar; as pernas
bambas; o nervosismo contido; a ruborização; a atrapalhação; o sentimento de vergonha; a sensa-
ção de ridículo; a ridicularia; a ridiculez; o vexame; a vexação; a gafe; o miniescândalo; a pertur-
bação pessoal; a ausência de traquejo social; o fechamento em copas; o encaramujamento; o re-
calcamento; a indisponibilidade pessoal; a oportunidade perdida; a série de chances passando ba-
tida;
a ingenuidade; a infantilidade; a criancice; a escravidão à opinião pública; a interiorose;
a minimelin; a retração da inventividade.

Parafatologia:
o monopólio do cardiochacra; as energias conscienciais (ECs) débeis.

III. Detalhismo

Principiologia:
o princípio da convivialidade sadia; a inevitabilidade do princípio da
convivialidade embasando a evolução
.
Codigologia:
o código corporal da timidez.
Teoriologia:
a teoria do revertério comportamental.
Tecnologia:
a técnica da evitação do subcérebro abdominal; a técnica da evitação dos
falsos conceitos;
a técnica de recuperação dos cons magnos.
Laboratoriologia:
o laboratório conscienciológico das retrocognições.

Colegiologia:
o Colégio Invisível da Conviviologia.
Efeitologia:
os efeitos do arrependimento; o efeito negativo do acanhamento no desem-
penho proexológico
.
Ciclologia:
o ciclo das oportunidades evolutivas desperdiçadas (A condição dos espíri-
tas fanáticos perante a Conscienciologia).
Interaciologia:
a interação patológica timidez-orgulho; a interação autocorrupção-
omissão deficitária
.
Crescendologia:
o crescendo acanhamento-melin.
Paradoxologia:
a condição de ser a introspecção comum à inibição e à autorreflexão.
Politicologia:
a autocracia.
Legislogia:
as pseudoleis autoimpostas; as leis draconianas; as leis do Alcorão.
Fobiologia:
a doxofobia; a sociofobia; a blemofobia.
Holotecologia:
a psicossomatoteca; a psicopaticoteca; a trafaroteca.
Interdisciplinologia:
a Psicossomatologia; a Energossomatologia; a Intrafisicologia; a Pa-
rageneticologia; a Parapatologia; a Consciencioterapia; a Conscienciometrologia; a Holomaturo-
logia; a Evoluciologia; a Conviviologia.

IV. Perfilologia

Colegiologia:
o Colégio Invisível da Conscienciometrologia; o Colégio Invisível da
Consciencioterapia;
o Colégio Invisível da Psicossomatologia.
Elencologia:
a pessoa acanhada; o indivíduo inibido; a personalidade tímida; a conscin
envergonhada.

Masculinologia:
o pré-serenão vulgar.

Femininologia:
a pré-serenona vulgar.

Hominologia:
o Homo sapiens timidus; o Homo sapiens minor; o Homo sapiens vul-
garis;
o Homo sapiens incommunicabilis; o Homo sapiens inexpertus; o Homo sapiens mono-
glota;
o Homo sapiens autobsidiatus; o Homo sapiens illucidus; o Homo sapiens perplexus.

V. Argumentologia

Exemplologia:
miniacanhamento = o trabalho voluntário desperdiçado por acanhamen-
to; maxiacanhamento = a dupla evolutiva perdida e substituída por amor platônico.

Culturologia:
a formação cultural.

Taxologia.
Segundo a Conviviologia, a pessoa acanhada não fala, procura algum canto
discreto e repete maquinalmente gestos denotadores de nervosismo, ao modo destes 10, dispostos
na ordem alfabética:
01. Cabelos. Enrolar os cabelos com as pontas dos dedos.
02. Chapéu. Amassar o chapéu, ou o boné, enquanto escuta.
03. Dedos. Estalar os dedos pressionando as mãos.
04. Lábios. Morder os lábios nervosamente.
05. Mãos. Não saber onde meter as mãos à frente das pessoas.
06. Olhos. Abaixar os olhos a medo, mostrando ser aprendiz em diplomacia.
07. Pernas. Balançar de modo contínuo as pernas quando cruzadas.
08. Roupa. Dobrar a extremidade da roupa ou do pano da mesa em frente.
09. Rubor. Ruborizar-se ou ficar da cor de pimentão sem motivos plausíveis.
10. Unhas. Roer as unhas das mãos ou praticar a onicofagia.

Interiorose.
Pelos conceitos da Intrafisicologia, o acanhamento enraíza a conscin no bu-
colismo da vida da gata borralheira, em atmosfera provinciana ou da interiorose, mesmo quando
residindo na metrópole.
Infantilismo.
No âmbito da Consciencioterapia, o acanhamento inibe a criatividade e os
grandes voos do pensamento, mantendo a conscin adulta com a síndrome do infantilismo, tendo
o minipensene à conta de materpensene do próprio holopensene.
Tares.
Pela Assistenciologia, através da tares, importa muito a aproximação ao acanhado
e, pela compreensão e cordialidade, é relevante facilitar-lhe a integração ao novo ambiente, por
exemplo, ao holopensene da Conscienciologia.
Remissão.
De acordo com a Paraprofilaxiologia, a cura do acanhamento é a pessoa ra-
cionalizar a própria exposição pública, sem se incomodar com o vexame, o ridículo ou a gafe, até
desinibir-se completamente perante as pessoas, baseada no fato de o acanhamento, em tese, não
matar ninguém.

VI. Acabativa

Remissiologia.
Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabé-
tica, 7 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
trais, evidenciando relação estreita com o acanhamento, indicados para a expansão das aborda-
gens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
1. Acriticismo: Parapatologia; Nosográfico.
2. Alienação: Intrafisicologia; Nosográfico.
3. Antagonismo bem-estar / malestar: Psicossomatologia; Neutro.
4. Autodesorganização: Parapatologia; Nosográfico.
5. Decidofobia: Parapatologia; Nosográfico.
6. Frustração: Psicossomatologia; Nosográfico.
7. Iscagem interconsciencial: Parapatologia; Neutro.

SOB A ÓTICA DA CONSCIENCIOMETROLOGIA, A CAUSA
MAIS FREQUENTE DE ACANHAMENTO É A EDUCAÇÃO
EXCESSIVAMENTE SEVERA DE
PAIS SUPERPROTETORES,
CAUSANDO REPRESSÃO E CONDICIONAMENTO INIBIDOR.


Questionologia.
Você ainda sofre acanhamento em alguma circunstância existencial?
Qual a causa dessa reação? Tal postura é digna da maturidade consciencial?

Bibliografia Específica:

1. Vieira, Waldo; Homo sapiens reurbanisatus; 1.584 p.; 479 caps.; 139 abrevs.; 40 ilus.; 7 índices; 102 si-
nopses; glos. 241 termos; 7.655 refs.; alf.; geo.; ono.; 29 x 21 x 7 cm; enc.; 3
a
Ed. Gratuita; Associação Internacional do
Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; 2004; páginas 506 a 508.
2. Idem; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; 1.248 p.; 525
caps.; 150 abrevs.; 43 ilus.; 5 índices; 1 sinopse; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21 x 7 cm; enc.; 4
a
Ed. re-
visada e ampliada; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 1999; página 340.